domingo, 30 de outubro de 2016

    = EU E MEUS SONHOS =

Vamos sair...
Quem sabe em um único segundo
Por descuido ou desejo
Os teus lábios eu beijar.

Se em teus olhos estrelas brilharem
E o teu corpo, como por encanto,
De mansinho se aconchegar ao meu
Solfejarei em teus ouvidos
Uma melodia de amor.

Sou sonho...
Enveredado no mais profundo dos devaneios
Dou-lhe flores.
Navego em teu copo despido
Ouso o clamor de tua alma
Realizo todos os teus desejos.

Quando o sol timidamente invadir a nossa janela
Dar-te-ei as mais lindas flores
Quem sabe rosas vermelhas, ou mesmo lírio do campo?
Ganharei de você, mil beijos.

Perdoe-me!
Ainda nem aceitastes o meu convite
Eu no ato derradeiro.
Sou um sonhador inveterado.

Tonho.
     = SUSPIRO =

Suspiro...
Respiro devagar para não me sufocar.
Cheiro de amor no ar.

Busco um canto
Quem sabe um encanto
Nas entrelinhas do tempo
Contento-me apenas em amar.

Suspiro...
Não me atenho...
Busco o preto e o branco
Tropeço nas cores vivas do grande sentimento
Que distraído, as deixei jogada pelo chão.

Suspiro...
Loucura, razão, desejo
Não informo
Formo, sofro e choro
Perco-me nas reticências sem acasos.

Suspiro...
Quisera eu enfeita as suas amanhãs
Transbordar de recordações saudosas o seu ontem.
Desenhar em seu rosto, a cada manhã, o sorriso de mulher
que por toda noite fora amada.

Suspiro...
Suspiro pelas lágrimas que deseducadas se atropelam em meus olhos regando o solo.

Quem sabe no amanhã vindouro
Suspiro, por todas as cores
Por todo o amor
Que possamos vivenciar.

Tonho Tavares.

     = VIDA E SONHO =

         Por favor, feche o teus olhos
Sinta a suavidade da brisa que o teu corpo sopra.
Acariciarei o teu rosto com as costas das minhas mãos
ásperas do trabalho árduo do dia a dia.
Roçarei os meus lábios, bem de leve,  pelo teu pescoço.
Sussurrarei meus muitos desejos em teu ouvido.
Se houver em tua pele o arrepio, aconchegar-te-ei em meus braços
Buscarei os teus lábios e num louco desejo, beijarei a tua boca.
Daremos uma pausa para mundo.
Seremo-nos eternos, ainda que por segundos
Pois todo o tempo será pouco para nós dois.

Tonho Tavares

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

      - QUEM SABE UM DIA =

Quero um dia...
De magia.
De alegria.
De amor livre sem pecado.

Um dia...
De beijos puros e profanos.
De passeios de mãos dadas.
De sorvetes e pipocas.
Que importa o ontem ferido
Ou o amanhã em suas incertezas
Se o que nos completa é o agora para amar.

Um dia...
De linho, cetins e veludos.
De banheira cheia de espuma.
Catre macio.
Rolar pelo tapete
Desvairando em desejos
Fazermos amor sem falsos pudores.

Quem sabe neste mesmo dia
Sair para o campo
Tomar banho nus na cachoeira.
No ápice do gozo gritar sem receio.

Se tudo isso for muito
Contento-me em ir para a casinha branca...
Deitar com você na rede.
Cantar ou recitar para você um poema.
Assistir o sol se descambar por detrás dos montes.
Ver a lua cheia clareando toda a mata
fazendo as águas da cascata em prata.

Carregarei você para a cama
Beijar-te-ei ate que nossos corpos se inflamem
Faremos amor ate adormecer dos desejos.

Quem sabe, um dia?

Tonho Tavares
         = PERMITA-ME =

Permita-me deitar em seu colo?
Estou sem solo.
Carente e ausente de mim!

Sou velho.
Sou menino
Estou planta ressequida
A beira da estrada.

Meu corpo, já não traz a mesma vitalidade de outrora.
Às vezes eu rio, outras vezes, eu choro.
Sou eu o mesmo
do ontem e do agora.

Permita-me deitar em seu colo
Estou sem solo
A espera de você.

Você penetra em sonhos...
Com graça, estende-me as suas mãos
Ergui-me com carinho
Desliza os seus dedos pelos meus lábios
e num silêncio angelical
Beija com ternura a minha boca.

Levo as minhas mãos ao seu rosto
Acaricio!
Mergulho-me em seu lindo olhar
Desvendo os seus mais secretos desejos
Repito o beijo
Saudades sem final!

Permita-me deitar em seu colo?
Encontrarei o meu solo
Amor perene e sem fim.

Tonho Tavares

    = VEREDAS DOS SONHOS =


Espalha-te pelo corpo meu!
Pelos poros brotam todos os desejos.
A doce insanidade o meu ser domina.
Eu perdido, eu querido, eu amado!

