sexta-feira, 31 de outubro de 2014

            = AMOR ATREVIDO =    

    Veio pedir o meu amor?
Por favor... Pense bem!
Dele, não tenho nada a me orgulhar.
É muito atrevido, ele agarrara, afaga
e faz coisas que até Deus duvida.

Adora dar flores, dizendo-as “compradas”
Vai saber...
Invade o céu com um grande cesto,
colhe estrelas,
apanha sem permissão os raios da lua
e lhe entrega fazendo-se poeta.
É passageiro clandestino
que viaja às escondidas nas asas do sonho.
É ele, o exímio penetra
Rouba a alma
E como sem-teto
Apossa-se do seu coração.

Se o levar, vai se arrepender!
Sossego não mais terá.
Roubará a suas roupas
Derramará o teu suor,
Fará você gemer de prazer.

E para terminar, pense mais uma vez, 
Ainda é tempo de desistir!
Ele adora atacar de madrugada...
Anestesia a sua alma,
enquanto você dorme
E rouba o seu corpo.

Se mesmo assim, depois de tantos defeitos
eu ter-lhe contado,
Ainda assim o quiser, lamento, 
mas o que posso lhe dizer?

Vocês se merecem!
   
  Tonho Tavares"
                = A TRILHA =

Sou a trilha que segue...
Desnorteio... aliso, deslizo, tropeço.
Em quedas... com coragem reergo-me.
Evolvem-me...  as cores e os amores. 
Curvo-me... as canções, orações e os versos.
Olhares maliciosos, entre frestas,
fascinam-me!
Não me importa onde devo chegar
Chegada e saída, com certeza, é o mesmo lugar. 
Fortaleço-me com as agruras e grosserias
do tempo.
É “Dele” que extraio e absorvo o amor verdadeiro. 
Olho para trás...  o passado é tão real quanto os sonhos
Existem, com certeza, nas lembranças.
Sigo em frente, traço rastros.
O futuro é uma incógnita...
Atrai-me, aguça os meus desejos.
O materialismo é carga pesada.
Sou levado pelos sentimentos.
Fico leve, vôo a favor do vento.
Milhares de trilhas se cruzam...
Caminhamos juntos um bom tempo
Alguns se perdem, ou completam seu destino.
Vou adiante, só Deus sabe onde devo chegar.  


TONHO TAVARES
                  = MEU CORAÇÃO =         

Meu coração verseja
na amplitude das quimeras.
Em berço de poesia Ele repousa.
Costura, remenda sonhos quebrados
destila da alma a tinta
colori a vida.
Para o amor "Ele" constrói lindas passarelas. 

Tonho Tavares. 
                   = A ESPERA =                                         

    Venha amor...
A noite já se faz caída.
A lua as estrelas
 esperam a sua chegada.

Ah!!!. se eu fosse de você...
Pelas mãos eu a conduziria
beijaria de leve os seus lábios
dançaríamos ao brilho das estrelas.

Nem a lua ou a noite de estrelas
nem mesmo o mar, todo iluminado
seria tão enfeitado quando o amor
que jorra pelos nossos corpos.


Nossas almas, com certeza, se alimentaria
desta exuberante noite de amor infindo.
um beijo carregado dos mais puros sentimentos 
provocariam os mais latentes  desejos.

Despediríamos, da noite, da lua e das estrelas.
Em algum lugar, aos beijos, cada vez mais loucos
profanos, que sabe um pouco
numa paixão sem fim.

Venha....
Não me cansarei da espera
quem saber serão só as quimeras
de um alguém que vive em busca de ti.

Tonho Tavares. 
                      = SAUDADE =   

   Vai saudade...
Faça de mim o seu desafeto.
permita que o meu coração em paz se aquiete.

Vá...
Leve os seus pertences
são deles que vem o meu desalento.

Retire a tristeza
a dor que minha alma dilacera 
recolha as minhas lágrimas 
que por sua culpa foram derramadas. 

Vá... vá... vá!
Mas por favor, não deixe este vazio que coroe o peito
na dor do abandono. 
Não recolhas os beijos que no silêncio
tornaram-se eternos.
Deixe que eu reviva as noites de amor
quando nossos corpos se completavam
transportado-nos a um plano encantado.

Perdoe-me saudade!
não posso me separar de ti
és um caminho andado
em vários portos atracados
numa odisseia
de amor. 

