quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

A BUSCA.

Não pare de buscar/em algum lugar a sua felicidade está/ por ti, ninguém é capaz de encontrá-la/ quem sabe nas esquinas da vida/no bar lá do centro/no campo por entre as flores/ até mesmo na mulher amada// procure forte, e cada vez mais/ o mundo não para,  para que você dê longa espiadas/Deus, o céu, e, tudo que nele de bom existe, estão lá/ mas a sua felicidade terrena, ainda contigo não está/// vá para o espelho, dê uma espiada/ veja que linda criatura de Deus é você/sorria para si mesmo/ encante com estes seus lindos olhos que podem contemplar no mundo, tão belas imagens/solte sua voz/ ousa o seu cantar/examine este seu bendito corpo que se locomove sabendo, quase sempre, onde chegar/veja as suas mão, que se bem usadas, afaga, acaricia, trabalha/ mergulhe dentro de você/ sinta quantos sentimentos que hão de ajudá-lo/ ouse, pegue tudo que Deus lhe deu/amigos, lugares, família/ volte novamente para o espelho/ não se sinta acanhado /descubra quão simples e grande a sua felicidade/. Todavia, pode sentir um pouquinho de vergonha/ na vida, muitas vezes, sofremos por nada////  

Tonho Tavares.
 SONHO E FASCÍNIO.

O amor fascina...
Invade o corpo com tal leveza
Que sentimo-nos libertos ao vento..
Irmana com todos os bons sentimentos.
Destila felicidade
fazendo do outro a prioridade. 
Sou eu novamente a divagar.

Vivo, rio, canto
Contemplo a lua e as estrelas
Busco a vida, o mundo
e tudo que o amor me revela.

O amor para ser puro, tem que ser singelo
Supera as lágrimas.
Pintando no rosto a esperança 
que o sorriso emoldura. 

Sou feliz pelo amor que minha alma cativa.
Amo a tudo e a todos.
Quem sabe num dia vindouro
 ainda serei priorizado?
Há de chegar este dia 
que eu seja por este amor contemplado.

Amor tem que ser vida
e vida plena só a conhece 
aquele que se é amado.  

Tonho Tavares. 
     Sonhar e amar.

Amor não é conceito...
É aquilo que, com ou sem permissão, agarra dentro do peito
Fazendo-nos rir ou chorar...
Será bênção ou maldição?
Quiçá nos punir,
Ou talvez a nossa vida enfeitar?
O que eu sei é que é impossível não amar.
  
Minha falta de conceito...
 não sei se é certo ou um defeito
O lema é amar, amar e amar.
Dias a fora, com beijos fáceis, 
Com abraços arrochados
Com ou sem motivo
Nas chamadas do amor.

Recitar versos na simplicidade da alma
Ouvir com o coração cheio de bondade
As lamúrias, os desejos, os anseios
Os sonhos recentes ou do passado
Realizar... se puder!
O que vale é: Juntos sempre sonhar.

Sentir os nossos corpos em chamas
Os corações descompassados
Os olhos com intensos brilhos
Na explosão do puro ao profano
Na cama
Ou em qualquer lugar
Viver a intensidade do momento
No frenesi do amor.

Não se podem desperdiçar fragmentos pela vida
Não deixar que dissabores virem feridas
Que inflamam
Doem
E o amor derrama...
E o vazio consuma partes de nossas vidas. 

Não sei se sou um poeta ou um louco
Deste amor eu sou inculto
O que me resta é sonhar. 

Tonho Tavares 

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015


EM BUSCA DO AMOR.

Deite-se em meu colo!
Deixe-me fazê-la criança!
Cantarei, recitar-lhe-ei os mais belos versos.
Perdoe-me, se, num cochilo ou descuido,
seus lábios eu beijar.

O amor, quando é puro,
traz consigo um coral de anjos.
Com harpas e banjos,
faz nascer, em tom suave,
a mais bela sinfonia.

Em meu colo,
você,
de olhos fechados,
lábios molhados,
coração em chamas,
me chama,
às carícias do amor.

Juntos,
o céu e a terra unir-nos-ao.
O vento e o tempo,
como grandes anfitriões do amor,
sussurrarão em nossos ouvidos
palavras d’amor.