Serei de ti o pequeno arroio
 Cujas flores
Ali nascidas
O teu coração venha a encantar.

És de mim o bálsamo que faz sarar as dores da razão.
De formas variadas eu a vejo.
Em todas elas, és a linda fonte que minha sede sacia.

Fecho os olhos
Meus sonhos ao teu encontro levam-me.
Entrego-te uma rosa vermelha perfumada
Inevitáveis são os beijos.

Como desejo passear
De mãos dadas,
Em um tempo qualquer
A um lugar, lugar qualquer
Isto não importa!
Quando se ama, tudo e tudo se tornam encantado.

Perdoe-me poesia...
Margeio-me pelo amor que me habita!
Enveredo-me em quimeras
Despertando os sonhos.
Quem sabe um dia... quiçá!

Tonho Tavares.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

    = ESPERO-TE MULHER =

Espero-te...
Mesmo que você não me tenha muito amor.
Mesmo quando no céu não mais brilhar a lua e as estrelas.
Mesmo quando a dor da saudade me fizer escrever-te tristes versos.
Mesmo quando minha alma desnuda chorar
E o outono doar todas as folhas ao impetuoso vento.
Mesmo que a primavera venha sem flores orvalhadas.
Até mesmo, quando meus lábios ressequidos não mais cantar a nossa canção.
Mesmo que em seus sorrisos não mais exista o brilho de mil estrela.
Eu a espero.
Venha, venha mostra-me o sol desvairado
Leve-me a fonte, que embebeda-me de sonhos
Não é nas adversidades que perecemos em amor
Amor é forte como a rocha
Sensível como seda
Suave com a brisa que vem das cachoeiras
As vezes amargo como fel.
Não importa!
Mesmo assim, por ti, mulher dos sonhos meus, eu esperarei.

Tonho tavares.

   
 = EU A SUA ESPERA =

        Venha!!!
Estou a sua espera...
Plantarei as mais lindas flores
para enfeitar a sua chegada.

Serão, rosas, orquídeas, flores silvestres
e alguns vasos de amor perfeito.
será feito...
será perfeito!

Pedirei aos anjos
naquela hora
que desatem a grande cortina negra da noite.
Que esparramem milhares e milhares de estrelas
pelo imenso céu que escolhi para você.

Uma lua enorme
quem sabe cheia
a iluminar os nossa noite de desejos.

Venha!!!
Não estou a mercê do acasos
faremos do amor o mais lindo caso
deste nossos mundo bordado
em um imensos e eterno jardim.

Tonho.
                          

            = REFLEXÃO =

Silencia o tempo...
No coração, todos os sentimentos
Frívolos pensamentos.

Segue a trilha
Terra alagada
Mata a sede,
Água de enxurrada.

Envelhecidas e desesperançadas crianças...
Choram!
Somos ou não os culpados?
Pais em desespero...
Deus questionado
A tudo eu assisto!
O coração triste, a inutilidade, a impotência,
tão pouco posso!

Onde esconderam os sorrisos deste povo humilde e pequenino?
Certamente, em palácios e mansões dos corações em ostentação e poder.
Não me omito...
Quem sabe, a parte que a mim cabe!
Vivo minha religião e me esqueço do religioso que em mim habita.  

Comemoro com pompa, o nascimento do Menino Jesus.
Ignoro aos milhares de filhos de Deus que nascem em miséria, sem berços, quem sabe, sem manjedoura, nas esquinas da vida.

Tonho Tavares.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

     EU SONHO.

E a luz penetrou em meu quarto.
Acariciou meu corpo
Perfumando a madrugada.
A lua, por sutileza, por entre as nuvens
Escondeu-se.

Fiz-me vento.
Varri nuvens, poli as estrelas
Brinquei de esconde, esconde, com a lua
Gaiteei com os anjos.
Viajei pelas mais lindas paisagens.
Com as sereias explorei
As profundezas do oceano.

Bebi água, da mais límpida,
Das fontes.
Colhi com os meus olhos,
Das mais raras, as mais singelas
das flores.
Visitei o lago, cujas águas
Exibiam as estrelas e a majestosa lua,
Tal e qual uma bela tela pintada.
Subi a colina,
Bem no topo do mundo
Gritei o seu nome.
Viestes em meu socorro
Como brisa fria da madrugada,
No meu peito atracou-se
Afastando-me da solidão.
Abri os meus olhos
Beijei a sua foto que ao meu lado sorria.
Tu és a luz, que me envolve,
Que me aquece,
Que me arranca sorrisos,
Quando me sinto na solidão.
Meus olhos se alagam
Tudo é saudade.
Sou real, todo seu,
Você é sonho, todo meu.

Tonho.
         = POR VOCÊ =

  Estou a mercê do amor
Sussurros ao vento
Lamento, busco e não me contento
Eu quero você!