Saudade é viver o sonho...
do passado
do presente
e do tempo que ainda não chegou.

Por favor, fique comigo saudade
nossas vidas são um entrelace.
Sofro por ti saudade
Sofrimento maior é não viver uma saudade. .

Tonho Tavares.
                      = QUER SER O MEU AMOR? =                         


             Amar é derreter-se a cada toque
É flutuar a cada beijo
Sentir o corpo doer de desejos
No linear  da paixão.

Ah...
Como eu gostaria de fazer-te feliz!
Dar-te o meu coração para o repouso da tua alma
O meu colo nos momentos em que tu anseias por carinho
O meu quarto, o aconchego do nosso ninho.

Se tu me queres com amor
Faça-me teu companheiro...
Amante, amigo
Entregue-me todos os teus sonhos enternecidos
E serei para sempre o teu bem querer.


Tonho Tavares.
         
                 = MINHAS MÃOS =

Mulher amada...
Toque as minhas mãos
Ousa o que “Elas” dizem...
Não as julgue pela aparência
calejadas, até mesmo maltratadas.
São capazes de revelar minha caminhada através do tempo.

Foram forjadas ou moldadas pelos anos já vividos
Não conheceram a maciez
da fina pele dos homens, pelo dinheiro, enriquecidos.

Quando estão “Elas”, ao comando do corpo
são duras como a rocha
funcional como uma máquina
capazes de transportar, moldar, criar, ou apenas auxiliar.

Não as julguem...

Quando são manuseadas pelo coração
podem ser suaves como a brisa.
habilidosas, carinhosas, levando-te ao delírio.

São “Elas” que escrevem as belas coisas da vida
Adoram enluarar-se, sentir o sopro macio da brisa
ofertar flores
 carregar-te para cama
percorrer todo o teu corpo.
Ficam leves, suaves, tal e qual uma pluma.

Elas também registram os versos,
Que em minha alma repousam.
A cada calo, cicatrizes , que permanecem
muito me orgulho!
São “Elas” as minhas companheiras
tanto na aspereza da pedra
quanto no deleite do teu corpo, mulher
nas nossas noites de amor.


Tonho Tavares.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

                  = TE AMO =

                  Quero o teu colo...
Sentir as tuas mãos deslizando pelos meus cabelos.
Ouvir a tua respiração ofegante que pede por beijo.

Ah... Mais como eu quero!

Que sabe numa noite linda
De luar, de estrelas cadentes
Com todos os adornos que envolvem os românticos namorados?

Serão, com certeza, os nossos beijos 
A incendiar nossos corpos
Na doce tormenta do amor.

Sabe amor meu...
Não importa se esta noite for chuvosa
Ausente estiver a rosa
Dia ou noite
Versos e prosa
Nada importa!

Seremos dois corpos a se amar
Num único coração a pulsar
Rompendo o silêncio que grita
O grito...
Te amarei eternamente!!!

Tonho Tavares.
               = SONHADOR =        

Ola!!!
Permita-me conduzi-la?
Levar-te-ei aos mais lindos lugares que reservei para ti.
É tão lindo, que só é visto a dois.

Dê-me as tuas mãos...
O caminho é longo.
Tão longo quanto à vida.
Verdadeiro como o olhar apaixonado
Sólido como o beijo.

Na partida...
Recitarei a ti
um verso de amor.
Se em tua alma, eu sentir o arrepio
E o meu corpo for apertado contra o teu
Carregar-te-ei em meus braços
Até a verde campina do amor.

Em verde relva, adornada de flores
Na sombra fresca do ipê
Acariciarei o teu corpo
Esparramarei beijos miúdos pelo teu rosto
Contemplarei os olhinhos teus
 se fechando, como o mais lindo por do sol.

Prosseguindo...
 A noite já chegada
Buscaremos o ponto mais alto do mundo
Seremos, eu ,tu e a lua
Falar o quê?
Os nossos corações falaram por nós.

Cantaremos em dueto uma canção seresteira
A lua, com teus lindos raios prateados, abençoará as nossas vidas.

Se ainda permitir-me, adentraremos em minha alcova
Ali, a lua fará a tua despedida.
Será uma noite inesquecível de amor.
Perdoe-me...
Sou em parte, desejos
O todo, quem sabe..?
Um maluco sonhador.

