terça-feira, 28 de março de 2017



Boa tarde a todos! Que Deus os abençoe sempre!

= ÁGUAS BENDITAS =

Manhã chuvosa...
Águas descem ladeiras,
Ruas alagadas.

Rica enxurrada...
Do sorriso,
O verde da esperança,
Os campos se estendem em flores.

Em torrente,
Num pueril estado,
Brinca em vertentes
Tornando a terra molhada.

Abençoadas águas,
Num itinerante desaviso,
“Apáticos homens ao descaso”
Casas inundadas...
Dos humildes, carregam as lágrimas,
Apagando os seus sorrisos.

Aos poucos o verde se renova,
As esperanças crescentes se afloram.
São Divinas Graças, que se espalham,
É o nosso Deus da esperança,
Repousando em nós,
O seu amor infindo!

Tonho tavares..

segunda-feira, 27 de março de 2017

        



  = Amor verdadeiro =

O amor me faz cantar
As vezes com sorriso,
outras vezes, com lágrimas no olhar.

Lirial é o amor...
Incandesce a alma,
colori o mundo,
traz a eternidade,
em um único segundo.

Eu,
a mercê do sentimento,
sofro pela ausência,
do realismo dos beijos seus.

Você, vivente em minhas quimeras,
traça planos,
viaja comigo em belas jornadas,
passeamos pela praia de mãos dadas,
entrelaçamos nossos corpos
nas águas cristalinas da cachoeira.
Terminamos na cama,
você,
possuindo-me por inteiro.

Palavras ditas atravessam a minha alma,
alojando em meu ser.
Dos meus sonhos, és a mulher,
que me faz cantar,
com sorriso,
ou lágrimas no olhar.


tonho tavares


Bom dia a todos! Deus os abençoe sempre!

= VIVER O AMOR =

Por favor...
Não deixe que se escasseie o tempo!
Venha...
Ainda há, o alvorecer!
Sinta o silêncio da noite adormecida.
Dê asas ao fascínio!
Venha se perder em meu corpo,
No frenesi do amor.

Noite de volúpia.
Na avidez, da carne e da alma
Arrancando maliciosos suspiros...

Na solicitude do tempo,
Cobri-nos o silêncio.
Palavras arrebatadoras,
No leito macio,
Esparramam com pétalas de rosas.

Ao brilho da manhã raiada,
Em escultural desejo,
Nossos corpos
Em fusão,
Nossos lábios ao beijo!

Tonho Tavares.

= Flor do silêncio =

Hei!
Trouxe para ti, do campo, uma linda flor.
Por favor, nada diga!
Ela foi colhida, em casto silêncio,
Como casto é o sentimento, que em meu corpo, se espalhou por ti !
Com as minhas ásperas mãos, pelo duro dia de trabalho,
Sem palavras vazias, que as pétalas deformam,
Revesti as minhas nuas mãos, com a ternura do beijo,
Em vasos de pleno desejo
Eu a acomodei.
Pedi a lua e as estrelas,
Que o meu caminho iluminasse
E que o romantismo da noite,
Orvalhasse, trazendo para ti,
“Na flor”, todo o frescor da madrugada.
Perdoe-me se faltaram-me as palavras,
Com brilho molhado no olhar,
Peço-te...  dê-me um beijo?


Tonho Tavares.