domingo, 26 de julho de 2015



QUANDO O AMOR ACONTECE.

Quando o amor acontece,
Tudo é lindo!
Tem brilho no olhar
O corpo fica leve e
A pele sedosa.

Dá uma tremenda vontade
de reviver os musicais
Da Brodway,
Dançar na chuva,
Rodear o poste e
Sapateia na calçada
Sem se dar conta dos olhares curiosos.

A flor é comprada!
No cartão um breve:
“Te amo”.
Tornamo-nos felizes crianças.

Vamos para o espelho.
Procuramos detalhes no cabelo e
Buscamos o perfume favorito.
Fazemos monólogos, frases decoradas
Que nem sempre funcionam
Até mesmo os gestos são planejados.

Enfim, o encontro.
Ela linda, bem produzida,
Decote insinuante e
Lábios que prometem levar-nos ao céu.
A noite é memorável.

Depois da despedida,
De volta à casa,
Tiramos a camisa.
De olhos fechados, a cheiramos.
Do perfume aos suspiros,
Essência da saudade.

Antônio Tavares

RECONSTRUÇÃO.

De que é feita a tristeza, 
Que aperta a alma,
Sangrando como um pano de chão torcido?
 As luzes do mundo se apagaram. 
Coração agreste.

Infindável é a dor...

Lágrimas no travesseiro.
Os bons sentimentos,
Escafederam-se nas asas do momento.

E eu, pobre ao relento,
Alma despida, fragilizada.
Embevecida procuro,
Na solidão, o talvez.

O sofrimento convida à reconstrução.

Eu sobrevivente.
Sou gado de invernada
Pastando, pastando,
Sacio a fome,
Fortaleço-me,
Busco à aguada da vida.
Bebo sonhos
Transpiro esperanças.

Meu coração em aberto,
O amor virá! É certo!
Creio na vida após o desalento.

 Tonho Tavare


PARA VOCÊ MULHER SONHO.

Não é preciso de um milhão de desejos...
Milhares de beijos...
Para sentir o quanto eu te amo.

Mesmo que...
As nuvens escuras
Oculte o sol em sua exuberância...
Que as estrelas, (por desencanto), desnudem dos seus brilhos...
E as longas madrugadas padecidas em lágrimas marcarem presença...
E as manhãs mal amanhecidas despertarem sem flores...
Ainda assim eu a amaria.

Para você...
Poliria a cada uma das estrelas
Retirando delas os seuS brilhos.
Pintaria o céu com as cores do arco-íris.
Desenharia o sol em seu poente
Desvairando por detrás do mar.
Faria de todas as madrugadas fagueiras.
Plantaria as mais lindas flores debaixo de sua janela
Dentre todas você seria a mais bela.

Quem sabe um dia
Numa breve momento
Eu, de amor sedento
Declamarei para você estes versos.
Venha meu amor sonhado
Farei de te a minha mulher amada.

Tonhotavares

sexta-feira, 17 de julho de 2015

AMOR MEU.

O amor
traçou caminhos
Instalou-se bem quietinho
Neste coração meu.

Esparramei-me em versos
Convidei a ti
para um longo beijo
Para as caricias, certamente junto aos desejos
Numa história sem final.

Conquistaste-me com teu lindo sorriso.
Amar-te por toda a vida
É como um relâmpago
É tão rápido
É tão pouco
Diante do amor que por te, mulher, tenho guardado.

Se muitas vidas eu tivesse
Em todas elas amar-te-ia.
Só Deus sabe quantas e quantas vidas
Eu já vivi
Asseguro-te, que em todas elas eu te amei.

Encontrando-te agora
No crepúsculo dos meus dias
Que importância faz o tempo que passou
Se tenho-te por este dia.

Vejo-te em meus sonhos
Correndo nos campos floridos
Deitando a beira do lago
Nossos corpos, nossos abrigos.

Sinto o cheiro da tua pele
A fina lâmina penetrante do teu olhar
Despindo-me de corpo e alma
Venha logo amor meu
            Fazer de mim         
O teu cantar.

O vento que parte
Proclama em rima o nosso bem querer
Tombando docilmente a fina ramagem
Balançando as frondosas arvores
Em reverencia ao nosso amor. 


