quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016


                                                             = COLO DE AMOR =

De colo eu careço.
Meu pensamento quer repouso,
os mais belos sonhos,
precisam ser massageados
sentir o meu corpo, transcendendo,
em busca do seu.

Colo,
é que nem poesia,
retira, lá do fundo, a alma,
e alimenta o amor.

Colo que se faz ausente.
Felicidade fica em semente,
aprisionados, os sonhos,
padecem.

Venha libertar os meus sonhos.
Juntos, cultivaremos as sementes.
Em grandes cachos, colheremos, 
a felicidade.   

Tonho Tavares