quinta-feira, 9 de julho de 2015



EM BUCA DO AMOR.

Deite-se em meu colo,
Deixe-me fazê-la criança.
Cantarei, recitarei os mais belos versos.
Perdoe-me se, num cochilo ou descuido,
Os teus lábios eu beijar.

O amor quando é puro
traz consigo um coral e anjos.
Com harpas e banjos,
faz nascer, em tom suave,
a mais bela sinfonia.

Em meu colo,
você,
de olhos fechados,
lábios molhados,
coração em chamas, 
me chama,
às carícias do amor.

Juntos,
o céu e a terra se uniram.
O vento e o tempo,
como grandes anfitriões do amor,
sussurrarão em nossos ouvidos.

Não me perderei em devaneios.
Preciso urgentemente dos seus beijos,
do seu toque, dos seus anseios.
Serei tudo e mais,
quando o seu coração eu ganhar.

Tonho Tavares