Tonho Tavares

SEREI SEMPRE APAIXONADO.  

  Ah!
Estes meus lábios insaciáveis
que existem em roubar-te
todos os beijos.
Este meu corpo que se consome
na ardência
possuído pelo desejo
busca a ti
minha mulher amada.

Tu bem sabes
minha fêmea adorada
o "eu"
seu macho homem
que vive a espreita
de ti
minha fêmea mulher
senhora de meus pecados.

Quero a ti
sem reservas
sem pudores
numa sofreguidão constante
no entrelaçar de nossos corpos
por onde as mãos mapeiam.

Serei sempre um sonhador inveterado
bicho homem
eterno apaixonado.
Não me importa muito o que sou...
serei sempre
o Tonho  que deseja ser amado.


Tonho Tavares.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

ENTREGUEI-ME A VOCÊ;

Meus soluços calaram-se...
Calaram porque...
Descobri que quando fui feliz
Existiam estrelas de belezas raras
Lua que encantavam as noites dos enamorados.
Raios de sol dourado, que aqueciam-me o corpo
dando um belo colorido as matas.
Que as manhãs ainda eram raiadas.
Que o por do sol, não traduzia tristeza
Mas, a esperança de um novo amanhecer.
Reencontrei-me com a beleza da vida.
Descobri que em meus lábios
ainda existiam sorrisos.
Que os meus sonhos jamais poderiam ser esquecidos.
Que os beijos, ainda eram
uma enorme fonte dos desejos.
Que a cama continuava aquecida, ardente.
 O meu corpo, não era apenas um porta retrato de minh’alma mas, com certeza, um convite ao prazer.
Mediante a tal metamorfose
Não me fiz de rogado
Dei-me por vencido
Entregar-me-ei de corpo e alma a você
Meu sonho, minha musa, meu bem querer.



Tonho Tavares.
PRESENTE DE AMOR. 

O céu veio a terra...
Beijou o chão, reverenciou o mar, as cachoeiras
As matas, e os montes.
Chegou ate você
Não lhe fez reverencias
Buscando-a pelas mãos
Contou-lhe uma linda história de amor
Fez você dormir
Cobrindo-a com o lençol branco dos sonhos
E por ali, eu a esperava.
Linda, você estava
Cabelos soltos ao vento
Seus olhos um intenso brilho.
Com delicadeza, eu a abracei.
Como por encanto
Uma canção nos fez ouvir
Dançamos como na realeza
Rodamos por todo o imenso salão
Distribuímos sorrisos de uma eterna felicidade.
Senti que teus lábios vinham de encontro aos meus
Naquele momento, como por magia
Todo o cenário se desfez
Ali estavam, você e eu
Na cama entre paredes
Reféns de um amor inevitável
E sem fim.
Tomei você em meus braços
Vieste com leveza e furor.
Beijei os teus lábios
Com fome de amor.
Envolvemo-nos loucamente, ate a exaustão
O prazeroso gozo, calou os nossos sussurros e gemidos
No relaxamento dos sonhos, adormecemos.
Não fui eu, o autor da conquista
Foi o céu que veio a terra
Dando-me você como um presente
tornando-se o mais valioso
Tesouro da minha vida.

Tonho Tavares
QUANDO ESTOU POETA. 

Quando estou poeta:

Sinto uma brisa mansa conduzindo-me ao paraíso...
Abraço e beijo os corações que se permite desvairar.
Penetro no mais profundo de minha alma
Buscando o colo que acaricia-me sedento de amor.
Enxugo lagrimas,
sorrio gostoso,
penetro em tantos mundos!
Visito alcova adornada com os mais finos tecidos
 tapetes persa,
Ouço Gardel,
 danço Strauss.
 Vejo-te de branco vestida. 
Em traje a rigor
eu me adorno.
Sem limites, nos mais profanos sentimentos, perdemo-nos.  
Com a mesma sede
sacio-me na mais singela casinha branca
bem ao longe,
Pertinho do lago
Onde as estrelas e luar em prata, repousam suas imagens
Eu, poeta, os meus mais lindos sonhos adorno.
Que importa! O que conta e o amor.
Bebo o mais fino cálice dos devaneios
Retorno-me ao mundo por inteiro 
Do mais fino vinho 
eu sinto o gosto,
degusto...
Sabor de vida!   