O amor não se faz com o tempo
É um doce tormento
Entorpecente do corpo
Que a alma faz renascer.

Estou a mercê do amor
Venha... a noite já se faz calada
A lua a espreita
Espera a sua chegada
Este coração  pede por você.

Estou à mercê do seu amor
Por favor... não me deixe ao acaso!
Meu corpo sedento em brasas
Há muito esperando por você.

Tonho.
        = SUSPIRO =

Suspiro...
Respiro devagar para não me sufocar.
Cheiro de amor no ar.

Busco um canto
Quem sabe um encanto
Nas entrelinhas do tempo
Contento-me apenas em amar.

Suspiro...
Não me a tenho...
Busco o preto e o branco
Tropeço nas cores vivas do grande sentimento
Que distraído, as deixei jogada pelo chão.

Suspiro...
Loucura, razão, desejo
Não informo
Formo, sofro e choro
Perco-me nas reticências sem acasos.

Suspiro...
Quisera eu enfeita as suas amanhãs
Transbordar de recordações saudosas o seu ontem.
Desenhar em seu rosto, a cada manhã, o sorriso de mulher
que por toda noite fora amada.

Suspiro...
Suspiro pelas lágrimas que deseducadas se atropelam em meus olhos regando o solo.

Quem sabe no amanhã vindouro
Suspiro, por todas as cores
Por todo o amor
Que possamos vivenciar.

Tonho Tavares.
     = HOJE EM PENSAMENTO =

Por favor, não queira moldar-me!
Nem mesmo mudar-me.
Sou o que sou
Pedra dura polindo ao tempo.

Nasci livre
Imperfeito e com alguns acertos
Sou imutável, como imutável é o amor.

Do amor, eu não trouxe a sua beleza
Desfruto das suas inesgotáveis riquezas
Tenho sede de amar.

Amo a vida
As pessoas
A natureza
Os animais

Sou virtude
sou defeito
sou feito e desfeito
Sou um ser humano perfeito.

Na felicidade, sou livre, como livre é o condor
Canto, solfejo, assobio, grito
Sou suave como o silêncio.

Nas tristezas...
Tristeza... Acho que não a conheço
Talvez, momentos diferentes
Onde eu choro, oro,
Em Deus e nos amigos me consolo.

Viver em você...
É viver dupla alegria
São as minhas e as suas
é viver em harmonia.

Seus problemas, sua cruz, seu calvário
Dividimos o peso na caminhada
Tornando-se suportável a escalada.

Felicidade é como flores em meio as pedras
Só as contemplam, aqueles que sabem procurá-las.

Amo vocês mulheres
Fêmeas adoradas, que devem sempre ser amadas...
A cada amanhecer
Ao anoitecer
Ao contemplar das estrelas, da lua...
Nas noites frias de inverno
Amar a cada momento
É tão forte, é tão mágico.

Você que sabe amar com os olhos
Encanta-me
Encontro neles, a chamada do amor.

Amo você...
Que segura as minhas mão
Que desliza os lábios pelo meu rosto
Que abraça-me com sabor de mil desejos
E trás no beijo todo encanto dos sonhos.

Amar você a cada momento
Nas noites cálidas de amor infindo
Ou simplesmente, amar, amar e amar.


Cultive-me com carinho
E colherei em você as mais lindas flores
Mas por favor...
Não me molde
Nem mesmo me mude
Se isto acontecer, com certeza
Terei o meu “Eu” em pedaços
não me terá por inteiro.

Tonhotavares

terça-feira, 18 de outubro de 2016

     = AMOR SECRETO =

Na vida,
não há nada mais sofrido,
Que um amor entalado,
Escondido.
Que grita, reclama
E não é liberto.
Amor secreto,
Concreto,
Que respira, que transpira.
Que lateja na alma.
Que invade os sonhos.
Que ilumina ou escurece os nossos dias.
Quando estamos acompanhados
de nós, ele fere o coração.
As lágrimas fazem fila
Meio que deseducadas
Atropelam umas às outras.
Estreitam o ambiente
Massacrando o corpo.
Torturam a carne,
Matando-nos a cada segundo.
O amor é animal selvagem,
Indomável,
De asas, alado.
Não nasceu para o cativeiro.
Não se adestra.
O amor gosta de banquete,
Não vive de migalhas.
O amor livre encontra-se com a felicidade.
Amor reprimido, fica a dor da saudade.

Tonho Tavares
     = VOCÊ E EU =

Quero ser poesia!
Mergulhar em versos,
Passear pelo universo
Do realismo ao sonho.

Atravessar o oceano,
Viajar em alento,
buscar a cada momento
a magia do amor.

Irei à ilha encantada!
Eu, poesia molhada,
Serei enxugado por você, menina,
Com a toalha macia do teu corpo despido.

