sexta-feira, 10 de junho de 2016

      = VOCÊ O AMOR E EU =

De repente...
O mundo vazio ficou.
Em todas as direções eu olhava
E só, eu estava.
O estranho som
Confundia-me.
A lua e as estrelas brilhavam como nunca...
Brilho frio.
O sol veio ao seu tempo
Brilho intenso
Sem calor
Sem frio
Sem vento.

As flores de formatos lindos, apáticas,
Sem perfumes
Sem graça
Sem cores.

Meu coração estava fértil
E baldio.
O corpo sem suor, sem cheiro.
Tempos difíceis
Sem dor
Sem cócegas
Sem amor.

De repente, uma explosão...
Acordaram a alma e o meu coração.
Quanto brilho, quantas cores, quanto perfume.
Você, vestida de branco, toda molhada,
Roupa no corpo colada
Revelava a beleza de uma nudez coberta.

Ajoelhei-me na relva, minhas mãos para o alto,
Agradecia ao Senhor!
Você chegou devagarzinho
Consciente, sabedora do que fazer.
Tomou-me pelas mãos, levantou-me.
Abraçou o meu corpo trêmulo.
Beijos, carinhos e abraços.
O mundo retomou toda sua exuberância
Perdida.
As pessoas encheram o planeta.
Mas, em nosso mundo lindo,
Ficamos você, o amor e eu.
 
Tonho Tavares