segunda-feira, 29 de junho de 2015

AMOR ENTERNECIDO.

Vista-me com tua pele macia, 
úmida, com cheiro e o sabor
de amor amanhecido.

Faça deste corpo
tua fonte-cachoeira
que desce pelo teu corpo,
que arrepia...
realizando os teus desejos!

Venha amor!
Padeço deste prazer
que gera fantasias.

Sussurrarei ao teu ouvido
doces palavras.
Perdoe-me se o meu equilíbrio for perdido,
palavras obscenas impensadas,
mas sentidas,
borbulharão em nosso leito.
Beijos despudorados,
sem nenhum respeito,
retratam nosso louco amor enternecido!

Tonho Tavares