segunda-feira, 2 de novembro de 2015

   = VAMOS DANÇAR =

Irei buscá-la à noite
Estarei leve como um sonho
Nas mãos, uma rosa em botão
No rosto, um sorriso das manhãs de primavera.

Não lhe direi o quanto a amo.
O amor exalante da minha pele 
E o brilho do meu olhar
Irão de encontro aos mais profundos dos teus desejos.

 Sem palavras, dar-te-ei um longo beijo.
Pelas mãos, eu a tomarei
Até o grande salão iluminado pela lua
Adornado por lindas estrelas
Algumas cadentes riscam o cenário
Numa beleza sem igual.
Um violino tímido 
Entoará uma valsa de Strauss
Uma grande orquestra
Surgirá como por encanto
Tomando parte do encantado 
Momento.
Dançaremos como lordes
Final da noite
De volta a casa
Tudo na maior perfeição.
Na alcova
Sem requinte, sem glamour
Sem orquestra, sem lua e estrelas
Na penumbra do quarto
Roupas ao chão
Cama em desalinho
Nossos corpos suados
De excitação, enlouquecidos.
Momentos de pura paixão.

Tonho tavares.

           = AMOR ATREVIDO =
     
Veio pedir o meu amor?
Por favor... Pense bem!
Dele, não tenho nada a me orgulhar.
É muito atrevido, ele agarrara, afaga
e faz coisas....!

Adora dar flores, dizendo-as “compradas”
Vai saber...
Invade o céu com um grande cesto,
colhe estrelas,
apanha sem permissão os raios da lua
e lhe entrega fazendo-se poeta.
É passageiro clandestino
que viaja às escondidas nas asas do sonho.
É ele, o exímio penetra
Rouba a alma
E como sem-teto
Apossa-se do seu coração.

Se o levar, vai se arrepender!
Sossego não mais terá.
Roubará a suas roupas
Derramará o teu suor,
Fará você se desmanchar em prazer.

E para terminar, pense mais uma vez, 
Ainda é tempo de desistir!
Ele adora atacar de madrugada...
Anestesia a sua alma,
E rouba o seu corpo.

Se mesmo assim, depois de tantos defeitos
eu ter-lhe contado,
Ainda assim o quiser, lamento, 
mas o que posso lhe dizer?

Vocês se merecem!
   
  Tonho Tavares

domingo, 1 de novembro de 2015

  Este é o meu livro, crescentemente lançado. Se você quiserem ajudar-me comprando em exemplar, envie um e-mail: tonhotav@hotimail.com. É só mandar o endereço. Obrigado amigos, tenham um lindo dia! 
  
  = SONHOS INTERROMPIDOS =       

       O sol invadiu a minha janela. 
Subiu em minha cama e convocou-me para as obrigações diárias.
Por que agora sol?
Preciso dormir por mais um tempo.
Não é preguiça, quero esvaziar os meus sonhos.
Na noite de ontem eu estava deitado e junto comigo, a solidão.
Ela sempre vem devagarzinho, sutilmente invade o meu peito, faz-me um carinho. Nossa... e como é doloroso! Olha-me com certa tristeza e se instala bem no centro do meu coração. Ontem ela convidou-me para um longo passeio. Embarcamos no barco “ilusão”, atravessamos o mar das “angustias” e chegamos a uma ilha maravilhosa. Praia limpa, sol brilhante, cercada por coqueiros, além de muita gente bonita.
Eu estava desnorteado, sem carinhos, sem amor e invisível aos olhos de todos. Ao longe se ouvia uma música, para ser mais exato, um bolero de Ravel. Fui em direção aquele som. Ao chegar, admirei com tão lindo cenário!  Era um enorme salão de festas, ao centro, um grande candelabro com centenas de luzes, uma escada toda revestida de tapete vermelho e uma afinada orquestra. Sentei-me para admirar tudo aquilo. Naquele instante apagaram-se as luzes, um holofote girava pelo salão a procura de alguém. Aquela boa música enchia o meu coração de numa mistura de alegria e tesão. 
De repente parou o holofote...  Você, mais linda que nunca, se levantou vindo direto ao meu encontro. Meu coração queria saltar do peito. Suas mãos me foram estendidas, conduzindo-me ao meio do salão, começamos a dançar. Os nossos corpos pareciam levitar de tamanha era a leveza . Dançamos Ravel e terminamos com Gardel.
Fomos para o jardim.
A lua estava linda, mais parecia uma empresaria do amor. Dançamos ali de rosto colado, uma música, só nossa.  Minha vontade era beijar todo o seu corpo. Nossos olhos se cruzaram e um longo beijo foi inevitável. Sentimos os nossos corações baterem no mesmo compasso. Fomos para o quarto, você sentou-me na cama, pedindo para que eu a esperasse. Em pouco tempo você chegou, com uma camisola longa, preta, aberta de lado, suas pernas a amostra, uma verdadeira musa da sedução.  Fui ao seu encontro, beijei-a com loucura, carreguei você em meu colo, suavemente deitei-a na cama.
Abraçados fomos-nos despindo, até a nudez completa, beijando a sua boca, fui me deitando por sobre você, e... 
             Êita sol ingrato! Será que você nunca sonhou? não teve nenhum amor? Você chegou em péssima hora!
Nada me adiantou ficar na cama, este sonho não mais voltou.

Antônio José Tavares (tonho)
  

  = HISTORIA DE AMOR =

Conte-me uma história
Fale o que diz o seu coração

Não será por acaso, 
Se os meus olhos meio tímidos procurarem os seus
Se nesta hora a lua se fizer cheia
Quem sabe eu poderei o meu amor declarar!
Por favor, não se assuste
Serei abusado, e com certeza
Um beijo eu irei lhe roubar.

Se o seu coração sentir a magia do momento
Não o retenha
Liberte-o 
O coração se alimenta de amor.

Dê asas ao sentimento
Viva o amor intensamente
No agora, nesta hora
Quem sabe o amanha será tardio.

Venha... Estou a sua espera.
Encontrar um amor
É permitir que aquele alguém 
Ilumine os caminhos da alma.

Por agora...
...Venha contar-me uma história
Não deixe que o sentimento se perca ao vento
Amar é tão forte, tão divino
Que vencer as lâminas afiadas do tempo.

Antonio José Tavares. (tonho)
     =  CULTIVA-ME =

Cultiva-me com carinho...
Cultivando-me
Me cativas.
Serei o fruto do seu amor.

Aduba-me com o seu sorriso.
Irriga-me com seus beijos.
Para que o sentimento cresça,
dê-me a alto estima.
Colha-me com seus braços.
Saboreia-me com a sua boca.
Armazena-me em seu corpo
Alimenta-te do meu melhor
Quando de mim,
Nada mais restares
Recolha-me as minhas sementes
E cultiva-me novamente.

Tonho Tavares