Ilha de estrelas, de luar, de sol irradiante.
Mundo de sonhador,
recheado de encantos.

Sob o luar, você,                                                                                       nua como uma deusa,
 enlouquece-me com a sua beleza.
Pobre, eu poesia colho estrelas,
faço pra ti uma grinalda de brilhos.
Busco os mais perfeitos raios da lua,
teço como um artesão
um lindo e prateado véu pra ti.

Abraçamo-nos em encantado leito.
Lábios e corpos em fusão,
Eu poesia, você canção.

Tonho Tavares
   = AMOR EM DEVANEIO =

Venha comigo, vou levá-la
ao mundo de sonhos.

No primeiro raio de luar
faremos a nossa escalada.
Brincaremos de roda com as estrelas.
Sobre a lua dançaremos de rosto colado.
Som, apenas o do amor no pé do ouvido solfejado.
No final do bailar, um beijo louco e molhado.
Beberemos, lá em cima, poesias mil,
que os loucos e apaixonados poetas,
caprichosamente deixaram-nas por lá.
Desceremos na grande colina
Lá, encontraremos numa pequena casinha,
onde a lua, por detrás estrategicamente, faz a sua retirada.
Tem um quarto simplesinho.
Uma pequena cama,
Uma mesa.
Duas cadeiras.
Dois criadinhos.
Nas janelas,
singelas cortinas de renda
branca, amarelada pelo tempo.
Um tapete de retalhos esparramado pelo chão.
Um cabide na parede...
Pra quê?
Roupas rolaram pelo chão.
Amor desvairado, feito , perfeito.
Corpos suados.
Abrimos à janela.
No horizonte a noite se desfaz da negra cortina.
Sorrindo, o raiar do sol nos convida
a mais um dia de amor.
Será a eterna felicidade!

Tonho Tavares

terça-feira, 11 de outubro de 2016

    = PARA VOCÊ MULHER AMADA =

Não é preciso de um milhão de desejos...
Milhares de beijos...
Para sentir o quanto eu te amo.

Mesmo que...
As nuvens escuras
Oculte o sol em sua exuberância...
Que as estrelas, (por desencanto), desnudem dos seus brilhos...
E as longas madrugadas padecidas em lágrimas marcarem presença...
E as manhãs mal amanhecidas despertarem sem flores...
Ainda assim eu a amaria.

Para você...
Poliria a cada uma das estrelas
Retirando delas os seus mais lindos brilhos.
Pintaria o céu com as cores do arco-íris.
Desenharia o sol em seu poente
Desvairando por detrás do mar.
Faria de todas as madrugadas fagueiras.
Plantaria as mais lindas flores debaixo de sua janela
Dentre todas você seria a mais bela.

Quem sabe um dia
Numa breve momento
Eu, de amor sedento
Declamarei para você estes versos.
Venha meu amor sonhado
Farei de te a minha mulher amada.

Tonhotavares
     = VOCÊ E EU =    

Quero ser poesia!
Mergulhar em versos,
Passear pelo universo
Do realismo ao sonho.

Atravessar o oceano,
Viajar em alento,
buscar a cada momento
a magia do amor.

Irei à ilha encantada!
Eu, poesia molhada,
Serei enxugado por você, menina,
Com a toalha macia do teu corpo despido.

Ilha de estrelas, de luar, de sol irradiante.
Mundo de sonhador,
recheado de encantos.

Sob o luar, você,                                                                                       nua como uma deusa,
 enlouquece-me com a sua beleza.
Pobre, eu poesia colho estrelas,
faço pra ti uma grinalda de brilhos.
Busco os mais perfeitos raios da lua,
teço como um artesão
um lindo e prateado véu pra ti.

Abraçamo-nos em encantado leito.
Lábios e corpos em fusão,
Eu poesia, você canção.

Tonho Tavares
          = AMOR ATREVIDO =


    Veio pedir o meu amor?
Por favor... Pense bem!
Dele, não tenho nada a me orgulhar.
É muito atrevido, ele agarrara, afaga
e faz coisas que até Deus duvida.

Adora dar flores, dizendo-as “compradas”
Vai saber...
Invade o céu com um grande cesto,
colhe estrelas,
apanha sem permissão os raios da lua
e lhe entrega fazendo-se poeta.
É passageiro clandestino
que viaja às escondidas nas asas do sonho.
É ele, o exímio penetra
Rouba a alma
E como sem-teto
Apossa-se do seu coração.

Se o levar, vai se arrepender!
Sossego não mais terá.
Roubará a suas roupas
Derramará o teu suor,
Fará você gemer de prazer.

E para terminar, pense mais uma vez,
Ainda é tempo de desistir!
Ele adora atacar de madrugada...
Anestesia a sua alma,
enquanto você dorme
E rouba o seu corpo.

Se mesmo assim, depois de tantos defeitos
eu ter-lhe contado,
Ainda assim o quiser, lamento,
mas o que posso lhe dizer?

