sábado, 24 de janeiro de 2015

= VIVER O AMOR =

Quando nasce o amor
O céu se faz em cores
A majestosa lua lança seu sorriso em prata
As flores dantes esquecidas invadem a alma
Tornando-se mensageiras.

Nos terrenos do coração antes áridos
Agora tal e qual olhos d’agua
Minam neste solo os sonhos.
Grande e frondosas arvores de quimeras
Abrem-se em flores.

Duvidas, inseguranças e ciúmes
Brincam com a alma apaixonada
É o quiproquó colocando em xeque
O amor.

O tempo é passado
Beijos, abraços, frases decoradas e criadas
Fortalecem o sentimento
É a vitória dos enamorados.

Amar é tão bom, tão suave
Que faz do mundo o paraíso
E tão pouco é preciso
É só a Ele se entregar.

Amar é sentir o coração bater em um mesmo compasso
É doar-se com ardor, a todos os beijos e abraços
É dormir com o gosto indescritível dos beijos
Acordar com desejos
Caminhar juntos por uma trilha sem final.

Quem ama, amacia a alma
Adoça os dias
Tem saudade antes das despedidas
Ouve com planura os desígnios da vida.

Com é fácil amar!
Difícil é esquecer.
Quando amamos e somos amados
Passam os anos, passam as idades,
Permanecemos para sempre
Como eternos enamorados.

O amor...
Como é bom descrever
E como é difícil encontrar.


Tonho Tavares.
     = VIDA E SONHO =

Cubra-me com o teu amor.
Vista-me com a seda leve dos teus sonhos.
Minhas vestias não são pesadas
Mas, careço da suavidade de novos tecidos.

Vale a vida, aquilo que sinto-me valer.
Com o teu sorriso, ela se faz encantada
Um presente de Deus, com linda lua e de estrelas ornamentada.
É como o sopro fresco da brisa mansa
Tocando o meu corpo nu e suado
Indescritível sentimento!

Contigo irei aos campos floridos
Que por mim, ainda são desconhecidos
De mãos dadas sentiremos nossos corpos em delírio
Passeando por entre nuvens
Bem onde os enamorados fazem as suas moradas.

Quando se ama ou toma consciência deste amor
A vida se torna em um belo poema
Onde podemos caminhar pelos mais lindos versos
Passeando pelas estrelas, beijarmos a luz do luar
Numa estrofe sem final.

O amor é forte e solido
 indestrutível quando se é cultivado
Pode ser frágil, quebradiço quando não se faz nada para hidratá-lo.   
Amor para ser forte, tem que vir do sul e do norte
Só de um lado, não sobrevive a sua sorte.

Venha, acorde, vista-me com a seda leve dos teus sonhos
Meu corpo e minha alma carecem da leveza dos teus sonhos
Pegue-me ou deixe que eu a pegue pelas mãos
E no perfume suave do amor
Seguiremos felizes pela imensidão da vida


Tonho Tavares.
     = JANTAR DOS MEUS SONHOS =

Vem jantar comigo?
Este jantar eu mesmo prepararei.
A mesa, apenas o trivial
é tudo que sei fazer.

Com requinte porei a mesa.
Toalha branca
Dois pratos e talheres
Um castiçal 
Duas cadeiras
Duas taças
uma com vinho de boa safra
a minha taça, com refrigerante 
abstenho-me da bebida alcoólica.
Ao fundo, música suave...
Após o jantar, iremos para a sala
Conversaremos, ouviremos músicas
Cantarei para você ao dedilhar do meu violão
as poucas músicas que, mais ao menos, aprendi a cantar.
Ao final buscarei seus lábios num longo beijo.
Será uma mistura de sonhos e desejos
De olhos de intenso brilho.
A meia luz, ao som de uma música em baixo volume
Lábios que se traduzam, frenéticos, estalaram em som molhado
Corpos inquietos contorcendo em prazer
Do sofá ao chão.
Palavras palavrinhas e palavrões
Numa mistura de insana delícia.
Que seria do amor, sem os olhos nos olhos
palavras nascidas e jorrada lá do fundo de nossas almas?