Tonho Tavares.
    = PARA VOCÊ =

Empresta-me...
...o teu sorriso
...os teus carinhos
...os teus braços, abraços
...o teu corpo e coração
Por um tempo sem final?

Dar-te-ei por troca...
Milhares de beijos molhados
Levarei o teu café da manha
Na cama
Com flores e beijos
E muitos desejos.

Iremos juntos ao chuveiro 
Revestindo-nos em louco desejo
Num ritual santo e profano 
Numa  total entrega.

Juntos, viajaremos nas asas insaciáveis da paixão
Repousaremos no ninho do amor
Onde tudo se permite
E a alma fica cativa.

Empresta-me?
E eu me doarei por inteiro.

Tonho tavares  
              = DESEJOS E QUIMERAS = 

               A tua espera eu estou
desejando este teu lindo olhar profundo
Invadindo o meu mundo.

Venha!
Preencha o meu coração
Sem ti, ele torna-se vazio.
Na ausência tua, ele calado, de saudade padece.

Cantei alto, joguei minha voz ao vento
Quem sabe em alento
Ainda que em sussurro, a ti, ele a fará escutar.

Quisera eu, nesta hora, neste agora
Em beija-flor eu me transformar.
Voar na velocidade dos sonhos
Com a delicadeza do pequeno pássaro
Os teus lábios eu beijar.

Ainda nesta mesma quimera
Em cada beijo, a entrega
Com ternura, hei de te amar.

Estarei em estado encantado
Os teus lábios, por mim, beijados
Quiçá em teu homem amado
Eu possa a me tornar.

Tonho.  
              = DESCULPE-ME SENHOR TEMPO =            
 
Hoje pedi licença ao tempo...
Ignorei as linhas e os assentos
As acurvas e retas
Palavras tortas ou certas
se fazia noite ou dia
Dinheiro, luxo, pobreza, e daí?
Só você existia!

O que importava se batiam à porta
Se existia guerra
Eminente era a paz.

Até mesmo as flores, eu as ignorei.
Não ouvi a voz do vento
Tudo ficou no tempo
Só para lhe amar!

No aconchego dos meus braços
Sem perder o compasso
De rosto colado
Começamos a dançar.

Seu corpo, meu corpo
Num diálogo de toques e desejos
De suspiros e beijos
Numa paixão sem fim.

Você sentada em meu colo
Esparramamos pelo solo
Beijos e mais beijos
Aguçaram todos os desejos
Intenso, irresponsável  e delicioso, é o amor!

Desculpe-me senhor tempo
Foram meus loucos pensamentos
Que fizeram, eu de ti, me afastar. 

Tonho Tavares.

                 = SONHOS BEIJOS E DESEJOS =

                               Quero você...
                    Na cama...
                    Em chamas...
                    Na loucura de amantes apaixonados.


                 Cultivarei todos os desejos e sonhos
              que há dentro de ti.
                  Nas manhas, lhe darei mil beijos.
                  De dedos entrelaçados
              como eternos namorados
              esparramaremos mansos passos
              de quem não espera o fim da jornada.

                 Terás beijos nas madrugadas...
                  Beijos e beijos
             apenas pelos desejos
             de sempre beijar.

                 Amor e desejo
            encanta o corpo e alma
            inspirando-nos a sonhar.

                 Meus sonhos são ateados
            quem sabe se materializados
            encontre você
            e juntos
            no mesmo sonhos
            possamos trilhar
            rumo a felicidade?


Tonho Tavares.

domingo, 26 de outubro de 2014

Hei... 
Espere-me!
Deixe que em seus sonhos eu venha navegar.
Sonhar é percorrer um longo caminho...
Não devemos embarcar sozinho
Podemos, num vacilo, nos atracar no porto das desilusões.

Sonhar é...
A arte de buscar, em mansos caminhos, a felicidade
É desafiar o impossível, amar, amar e tornar amar. 
É transpor barreiras, encurtar distancia, desbravar todas as fronteiras
Mesmo em dúvida, acreditar.

Quando se ama, sonha em dueto
Colhe uma rosa todos os dias
Mesmo que se machuque em seus espinhos
Para o seu amor enfeitar.

Hei... 
Quem sabe nossos sonhos sejam o mesmo?
Eles não devem se ocultar em desejos
Sonhos de amor nunca podem silenciar. 

Tonho Tavares.

