sexta-feira, 28 de outubro de 2016

         = PERMITA-ME =

Permita-me deitar em seu colo?
Estou sem solo.
Carente e ausente de mim!

Sou velho.
Sou menino
Estou planta ressequida
A beira da estrada.

Meu corpo, já não traz a mesma vitalidade de outrora.
Às vezes eu rio, outras vezes, eu choro.
Sou eu o mesmo
do ontem e do agora.

Permita-me deitar em seu colo
Estou sem solo
A espera de você.

Você penetra em sonhos...
Com graça, estende-me as suas mãos
Ergui-me com carinho
Desliza os seus dedos pelos meus lábios
e num silêncio angelical
Beija com ternura a minha boca.

Levo as minhas mãos ao seu rosto
Acaricio!
Mergulho-me em seu lindo olhar
Desvendo os seus mais secretos desejos
Repito o beijo
Saudades sem final!

Permita-me deitar em seu colo?
Encontrarei o meu solo
Amor perene e sem fim.

Tonho Tavares