Depois desta insana e deliciosa paixão
De volta à razão
Amor, escrito e descrito, na sala, quarto, cama e corpos.
Suavemente sentirei o seu deitar em meu peito
Lábios e dedos deslizando pelo corpo suado
Com certeza ouvirá, do meu corpo e do coração, a chamada do amor.
Pense... Terá coragem de correr este risco?

Tonho Tavares. 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

     = A BUSCA =

Não pare de buscar/em algum lugar a sua felicidade está/ por ti, ninguém é capaz de encontrá-la/ quem sabe nas esquinas da vida/no bar lá do centro/no campo por entre as flores/ até mesmo na mulher amada// procure forte, e cada vez mais/ o mundo não para,  para que você dê longa espiadas/Deus, o céu, e, tudo que nele de bom existe, estão lá/ mas a sua felicidade terrena, ainda contigo não está/// vá para o espelho, dê uma espiada/ veja que linda criatura de Deus é você/sorria para si mesmo/ encante com estes seus lindos olhos que podem contemplar no mundo, tão belas imagens/solte sua voz/ ousa o seu cantar/examine este seu bendito corpo que se locomove sabendo, quase sempre, onde chegar/veja as suas mão, que se bem usadas, afaga, acaricia, trabalha/ mergulhe dentro de você/ sinta quantos sentimentos que hão de ajudá-lo/ ouse, pegue tudo que Deus lhe deu/amigos, lugares, família/ volte novamente para o espelho/ não se sinta acanhado /descubra quão simples e grande a sua felicidade/. Todavia, pode sentir um pouquinho de vergonha/ na vida, muitas vezes, sofremos por nada////  

Tonho Tavares.
     = SONHO E FASCÍNIO =
O amor fascina...
Invade o corpo com tal leveza
Que sentimo-nos libertos ao vento..
Irmana com todos os bons sentimentos.
Destila felicidade
fazendo do outro a prioridade. 
Sou eu novamente a divagar.

Vivo, rio, canto
Contemplo a lua e as estrelas
Busco a vida, o mundo
e tudo que o amor me revela.

O amor para ser puro, tem que ser singelo
Supera as lágrimas.
Pintando no rosto a esperança 
que o sorriso emoldura. 

Sou feliz pelo amor que minha alma cativa.
Amo a tudo e a todos.
Quem sabe num dia vindouro
 ainda serei priorizado?
Há de chegar este dia 
que eu seja por este amor contemplado.

Amor tem que ser vida
e vida plena só a conhece 
aquele que se é amado.  

Tonho Tavares. 

     = Sonhar e amar =

Amor não é conceito...
É aquilo que, com ou sem permissão, agarra dentro do peito
Fazendo-nos rir ou chorar...
Será bênção ou maldição?
Quiçá nos punir,
Ou talvez a nossa vida enfeitar?
O que eu sei é que é impossível não amar.
  
Minha falta de conceito...
 não sei se é certo ou um defeito
O lema é amar, amar e amar.
Dias a fora, com beijos fáceis, 
Com abraços arrochados
Com ou sem motivo
Nas chamadas do amor.

Recitar versos na simplicidade da alma
Ouvir com o coração cheio de bondade
As lamúrias, os desejos, os anseios
Os sonhos recentes ou do passado
Realizar... se puder!
O que vale é: Juntos sempre sonhar.

Sentir os nossos corpos em chamas
Os corações descompassados
Os olhos com intensos brilhos
Na explosão do puro ao profano
Na cama
Ou em qualquer lugar
Viver a intensidade do momento
No frenesi do amor.

Não se podem desperdiçar fragmentos pela vida
Não deixar que dissabores virem feridas
Que inflamam
Doem
E o amor derrama...
E o vazio consuma partes de nossas vidas. 

Não sei se sou um poeta ou um louco
Deste amor eu sou inculto
O que me resta é sonhar. 

Tonho Tavares 

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

= Despertar com Beijos =

Se um dia com os beijos eu acordar
Sentirei num lampejo
No céu, eu estar.

Eu, imóvel, coração forte pulsante
De felicidade, me visto,
Ao senti-la me abraçar.

Seu olhar de mil estrelas,
Ilumina-me e fascina,
Açoita a minha alma
e o corpo, em prazer,  faz contorcer.