Vocês se merecem!
 
  Tonho Tavares"

segunda-feira, 10 de outubro de 2016



PERFIL:

Antônio José Tavares nasceu na cidade mineira de Bom Sucesso aos dezenove dias do mês de fevereiro do ano de 1954. Na literatura Antônio Tavares é autodidata, assim como o seu pai, Senhor Raimundo José Tavares - codinome Rajota – que, apesar de pouco estudo foi professor de português, latim e francês e teve vários trabalhos literários também publicados em jornais (nos municípios de Patos de Minas e Divinópolis – MG), além de ter ocupado o cargo de Redator chefe jornal Agora, postando também, nos jornais, juvenil, Folha Diocesana de Divinópolis – MG.

A primeira obra literária de Antônio Tavares foi um romance intitulado “TRAJETÓRIA” publicada no ano de 1999. E, ao mostrar para o seu pai o ‘rascunho’ deste romance o mesmo lhe disse: “Não devemos guardar somente para nós, aquilo que criamos”. Este romance relata a ‘trajetória de um adicto em bebidas alcoólicas’.

Sua primeira poesia foi escrita na fase da maturidade, aos 48 anos de idade, e nesta época teve como ‘crítica literária’ a jornalista e escritora da Academia de Letras de Belo Horizonte – MG, Dora Tavares, sua irmã, que ao avaliar tal poema disse-lhe: “Gostei, siga em frente”;

A partir de então nasceu o escritor (romancista, contista e poeta) ‘Antônio Tavares’, que, seguindo as primeiras orientações de seu pai publicou várias poesias e alguns contos, inicialmente no Jornal “Jornal dos Municípios ” – MG para depois, ter sua escrivaninha no site Recanto das letras e, agora se prepara para lançar seu primeiro livro de poesias, ainda em fase de produção literária.

Falar do Poeta Antônio Tavares, não é tarefa fácil em razão de sua expressiva sensibilidade criativa; Para compreender a sua obra é preciso antes conhecer o ser humano detentor de um coração generoso e sempre disposto a servir e amar ao próximo.

Antônio Tavares, ou Tonho Tavares (como se autodenomina) é uma pessoa de hábitos simples, porém versátil, comunicativo que, consciente do seu papel de cidadão integrado na sociedade, realiza trabalhos voluntários de cunho assistenciais aos dependentes químicos e aos alcoólatras a várias instituições filantrópicas.
       
Dentre elas podem ser citadas: "Casa Dia" e "Ampare", ambas em Divinópolis-MG e ainda a "Casa de recuperação Beija Flor" na cidade mineira de Oliveira.

Este trabalho - desenvolvido há 27 anos - por meio de palestras, aconselhamentos e ou de assistência às casas destinadas a apoiar esta triste realidade social que carece de assistência econômica, de políticas governamentais no campo da saúde pública, nasceu de sua própria história de vida.

Aos 15 anos de idade tornou-se um dependente alcoólico pelo ‘uso e abuso’ desta ‘droga’ - conforme definição dada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) - embora lícita em vários países, inclusive o Brasil – e trouxe-lhe tristes consequências apesar da experiência concreta e dolorosa tê-lo conscientizado da importância de reconhecer que quem faz ‘uso e abuso do álcool é considerado um doente - também pelo comitê científico da OMS* – e por isto deve ser tratada vez que, há caminhos, salutares, na luta contra esta doença.

Assim, aos 31 anos de idade conheceu o grupo denominado Alcoólicos Anônimos (AA) através do ‘Meu saudoso amigo, Omildo Veloso que me encontrou no fundo do poço e não desistiu de mim’ e lá após aprender que “o nada é um ponto de partida para tudo que possa e queira ser modificado” passou a desenvolver os trabalhos voluntários acima citados e ainda hoje frequenta o AA.

Como poeta e escritor, sua obra num primeiro momento expressou os dissabores enfrentados pela sua ‘dependência alcoólica’ e posteriormente influenciado pela resistência e  controle desta dependência evoluiu o seu ‘olhar interno’ e reaprendeu a ver, sentir, respeitar e admirar os gestos humanos e as cenas cotidianas.

E como bem definiu a grande e saudosa poetisa Petrovana: “Teu perfil arrepia a alma de quem o lê e traduz! Alma poeta que um dia largou sua cruz! No presente ele te dá à magia [...]; Sem muito estudo denota um ‘cantador do amor’; Um grande poeta nato, que nunca esmaeceu!”.

Sim, é verdade! O poeta Antônio Tavares concluiu, no ano de 1967, apenas o ‘curso primário’ tendo estudado no Grupo Escolar Protásio Guimarães e posteriormente na Escola Estadual Oficial Benjamim Guimarães. E, ainda, nos dizeres da poetisa citada “Tua faculdade é tua alma e a poesia é o teu amor”!

