domingo, 31 de maio de 2015

INVASOR DE SONHOS

Inclua-me em teus sonhos
Arrasta-me pelos caminhos secretos dos teus desejos
Cativa-me em teu leito.
Absorva a virilidade do meu corpo
Fortaleça minha alma
Que por te se faz carente.

Quando em sono profundo estiveres
Chegarei na brisa fresca da madrugada
Tomarei de assalto o teu corpo
A tua boca ainda adormecida eu beijarei

Olhos nos olhos
Lábios nos lábios
Encanto-me com o brilho do teu olhar.

Eu em traje intimo
Tu com um penhoar vermelho transparente
Teu corpo atrevidamente 
Revelado pela luz do luar
Seduz-me
Enlouquece-me 
Perco-me na insanidade da paixão.

Carrego-te em meus braços
Conduzindo-a para interior do quarto
Suavemente desço-te ao solo
Abraçados, de rostos colados 
Ao som de um imaginário violino 
Dançaremos.

Desejos transbordantes
que exalam
Em nossa pele o cheiro do cio.

A razão é entorpecida
Levo-te para cama
Lençóis e travesseiro espalham pelo chão
Gemidos, gritos prazerosos
Ferem o silêncio.

No frenesi do amor
Me desperto, estou só!
Procuro-te, você já se foi
Percebo que não fui eu o invasor dos teus sonhos
Forte tu, que invadiste o sonho meu. 

Antônio (Tonho)