sábado, 30 de maio de 2015

    
 NAU DOS MEUS SONHOS. 

Venha em minha nau de vento...
Levar-te-ei em lugares onde a razão jamais pisou.


É longe...
Quiçá perto...
Pode ser aqui...
É de nós, por dentro.

Para que tenhamos êxito
Começaremos por um beijo
Se houver a leveza do seu corpo
Flutue para o porto dos desejos
Embarcaremos ao preço de mil beijos.

Grandes conhecimentos não são necessários
É o bastante os corações enamorados...
...que clamam
... que chamam 
Quero-te sempre ao meu lado.

Ao primeiro porto atracado
Nós, eternos namorados
Passearemos de mãos dadas
Dar-te-ei dezenas de flores
Regadas a beijos
Com a essência perfumada de um amor a ser vivido.

No segundo porto
Terás ali todas as belezas dos sonhos
Um a um realizados
Como se desfolhássemos o bem-me-quer das quimeras.

Finalmente, chegaremos ao cantinho encantado
Ali, tudo é lindo!
Tudo é permitido e perfeito.

Entraremos no barquinho do lago
Rumaremos de encontro ao poente
Soltarei a poita
Você em meu colo sentada
Assistindo descambar do sol por detras do monte
Beijarei os teus lábios com suavidade
Quão  suave é o amor.

Voltaremos para nossa alcova
Nosso leito
Desnudaremos das nossas roupas, dos nossos pudores
Enveredaremos pelos caminhos dos desejos.

Saciados os nossos corpos
Como artes em movimento
Nós, no catre, ali como que jogado
você deitada em meu peito
Ouvindo do meu coração
A chamada do amor. 

O barulho se fez lá fora
É hora de irmos
A nau está a nossa espera
Até o dia que não mais precisaremos de ir embora. 

Antônio (tonho)