Ninguém melhor do que o nosso querido ‘Poeta Tonho’ para traduzir-se enquanto ser humano e poeta! Então, apreciem:

“Um dia encontrei amigos que me disseram que dentro da minha carcaça inútil, existia um homem capaz de reescrever a sua história. Por incrível que pareça, comecei a acreditar na vida. E, uma luz tímida, mas constante, deu-me novas esperanças! Hoje não me envergonho mais de ser quem eu sou. A bebida, agora faz parte de um remoto passado. Toda esta experiência vivida delegou-me o direito e a obrigação de tentar ajudar aqueles, que como eu, um dia, fiquei detido no caos! Hoje, sou imensamente feliz e me tornei produtivo e amoroso!  Hoje, sou poeta"!

Bem vindos à escrivaninha do
Poeta Antônio Tavares,
ou Poeta Tonho!

(Tonho Tavares  toninhotav@hotmail.com)


Agradeço a grande poetisa Liliane Prado, residente em Goiana, por ter confeccionado este perfil para mim. Obrigado minha querida amiga, que Deus lhe abençoe sempre!
     = A TRILHA =

Sou a trilha que segue...
Desnorteio... aliso, deslizo, tropeço.
Em quedas... com coragem reergo-me.
Evolvem-me...  as cores e os amores.
Curvo-me... as canções, orações e os versos.
Olhares maliciosos, entre frestas,
fascinam-me!
Não me importa onde devo chegar
Chegada e saída, com certeza, é o mesmo lugar.
Fortaleço-me com as agruras e grosserias
do tempo.
É “Dele” que extraio e absorvo o amor verdadeiro.
Olho para trás...  o passado é tão real quanto os sonhos
Existem, com certeza, nas lembranças.
Sigo em frente, traço rastros.
O futuro é uma incógnita...
Atrai-me, aguça os meus desejos.
O materialismo é carga pesada.
Sou levado pelos sentimentos.
Fico leve, voo a favor do vento.
Milhares de trilhas se cruzam...
Caminhamos juntos um bom tempo
Alguns se perdem, ou completam seu destino.
Vou adiante, só Deus sabe onde devo chegar.


TONHO TAVARES
        = MEU CORAÇÃO =
Meu coração verseja
na amplitude das quimeras.
Em berço de poesia Ele repousa.
Costura, remenda sonhos quebrados
destila da alma a tinta
colori a vida.
Para o amor "Ele" constrói lindas passarelas.

Tonho Tavares.
       = AMAR AMANDO =

Amar é se doar.
É saber entender o significado de cada toque.
É não medir e nem ocultar as frases que hão de vir do coração.
É saber decifrar o brilho e a maneira do olhar.
É realizar cada desejo do corpo ou respeitá-lo.
O caminho do coração deve ser simples e curto.
É nunca fazer do beijo uma rotina ou obrigação.
A cada abraço, a cada beijo, sejam ternos como se fora o primeiro.
Nunca desperdiçar os momentos de desejo e se entregar por inteiro.
Amar, simplesmente amar, é como formar um imenso e lindo jardim e não desfrutar de cada broto nascido, cada folha nova, cada botão, cada desabrochar da flor, é passar por despercebidos pequenos e importantes momentos.  
O amor para ser eterno há de se cuidar, meticulosamente, do corpo e dos sentimentos.  


Tonho Tavares. 

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

         = A ESPERA =                                    
 
    Venha amor...
A noite já se faz caída.
A lua as estrelas
 esperam a sua chegada.

Ah!!!. se eu fosse de você...
Pelas mãos eu a conduziria
beijaria de leve os seus lábios
dançaríamos ao brilho das estrelas.

Nem a lua ou a noite de estrelas
nem mesmo o mar, todo iluminado
seria tão enfeitado quando o amor
que jorra pelos nossos corpos.


Nossas almas, com certeza, se alimentaria
desta exuberante noite de amor infindo.
um beijo carregado dos mais puros sentimentos
provocariam os mais latentes  desejos.

Despediríamos, da noite, da lua e das estrelas.
Em algum lugar, aos beijos, cada vez mais loucos
profanos, que sabe um pouco
numa paixão sem fim.

Venha....
Não me cansarei da espera
quem saber serão só as quimeras
de um alguém que vive em busca de ti.

Tonho Tavares.
       = SAUDADE =  

   Vai saudade...
Faça de mim o seu desafeto.
permita que o meu coração em paz se aquiete.

Vá...
Leve os seus pertences
são deles que vem o meu desalento.

Retire a tristeza
a dor que minha alma dilacera
recolha as minhas lágrimas
que por sua culpa foram derramadas.

Vá... vá... vá!
Mas por favor, não deixe este vazio que coroe o peito
na dor do abandono.
Não recolhas os beijos que no silêncio
tornaram-se eternos.
Deixe que eu reviva as noites de amor
quando nossos corpos se completavam
transportado-nos a um plano encantado.