Sussurrante, seus lindos lábios
Fazem-se, melodias lindas,
No instante,
Do delírio e prazer.

Faça-me Deus, que este sonho,
Nunca deixe perecer.

Tonho Tavares
= Despertar com Amor =

Sobre o branco lençol,
Contemplo a sua forma.
Seu pé a amostra,
Sutilmente, entre as minhas mãos, eu o coloco.
Acaricio, dou lhe mil beijos.

Sua respiração denota-se em crescente ofego.
Em sua cama,
Percorro todo o seu corpo;
Encontro a sua boca.
Levemente, deslizando os meus lábios aos seus.
Meu corpo é entrelaçado pelos seus braços.
Atados pelos abraços e aos beijos,
Ficamos de joelhos na cama.
Um belo dia de amor se descortina.
Sonho, sonho e sonhos.
Quem sabe um dia!


Tonho Tavares
                     = Mudanças =

Querida, por quê o silêncio?
Silêncio de presença
De carinhos
Silêncio que a alma calou.

Deixastes meu coração agreste
Sem alma
Sem paz
Sem a tortura do ciúme.
Sem a busca do seu cheiro,
Que o meu coração fazia despertar.

Esqueci a maciez de sua pele
O gosto do seu batom
Seus beijos molhados
Deixando minha alma enxovalhada
De sentimentos menores.

Do passado, me fiz refém
Que agora, se foi com vento.

No horizonte, o brilho da esperança,
Eu, um velho de sentimento adolescente
Dei asas ao sentimento.
E agora?

Que importa o agora
Toda hora é hora
Para um novo amor encontrar.


Tonho tavares 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

= SONHO SEU =

Esta noite, ouvi o cochicho das estrelas.
As arvores, balançavam seus galhos,
comentavam eufóricas algo, que acontecia.
Até as flores do jardim, se confabulavam,
soltavam gritinhos de felicidade.

O vento tímido, abraçava carinhosamente
a cada elemento.
Tive medo!
Quis voltar para dentro da casa,
a porta rangendo, interrompeu a minha passagem.
Pensei estar ficando louco.
O vento foi abrindo caminho a minha frente.
Tentei ouvir, do vento, os seus abrolhos,
foi em vão.
As ramagens se abriam gentilmente,
oferecendo-me uma passagem.
E lá fui eu, em busca de respostas.
Cheguei à beira da praia,
O silêncio, se fez novamente.
Apenas, as ondas do mar gemiam,
Uauuuu, uauuuu, uauuu.

Tirei os sapatos e
caminhei pelas espumas geladas
das águas.
A cada minuto, o mar se fazia belo.
Ao sair do mar pude vê-la,
linda, com olhos cintilantes como as estrela.
Corri ao seu encontro
Foram beijos, abraços e murmúrios de amor.
Descobri, ter entrado em seus sonho.
Par favor, deuses dos sonhos,
Não mais nos acorde.


Tonho Tavares

= LINDA MULHER =
Quero um sopro de vento
Que não seja forte,
nem lento.
Que leve meus beijos,
meus mimos.
Se acaso ainda couber,
Que leve todos os meus abraços.

Darei o endereço certinho,
Não é perto,
mas é reto.
Se em dúvida estiver,
Suba bem alto, naquela nuvem
branquinha.
Pergunte às aves que passam,
Aos anjos que por entre as nuvens brincam,
às pequenas gotas que orvalham
a terra.
Pergunte aos raios de sol
se a sorte lhe sorrir,
e verá pela janela, à minha espera,
Ela, minha linda mulher!      
           
= Quero Ser o Seu Menino =

Faz de mim o seu menino,
o seu poeta,
o seu homem cavalheiro.
Deixe que eu lhe corteje,
com a pompa de príncipe
num grande baile,
que a convide a dançar.

Quero ser o seu menino...
A cada beijo,
todos os nossos
grandes ou pequenos sonhos
serão realizados.
O cio do corpo, do fogo
que arde, que queima,
que pulsa, que resseca a garganta causando arrepios.
Prazeres da alma e do corpo,
na chama do amor,
seu menino,
se permitir-me eu ser.