             Mulher, ser sublime, de encantos mil.
Misteriosas
audaciosas
amorosas
criativas.
Apenas és tudo mulher!
Quando se ama uma Delas, o céu desce a terra...
quando se é amado por Ela, encontramos nossos cantinhos aconchegante, de luzes e cores, dentro deste céu.
Junto a Ela, esvai-se toda a nossa solidão, sentimos mais seguros, nosso viver tem mais razão.
Mulher Mãe e Santa
Mulher companheira
Mulher esposa
Mulher guerreira.
És um símbolo de luta.
Conquistastes os espaços fazendo um mundo mais colorido.
Deus em sua infinita bondade criou o homem...
Sentindo que a sua criação fora incompleta, voltou a prancheta
ajuntou  aqui, mexeu ali, tirou e colocou peças, tal e qual as novas versões de nossos inventos.
Só assim atingiu a perfeição. 
Sua nova versão completaria a primeira, foi um verdadeiro sucesso!
O senhor abençoou, dando-lhes traços delicados, aumentando o seu amor.
Invento criado, aprovado e perfeito, só poderia se chamar: M U L H E R.

Parabéns a todas as mulheres, está é uma homenagem que eu presunçosamente lhes presto. Beijos em seus corações. 

Tonho Tavares

sábado, 25 de outubro de 2014

                 = SONHO REAL DESEJO =

Quem sou eu...
...que me reescrevo a cada dia
...a cada anoitecer
...a cada novo sentimento
...a cada sucumbir das verdades
...a cada mentira que se fez oculta e se revela ao holofote do tempo.

Quem sou eu que...
...acredito na força do amor, mesmo aos olhos da maldade.
...que estendo as mãos, mesmo que os meus pés, ainda não estejam em terreno sólido.
...que sorri sempre, até mesmo com vontade de chorar.
Sou sempre eu, reescrevendo a minha pouca história.

Sonhos, eu os tenho em pecas!
No amanhecer, com o alforje “da real vida” em minhas costas
Adentro-me pelo dia, hora fora, hora dentro!

Fora, o peso da vida
Dentro, o desejo em devaneios.
Sou um misto
O exterior, pés no chão
Interior, sonhos sem fim.
Sou sempre eu, desfilando dentro de mim.

Quando só, medito, faço versos
visito os mais lindos lugares
sem barreiras, vou até onde a minha imaginação mandar. 

Busco você... 
Penetramos num mundo de beleza e cores
Passeamos de mãos dadas, tomamos água fresca da fonte.
Beijamos, abraçamos, rimos, brincamos como duas crianças.
Ao requinte da noite dos enamorados
Acontece, doamo-nos como amantes apaixonados.
Na cama, no tapete, rolamos pelo chão, enlouquecidos de desejos.
Este sou eu!
Venha, adentre nos sonhos meus. 

Tonho Tavares. 
         = ASSIM É O AMOR =

   Venha...
Estou a tua espera.
No coração, o grito incessante do amor
No corpo, a chama ardente da paixão.

Venha...
Serei doravante o teu cultor
Regarei o teu sorriso
 adornando em luz o teu ser.

Venha...
Por quanto tempo ainda terei que esperar?
Não é o vir por vir
É o vir, do amar.

Sou um inveterado sonhador
não atenho-me a limites 
 mergulho no mais profundo dos meus sentimentos
em busca das mais lindas noites de amor.

Longas asas têm o amor.
Voa livremente 
Quando pousa em nossas vidas
resgata, liberta
reprime de vez a solidão. 

Tonho Tavares.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

          = VOCÊ A MINHA LUA, EU O SEU MAR = 

             Meu mundo, meu mar...
...Nas profundezas, traz segredos a ser quebrado.
...Na superfície, o belo e o menos aplausível se inteiram.

Quisera eu desvendar-me por inteiro.
No coração, ondas pulsantes
que do amor se inteira.

Ousa-me!
Se ao acaso, a minha voz não se fizer ouvida
ouça-me em cada concha
que displicentemente espalharam pela vida.
Quiçá poderei fazer ouvir, da solidão os meus gemidos, no abandona das madrugadas frias?
...No quebrar das ondas no limite das praias de brancas areias?
...Em meu cantar nas noites enluaradas?
Se me amares, de coração, corpo e alma, ouvir-me-á, até mesmo, em meu silêncio.