Não me perderei em devaneios.
Preciso, urgentemente, dos seus beijos,
do seu toque, dos seus anseios.
Serei todo contentamento,
quando o seu coração eu ganhar.



Antônio Tavares. 
NOITE SÓ SUA.

Quero uma noite escura,
quase virgem.
Combinarei com as estrelas;
farei um pacto com a lua.

Esta noite não será minha:
é toda sua!

A mesa, no jardim posta.
Luzes de apenas
dois castiçais.

Uma música suave convida às carícias...
Por sobre a mesa,
mãos estendidas se entrelaçam.

Dançaremos coladinhos.
Entre beijos e desejos,
buscaremos o nosso ninho.

O grande lençol negro será desatado,
e milhares de estrelas ornamentam
todo o universo,
repousando por sobre as árvore.
Em sua exuberância, a lua suspira.
Naquela noite,
nós dois!
Uma só vida!




Antônio Tavares.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

SONHOS EM NOITE LINDA.

Esta noite, colhi estrelas.
Com os raios de luar,
teci meus sonhos.

Ao longe, ouvia-se uma magnífica canção:
era assim como... como o cantar dos anjos.
Não me fiz de rogado:
montei no dorso de minhas quimeras
e fui em busca da canção
tão linda e tão pura!

Em meu sonho alado,
atravessei as colinas.
Vi os regatos de águas cristalinas.
as matas adornadas pela neblina.
Assisti aos trigais em ouro, dobrando ao vento.
Tudo era encanto
e puro alento...

Encantei-me com o quebrar das ondas do mar.
Corri pela areia da praia,
pisei em espumas.
Nada! Ali tu não estavas!

A música não se calava...
As ondas na praia me diziam...
Vai! Vai! Vai!

Novamente parti.
Meu coração quase sem fôlego,
buscava o que restou da esperança.
De volta para o meu abrigo,
a música insistia
‘inda mais bela.

Procurá-la?  Não sei aonde.
Sinto, que tudo o que quero
se esconde em  meus sonhos.

Em uma última tentativa,
mergulhei dentro do meu ser;
percorri longos caminhos,
embalado pela canção,
porém não me senti sozinho.

Cheguei ao centro dos meus sonhos.
Admirado! Nada de glamour!
Era um lugar tão simples
de tamanha singeleza, que transmitia paz.
Aquela canção ecoava por todos os cantos.
Ali também tu não estavas.

Comecei a organizar aquele lugar:
no centro, coloquei uma mesinha;
cobri-a com pano simples,
bordado à mão e muito carinho.
Sobre ela, um jarro de louça antiga,
cheio de flores, colhidas no jardim do coração.
Dois banquinhos,
uma cortina branca na janela;
vasinhos de violetas de todas as cores,
bem no cantinho da sala.
Ficou lindo!
Tão simples, como simples é o amor.

Tomei o caminho de volta.
Agradeci à lua e às estrelas.
Apeei das minhas quimeras,
adormeci-me com um leve sorriso.

Quando tu virás,
isto eu não sei, mas,
certo é, que, estarei sempre a sua espera.


Antônio Tavares. 
PROJETO DE AMOR.

Quero ser o teu ator
que, numa cena primeira,
busca, na displicência do teu olhar,
um lampejo d’esperança.

Quem sabe! numa destas tardes chuvosas,
eu te ofereça o meu guarda-chuva?
Colocarei a minha mão em teu ombro
oferecendo a ti o meu abrigo.

Se aceitares minha ajuda,
convidar-te-ei para uma xícara de café.
Conversaremos assuntos diversos.
Quem sabe a tua mão eu venha a tocar?

Não usarei frases feitas.
Perdoa-me, se eu vier a gaguejar.
Será o início de um sonho:
o romance estará no ar.

Com o passar dos dias,
encontros serão uma constante em:
teatro, cinema, músicas e danças.
Serão dias de encanto.

E se tu me convidares
para um jantar a dois,
levar-te-ei um buquê de flores,
e muitos beijos, com certeza, dar-te-ei.

Se nesta noite não houver despedida,
e nossos corpos não ouvirem a razão,
faremos amor loucamente,
extravasando nossa paixão.

Que pena ser um projeto só idealizado!
Será que sabes que eu existo?
Estarei aqui à tua espera,

até que finde a derradeira lua.

Antônio Tavares.