Perdoe-me saudade!
não posso me separar de ti
és um caminho andado
em vários portos atracados
numa odisseia
de amor.

Saudade é viver o sonho...
do passado
do presente
e do tempo que ainda não chegou.

Por favor, fique comigo saudade
nossas vidas são um entrelace.
Sofro por ti saudade
Sofrimento maior é não viver uma saudade. .

Tonho Tavares.
Boa tarde a todos!

                 = O silêncio =


Esta noite o Silêncio bateu a minha porta.
Eu, vencido pelo cansaço, meio que deseducado,
não o convidei a entrar.
Fui ao chuveiro deixando que as águas corressem em abundância
pelo meu corpo,
olhei as minhas mãos, calejadas e maltratadas pelo árduo trabalho.
Senti-me tão frágil, tão carente, tão só...
Quando ultrapassamos o limite do corpo, perdemos, em parte, a razão.
Saí do chuveiro, vesti uma bermuda, coloquei a toalha em torno do pescoço, atirei-me na poltrona.
Eram tantos os pensamentos que se misturavam transformando-se em um só vazio.
Novamente, o Silêncio bateu a minha porta.
E aí?
Que importa? Os meus pensamentos estão confusos,
não me custa abrir a porta e conversar, ainda que por um curto prazo, com o ilustre visitante.
Entre e se acomode.
 Saiba que hoje estou má companhia.
Se você veio a compartilhar de meus sorrisos ou ouvir as narrativas de meus sonhos e devaneios, devo decepcioná-lo. Toda a minha essência e o que havia de melhor esvaíram-se, restando em meu ser, o conflito.
 Você veio trazer-me alguma mensagem ou simplesmente velar o meu sono?
Ele, o silêncio, sutilmente invadiu-me a alma, organizou os meus pensamentos, acariciou-me no mais profundo de meu ser.
Meu Deus! Estou despindo-me do cansaço!
Novamente estou pronto a sorrir, cantar, brincar e sonhar.
Diga-me meu amigo Silêncio: Você é Deus ou um anjo por Ele enviado?
Ouvi pela primeira vez a voz suave como pluma, refrescante como a brisa que enfeita as madrugadas. Era, com certeza, o Silêncio.
Com toda meiguice disse-me ele: _ Filho, eu não sou Deus, nem mesmo um de seus anjos. Sou o Sopro Divino que vem para aliviar as feridas, amenizar o cansaço, retirar as agruras e os problemas que lhe são impostos pelo tempo.
 “Venha! Dê-me a sua mão, olhe os feitos seus, veja como ficou bonito, contemple a felicidade que é causada, aos outros, pelo fruto de seu trabalho. Deus, em sua infinita bondade, fez de Seu sopro o lenitivo da vida, demonstrando que o Silêncio não é a ausência do barulho, mas o colo que embala o sono, sono que desperta a vida, vida que busca os sonhos.  Deixe sempre a porta do seu coração aberta, facilite o simples  caminho que leva ao seu ser. Aquiete o barulho que você mesmo se permitiu a entrada, deixe que eu, o Silêncio, habite a sua alma. Felicidade, paz, sabedoria e amor, só podem ser advindos de uma alma pura e silenciosa. O barulho é a invasão dos impuros sentimentos que se debatem entre si em busca de poderes destrutivos impondo a fragilidade, a carência, a solidão e outros tantos maus sentimentos que nem merecem ser citados. Eu sou a voz oculta de Deus que pode ser ouvida pelas almas que Nele crêem.“
_ Obrigado, meu amigo! Estou a descobrir, com clareza, que em minhas mãos, os calos e os maus tratos são apenas a constatação de trabalhos dignos e honestos realizados. O cansaço não é nada a mais que a coroação da vitória merecida de cada dia. Obrigado Senhor Deus, ainda que eu não possa sentir o toque de suas mãos, nem mesmo o som de sua voz, sinto através do Silêncio, a força vivificante de Sua benção.   


Tonho Tavares.




terça-feira, 4 de outubro de 2016

                = QUER SER MEU AMOR =                        

             Amar é derreter-se a cada toque
É flutuar a cada beijo
Sentir o corpo doer de desejos
No linear  da paixão.

Ah...
Como eu gostaria de fazer-te feliz!
Dar-te o meu coração para o repouso da tua alma
O meu colo nos momentos em que tu anseias por carinho
O meu quarto, o aconchego do nosso ninho.

Se tu me queres com amor
Faça-me teu companheiro...
Amante, amigo
Entregue-me todos os teus sonhos enternecidos
E serei para sempre o teu bem querer.


Tonho Tavares.
         = MINHAS MÃOS =

Mulher amada...
Toque as minhas mãos
Ousa o que “Elas” dizem...
Não as julgue pela aparência
calejadas, até mesmo maltratadas.
São capazes de revelar minha caminhada através do tempo.