Tonho Tavares
= PRECISO DE VOCÊ =

Como posso dar cabo deste amor?
Tirar você da minha vida
é queda de braço com a morte.
Sou vida, com a sua vida.
Sou feliz, com a sua felicidade.
Sou forte, com a sua força.
Me liberto, com seus beijos.
Meu corpo pede, grita, chora por você.
Em teus braços quando eu cair,
não serei a música,
sentirei a orquestra.
Não serei a nascente tímida
que surge por detrás das matas,
serei o mar com todo o seu esplendor.
Você é o universo que rege os meus dias,
que marca e tatua a minha alma.
Amo você como loucura.
Não importa se é noite ou dia,
mundo de estrelas ou fantasias.
Faremos dos nossos momentos, o palco.
Do sorriso, o eterno cenário.
Da felicidade, o ato final.


tonho Tavares

sábado, 10 de janeiro de 2015

= O BRILHO DO AMOR =

O barco partiu.
Sonhos? Eu os guardei.
Ao longe vejo a vela trêmula
ao sabor do vento.

Meus olhos choram.
No peito, o nó da solidão.
A impiedosa distância
meu olhar cega.

Por que tem que ser assim?
As amarras foram frágeis?
A poita foi leve?
O certo é que barco se foi.

Apenas as gaivotas
enfeitam e gritam
fazendo dueto com as ondas do mar.
Eu me atraco com o vazio.

Só, sigo meu caminho.
Ando pela praia, chuto o mar,
grito palavrões.
Eu, cabisbaixo, eu, péssimo, eu, zumbi.

Deito-me sobre as pedras.
O sono vem em meu socorro,
Espantando a solidão.
Ele me traz de presente
os sonhos...
Sonhos que buscam a vida,
Que fazem renascer as esperanças.

Um anjo diferente,
sem asas nem auréola,
enxuga o meu pranto.
Enche-me de encanto e
convida-me ao seu barco eu entrar.

Barco, barqueiro e tripulante
quando se amam
não se afastam, nem transpõem sós,
a linha do horizonte.

Juntos navegamos até o fim do mar,
subimos pelas estrelas
e, lá do alto, bem lá do alto,
brilhamos, brilhamos e como brilhamos!
Para o amor nunca ofuscar.


Tonho Tavares.
= ACORDA TONHO =
Como eu quero que as coisas sejam
diferentes!
Por favor, eu te peço...
Pode ajudar-me?

Quero lhe dar todos
os beijos, que a anos estão guardados.
Que os abraços sejam
freqüentes
e se explodirão  em desejos.
Que os galanteios
não obedeça critérios.
Que os elogios sejam, constantes
e verdadeiros.
Que na felicidade, nenhuma lágrima
seja poupada.
Que o amor seja perene e dia a dia seja regado.
Que os carinhos não cessem
após o sexo,
Que se estenda pela madrugada.
Ah... Como vivo de sonhos!
Acorda Tonho
É hora de levantar e buscar o pão.

Tonho Tavares
= AMAR =

Eu quero um amor
que se eternize no amanhecer,
que sele com beijos
que doe o desejo do querer.
O coração planta as loucuras
que de emoção suspira
ao simples entrelaçar das mãos.

Não tem que ser perfeito
O amor a tudo dá jeito.
A ele, os trejeitos
que renovam, respiram e transpiram
o perfume inebriante da felicidade.

Que venha deitar-se com ternura,
Amar com loucura,
Acordar com o doce desejo
de ganhar um beijo
e se perder em carinhos...



Tonho Tavares

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

 = ENCONTRO SONHADO =

Em meu sonho eu a encontrei.
Você estava linda!
Displicente,
sorria para mim.

Eu, de pés descalços,
sem camisa, barba por fazer, corpo suado.
Meus cabelos grisalhos
desalinhados ao vento.

Tímido, sem saber o que fazer,
abaixei o meu olhar.
Senti-me, tão pequeno, tão ninguém.
Entristecido, sentei-me a beira do caminho.

Minhas lágrimas não tardaram a rolar.
Você elegantemente se aproximava.
Eu queria, correr, correr,
até a exaustão.

Seus dedos delicadamente tocaram o meu queixo,
erguendo a minha cabeça.
Roçou os teus lábios sobre os meus.
Abraçou o meu corpo suado.
Enxugou minhas lágrimas com beijos.

