sexta-feira, 26 de junho de 2015


EU A SUA ESPERA. 

Estou calado,
Quase mudo,
Não mudado.

Meu coração a espreita
Silencioso, quase imperceptível.
Ele teme assustar os sonhos.

Vieram-me as estrelas, a lua
Revelaram-me, como boas fofoqueiras,
Que alguém, em algum lugar,
Pensa em mim.

Pedi aos sonhos,
Viajor dos desejos,
Que trouxesse...
...Quem sabe hoje,
...Ou quem sabe agora,
Ela, inteirinha para mim!

Venha amor meu!
Por você até as flores clamam 
Meu corpo permanece em chamas
A espera de você!

Quero-te... 
Ainda que seja em meu sono,
Trazida pelas mãos dos sonhos,
Fazendo de mim... 
o seu amor verdadeiro!

Tonhotavares