terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

NOITE SÓ SUA.

Quero uma noite escura,
quase virgem.
Combinarei com as estrelas;
farei um pacto com a lua.

Esta noite não será minha:
é toda sua!

A mesa, no jardim posta.
Luzes de apenas
dois castiçais.

Uma música suave convida às carícias...
Por sobre a mesa,
mãos estendidas se entrelaçam.

Dançaremos coladinhos.
Entre beijos e desejos,
buscaremos o nosso ninho.

O grande lençol negro será desatado,
e milhares de estrelas ornamentam
todo o universo,
repousando por sobre as árvore.
Em sua exuberância, a lua suspira.
Naquela noite,
nós dois!
Uma só vida!




Antônio Tavares.