  Venha amor meu!
Venha como a lua
Reflita tua imagem, doa-me por inteiro.
Repouse em minhas águas mansas.
Vamos desvendar, todos e qualquer, de nossos desejos.
Aproxime-se... dê-me  um clássico e gostoso beijo
Mergulhe em mim...
Não temas, o amor é desprovido de receio...
...Arrisca, expõe, busca e se entrega a paixão.
Serei o mar, ainda que muito pequeno
 neste nosso imenso oceano do amor.

Se tu fores a minha lua...
Eu serei o teu mar...
A luz resplandecente do amor em águas límpidas e puras
enfeitará o nosso mundo
com a beleza que é só tua.

            TONHO TAVARES
              = TRAJETÓRIOA E SONHOS =

Todos os dias a vida oferecia-me flores...
Sorrisos, luzes e cores...
Tempos áureos!

Com o passar dos anos...
Ofertava-me sementes e mudas
Tempos joviais, de esperanças sem fim.

Tempos adolescentes...
Nada de buquê, nem mesmo flores sobre a mesa
Lá fora, à mercê, um lindo jardim!

Tempos de amadurecimento...
Faltou-me tempo
Flores entre pragas, jardim ressequido
Agora sem vida, no tempo perdi.

Tempo maduro
Olhar seguro
busca a vida.

Olhar ao longe...
Lá fora a fonte
A terra, o esterco 
Plantando o jardim.

Tempos de sonho...
Novo jardim
Eu adulta criança 
Renasço em mim.

Tonho Tavares. 
                    = POR FALAR EM AMOR =

 Devo falar de amor...
O desamor invade e violenta este mundo de meu Deus.
Amor não é utopia
É o lado puro da alma resplandecida de paz.
O amor pleno, não se limita a coisas e pessoa
Não faz concepção ou escolhas
Não castra, nem reprime
“Ele” é livre, tão livre quanto ao vento.

O amor é o caminho iluminado que nos conduz a paz.
Queria eu, filtrar minha alma
Despoluir a áurea que o tempo contaminou.

Deus, quando o homem criou
Depositou em seu ser
Um pouquinho da sua própria essência.
Contudo, nos deu um livre arbítrio, com tal liberdade
Que por ser e ser, ser humano
Outros sentimentos menores viemos a conceber.
Aprendeu a “amar” com posse
Escravizar, mutilar, matar...
Viver a busca de valores ilusórios, podem nos levar ao eterno vazio.

Ser feliz é crer no amor...
...é ultrapassa a barreira do seu eu
fazendo-se parte integrante de um todo.

Quero falar de amor
Amor meu
Amor seu
Amor nosso
Amor de Deus.
“O amor é o vinco da perfeição”

Tonho Tavares. 
                    = MEU MUNDO =

              Quem sou eu...
Perco-me em meu mundo interior.
Meus sorrisos e lágrimas sem harmonia
tem sentidos diversos 
num misto de emoções.

Quem sou eu...
Que por entre o espaço e o tempo vagueia
Transcende-me os sonhos
busco a ilusória realidade.

No abandono da minha carne
Sou eu, o terreno baldio
Fantasmas invasores gargalham
À esperança e a fé, preenchem todo o vazio.

Distribuo o amor
colho saudade.
Felicidade é um estado de maturidade
Que a alma sem idade
Faz a vida renascer.

Tonho Tavares. 
               = A FLOR E O CAMINHEIRO =
Linda flor a beira do caminho
Por entre pedras, pó da estrada e espinhos
Sem amor e sem carinho.
Donde vem tal beleza?

Quisera eu plantá-la em terra nova
De esterco farto
Fofinho
Tal e qual, do passarinho, o ninho.

Deixar-te ao abandono
É tão triste!
Colhe-te, é tão forte!
Indo em frente...
Quiçá...
Condeno a tua beleza, à morte.

_Diz-me, senhora dos encantos...
Eu, pequeno, para tal dilema...
Ao contemplá-la, já nem sei se é privilegio
Ou se a ti, sinto a dor da sua triste sorte?

_ Olá, amigo caminheiro,
Que em teus olhos desfilo-me por inteira
Cabe a ti o meu destino...
Colher-me ou transporta-me para o teu jardim.

Saiba, meu gentil amigo
Que não sou daqui, um mero acaso
Permanecendo, naturalmente, parecerá a minha beleza
Esparramar-me-ei em sementes
Formando, ao sorriso de Deus, o canteiro.