Um lindo acorde de violino se fez ouvir.
Os pássaros e insetos se silenciaram.
O momento era nosso.
Sobre um gramado verdinho dançamos
Uma valsa.


Tonho Tavares
= AMOR QUERIDO =

Eu quero um amor que não se perca
na penumbra do tempo.
Que tenha o cheiro
do orvalho do amanhecer.

Que traz no sorriso
o perpetuar dos sonhos.
Na boca, o frescor da rosa orvalhada.

Eu quero um amor
Que venha devagarzinho,
se aconchegue bem juntinho
no lado do coração.

Que recoste em meu ombro,
Que dedilhe carinhosamente o meu peito.
Que me encha de desejo...
Que morda os lábios...
Olhar penetrante que sinuosamente
mostra-me, o quarto,a cama.

Eu quero um amor,
que ame ser amada
Tal e qual uma gatinha
adora ser mimada.
Que eu encontre em seus abraços,
os sonhos ao caminho.

Que não seja omissa.
Amor de mulher criança
Que tenha várias idades
e na maturidade, faça do meu corpo
o seu ninho.


Tonho Tavares
= MINHA NAMORADA =

Deixe-me ser o seu namorado?
Quero vida, quero amor.
Embriague-me de você
nas noites cálidas
de beijos ardentes.
Corpos que suam
no frenesi do amor.

Seja o aconchego dos meus carinhos.
Deixe que eu murmure baixinho
o desejo do meu querer.

Não se aborreça.
Sou assim mesmo:
Louco, só um pouco!
No insaciável
desejo de amar.


Tonho Tavares
 = AMOR EM DEVANEIOS =

Venha comigo, vou levá-la
ao mundo de sonhos.

No primeiro raio de luar
faremos a nossa escalada.
Brincaremos de roda com as estrelas.
Sobre a lua dançaremos de rosto colado.
Som, apenas o do amor no pé da orelha solfejado.
No final do bailar, um beijo louco e molhado.
Beberemos, lá em cima, poesias mil,
que os loucos e apaixonados poetas,
caprichosamente deixaram-nas por lá.
Desceremos na grande colina
Lá, encontraremos numa pequena casinha,
onde a lua, por detrás estrategicamente, faz a sua retirada.
Tem um quarto simplesinho.
Uma pequena cama,
Uma mesa.
Duas cadeiras.
Dois criadinhos.
Nas janelas,
singelas cortinas de renda
branca, amarelada pelo tempo.
Um tapete de retalhos esparramado pelo chão.
Um cabide na parede...
Pra quê?
Roupas rolaram pelo chão.
Amor desvairado, feito , perfeito.
Corpos suados.
Abrimos à janela.
No horizonte a noite se desfaz da negra cortina.
Sorrindo, o raiar do sol nos convida
a mais um dia de amor.
Será a eterna felicidade!


Tonho Tavares

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

= VIVER POR VIVER =

Pergunte
aos anjos que povoam sua vida...
Às flores irresponsavelmente
belas, que vivem lá na encosta...
Ao lago cristalino com seus adornos...
Das mais simples nascentes
ao todo poderoso oceano...
Até mesmo ao pequeno colibri
Que ostenta vôo em sua janela...

Pergunte-os.
Eles lhe dirão que me viram chorar
a ausência sua.
Viram-me ajoelhar a orar, pedindo a Deus por ti.
Assistiam tristemente
às lágrimas que debruçaram pelos caminhos,
que sempre os fiz sozinho
numa peregrinação de amor.

Chorar...
Não foi sempre assim.
Pergunte-os!
Também com eles, há felicidades compartilhei.
Das encostas, muitas flores ganhei.
Ofertas fiz a ti.
Como criança em dias de festa, sentia-me feliz
Plantava eu, pelos caminhos, a vida
em sua plenitude.
Abraçava e beijava o mundo.
Coração que pesca felicidade, que dá guarida.
Agora...
Foi fisgado pela dor.
Dor de um lindo castelo demolido,
De um tudo e absoluto e
agora perdido.
Restando-me as lembranças.
A poesia reergue o poeta,
Ressuscita das cinzas
Alimentando de esperança...
Com amor, volto à vida.


Tonho Tavares.