quinta-feira, 21 de maio de 2015


FLOR-MENINA..

Minha flor pequenina!
Faceira e linda!
Tão frágil, tão menina
e, em minh’alma, plantaste o amor!

Não nascida em fofo e irrigado canteiro:
Foste forte,
foste guerreira.
Por entre pedras e espinhos,
cresceste na candura do amor primeiro.

Amo-te!
Oh! Flor do meu caminho!
Que o coração orvalha
com a essência renovada do encantado.

És, para mim, companheira.
Serei teu cultor
nos amanheceres do amor infindo.

Doravante, nossas vidas,
em sonetos, esparramados em versos,
na orla dos sonhos,
em nossos corações vão valsar!