Foram forjadas ou moldadas pelos anos já vividos
Não conheceram a maciez
da fina pele dos homens, pelo dinheiro, enriquecidos.

Quando estão “Elas”, ao comando do corpo
são duras como a rocha
funcional como uma máquina
capazes de transportar, moldar, criar, ou apenas auxiliar.

Não as julguem...

Quando são manuseadas pelo coração
podem ser suaves como a brisa.
habilidosas, carinhosas, levando-te ao delírio.

São “Elas” que escrevem as belas coisas da vida
Adoram enluarar-se, sentir o sopro macio da brisa
ofertar flores
 carregar-te para cama
percorrer todo o teu corpo.
Ficam leves, suaves, tal e qual uma pluma.

Elas também registram os versos,
Que em minha alma repousam.
A cada calo, cicatrizes , que permanecem
muito me orgulho!
São “Elas” as minhas companheiras
tanto na aspereza da pedra
quanto no deleite do teu corpo, mulher
nas nossas noites de amor.

Tonho Tavares.
                              = TE AMO =

                 Quero o teu colo...
Sentir as tuas mãos deslizando pelos meus cabelos.
Ouvir a tua respiração ofegante que pede por beijo.

Ah... Mais como eu quero!

Que sabe numa noite linda
De luar, de estrelas cadentes
Com todos os adornos que envolvem os românticos namorados?

Serão, com certeza, os nossos beijos
A incendiar nossos corpos
Na doce tormenta do amor.

Sabe amor meu...
Não importa se esta noite for chuvosa
Ausente estiver a rosa
Dia ou noite
Versos e prosa
Nada importa!

Seremos dois corpos a se amar
Num único coração a pulsar
Rompendo o silêncio que grita
O grito...
Te amarei eternamente!!!

Tonho Tavares.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

          = SONHADOR =      

Ola!!!
Permita-me conduzi-la?
Levar-te-ei aos mais lindos lugares que reservei para ti.
É tão lindo, que só é visto a dois.

Dê-me as tuas mãos...
O caminho é longo.
Tão longo quanto à vida.
Verdadeiro como o olhar apaixonado
Sólido como o beijo.

Na partida...
Recitarei a ti
um verso de amor.
Se em tua alma, eu sentir o arrepio
E o meu corpo for apertado contra o teu
Carregar-te-ei em meus braços
Até a verde campina do amor.

Em verde relva, adornada de flores
Na sombra fresca do ipê
Acariciarei o teu corpo
Esparramarei beijos miúdos pelo teu rosto
Contemplarei os olhinhos teus
 se fechando, como o mais lindo por do sol.

Prosseguindo...
 A noite já chegada
Buscaremos o ponto mais alto do mundo
Seremos, eu ,tu e a lua
Falar o quê?
Os nossos corações falaram por nós.

Cantaremos em dueto uma canção seresteira
A lua, com teus lindos raios prateados, abençoará as nossas vidas.

Se ainda permitir-me, adentraremos em minha alcova
Ali, a lua fará a tua despedida.
Será uma noite inesquecível de amor.
Perdoe-me...
Sou em parte, desejos
O todo, quem sabe..?
Um maluco sonhador.

Tonho Tavares.
    = PARA VOCÊ =

Empresta-me...
...o teu sorriso
...os teus carinhos
...os teus braços, abraços
...o teu corpo e coração
Por um tempo sem final?

Dar-te-ei por troca...
Milhares de beijos molhados
Levarei o teu café da manha
Na cama
Com flores e beijos
E muitos desejos.

Iremos juntos ao chuveiro
Revestindo-nos em louco desejo
Num ritual santo e profano
Numa  total entrega.

Juntos, viajaremos nas asas insaciáveis da paixão
Repousaremos no ninho do amor
Onde tudo se permite
E a alma fica cativa.

Empresta-me?
E eu me doarei por inteiro.

Tonho tavares
    = QUEM SABE UM DIA =

Amor...
Em meus braços eu quero tê-la
Sentir tua macia pele deslizando sobre meu corpo nu
Teus lábios ardentes de desejos, sobre os meus
Farão rastros
Numa noite cálida, ornada pelos deuses da paixão.

Pelo chão, roupas em peças, esparramadas
Cama em completo desalinho
Nós, neste quase selvagem sentimento
Na loucura do momento
Fazendo, querendo, inventando, descobrindo
O apogeu do amor-paixão.

Ah! ... Como sonho em tê-la!
Por inteiro
Sem reservas
De corpos e almas despidos.

Em breves momentos de descansos
Tua cabeça em meu peito
Ouvindo, com as tuas mãos sentindo
O chamado do amor.

Que sabe agora...
Por estes dias...
Numa destas noites lindas de luar
Possa acontecer?

Será das noites
a primeira
com certeza, a mais bela
que o momento revela
Todo o amor que sinto por ti.

Tonho Tavares.