Tonhotavares

quinta-feira, 9 de julho de 2015



EU, A TUA ESPERA. 

Amor!
Vá até a janela
Veja a pequena e reluzente estrela
Que no céu se revela.


Siga-a!
Seu corpo se fará leve
Tão leve quanto seda ao vento.
Ornamentei para ti
Um caminho de rosas e estrelas.

Ousa!
Pedi ao vento
Que lhe recite encantadores versos.
Pedi também
Aos passáros e anjos
Que num grande coral
Cante para ti
A nossa canção de amor.

Chegará em sonho
num encantado castelo
Que eu mesmo contrui para ti.
Verás um novo mundo
De magia e luzes.

Alí,
Sentirá o perfume do meu coração enamorado.
Não se intimide... 
Ouse!
Atravesse a grande alameda
Cercada de flores
Que foram regadas com as minhas lágrimas
De saudades...
Chegará num grande salão.
Um reluzente 
E enorme candelábrio
ao centro 
Com centenas de velas.
Com lábios sedentos de beijos
Eu, que sempre estive a tua espera.

Tonho Tavares


EM BUCA DO AMOR.

Deite-se em meu colo,
Deixe-me fazê-la criança.
Cantarei, recitarei os mais belos versos.
Perdoe-me se, num cochilo ou descuido,
Os teus lábios eu beijar.

O amor quando é puro
traz consigo um coral e anjos.
Com harpas e banjos,
faz nascer, em tom suave,
a mais bela sinfonia.

Em meu colo,
você,
de olhos fechados,
lábios molhados,
coração em chamas, 
me chama,
às carícias do amor.

Juntos,
o céu e a terra se uniram.
O vento e o tempo,
como grandes anfitriões do amor,
sussurrarão em nossos ouvidos.

Não me perderei em devaneios.
Preciso urgentemente dos seus beijos,
do seu toque, dos seus anseios.
Serei tudo e mais,
quando o seu coração eu ganhar.

Tonho Tavares

LOUCO SONHADOR.

  Serei eu um louco?
Talvez... 
Quem sabe!
Quando te amo...
Pensando em ti
sou fácil, frágil
envio-te flores
buscando, pelo menos, um único sorriso teu.

Adentro-me nas matas
Estendo os olhos
colho as mais lindas paisagens
Sensibilidade aguçada e a flor da pele...
Choro!

Imagino teu corpo sensual
Sem igual
Surgindo das águas sonoras da cachoeira.
Tu, vestida em branco
molhada,  na transparência
atrevidamente teu corpo denúncia.
Curvas sinuosas que o meu corpo excita.
Rosto, braços e pernas
revestida pela nua pele
salpicadas de gotas, muitas gotas d'água
ornamentando-te,  que ao sol cintila.
Teus olhos umedecidos
brilhando de desejos...
Teus lábios sensualmente entreabertos...
Sonho, sonhos, são meus sonhos e desejos.

Serei eu um louco?
Talvez um pouco!
Estaria eu muito mais louco
Se dos sonhos
não me restassem
nem mesmo um pouco.

Tonho Tavares 


DEVANEIO NA NOITE.
    Venha amor!
Não deixe a noite
nunca  derradeira.

Teu corpo suado
invade meus sonhos
se arrasta em branco linho
desalinha...
os  sentimentos desentoam.
A paixão enlouquecida
trai a noite
fazendo-a alcoviteira.

Tonmho Tavares

FORÇA DO AMOR.

Vidas que por amor
vagueiam.
Nem sempre em flores
sementes semeiam.

O amor é mais forte que o vento
atravessa a pele
a carne
toma de assalto o corpo
e a alma incendeia.

Quisera eu ser feliz
sem o padecer do amor.
Privilegio...
Presunção...
Coração doído
já machucado.

Vida boa sem amor...
É como um cofre sem dinheiro.
É um jardim sem flores.
É  um arco-íris de uma só cor.

Sem amor eu me perco...
Sou eu uma encruzilhada sem seguimento.
Um sorriso com lágrimas.
O suspiro do mar
no abandono da madrugada.


Tonhotavares