Sou como tantos de ti, amado caminheiro
 Que por este mundo rude nascestes
Trazendo consigo, em tuas almas, tamanha beleza
Que inspira os povos e a natureza.

Somos da terra o fruto
Após o desabrochar das flores
Não importa o terreno nascido
Somos por excelência
Por Deus, do amor cativo.

Vá em paz meu amigo...
Meu ciclo já se faz vencido
Em breve serei mil flores
Verás que jamais estive esquecida.

Contemple, ame, regue...
Busque na vida, toda beleza que há.
Terás sempre um lugar mais bonito
Se a vida, você aprender cultivar.

Que nasci em terreno bruto
É um fato que não escolhi
Perguntaste-me pela minha beleza
Tudo isto encontrei daqui.


Tonho Tavares. 

     = JANTAR DOS MEUS SONHOS =

Vem jantar comigo?
Este jantar eu mesmo prepararei.
A mesa, apenas o trivial
é tudo que sei fazer.

Com requinte porei a mesa.
Toalha branca
Dois pratos e talheres
Um castiçal 
Duas cadeiras
Duas taças
uma com vinho de boa safra
a minha taça, com refrigerante 
abstenho-me da bebida alcoólica.
Ao fundo, música suave...
Após o jantar, iremos para a sala
Conversaremos, ouviremos músicas
Cantarei para você ao dedilhar do meu violão
as poucas músicas que, mais ao menos, aprendi a cantar.
Ao final buscarei seus lábios num longo beijo.
Será uma mistura de sonhos e desejos
De olhos de intenso brilho.
A meia luz, ao som de uma música em baixo volume
Lábios que se traduzam, frenéticos, estalaram em som molhado
Corpos inquietos contorcendo em prazer
Do sofá ao chão.
Palavras palavrinhas e palavrões
Numa mistura de insana delícia.
Que seria do amor, sem os olhos nos olhos
palavras nascidas e jorrada lá do fundo de nossas almas?

Depois desta insana e deliciosa paixão
De volta à razão
Amor, escrito e descrito, na sala, quarto, cama e corpos.
Suavemente sentirei o seu deitar em meu peito
Lábios e dedos deslizando pelo corpo suado
Com certeza ouvirá, do meu corpo e do coração, a chamada do amor.
Pense... Terá coragem de correr este risco?

Tonho Tavares.
                 = VIVER O SONHO =

  Quando nasce o amor
O céu se faz em cores
A majestosa lua lança seu sorriso em prata
As flores dantes esquecidas invadem a alma
Tornando-se mensageiras.

Nos terrenos do coração antes áridos
Agora tal e qual olhos d’agua
Minam neste solo os sonhos.
Grande e frondosas arvores de quimeras
Abrem-se em flores.

Duvidas, inseguranças e ciúmes
Brincam com a alma apaixonada
É o quiproquó colocando em xeque
O amor. 

O tempo é passado
Beijos, abraços, frases decoradas e criadas
Fortalecem o sentimento
É a vitória dos enamorados.

Amar é tão bom, tão suave
Que faz do mundo o paraíso
E tão pouco é preciso
É só a Ele se entregar. 

Amar é sentir o coração bater em um mesmo compasso
É doar-se com ardor, a todos os beijos e abraços
É dormir com o gosto indescritível dos beijos
Acordar com desejos
Caminhar juntos por uma trilha sem final.

Quem ama, amacia a alma
Adoça os dias
Tem saudade antes das despedidas
Ouve com planura os desígnios da vida.

Com é fácil amar!
Difícil é esquecer.
Quando amamos e somos amados
Passam os anos, passam as idades, 
Permanecemos para sempre
Como eternos enamorados. 

O amor...
Como é bom descrever
E como é difícil encontrar. 

Tonho Tavares.
                          = A BUSCA =

Não pare de buscar/em algum lugar a sua felicidade está/ por ti, ninguém é capaz de encontrá-la/ quem sabe nas esquinas da vida/no bar lá do centro/no campo por entre as flores/ até mesmo na mulher amada// procure forte, e cada vez mais/ o mundo não para,  para que você dê longa espiadas/Deus, o céu, e, tudo que nele de bom existe, estão lá/ mas a sua felicidade terrena, ainda contigo não está/// vá para o espelho, dê uma espiada/ veja que linda criatura de Deus é você/sorria para si mesmo/ encante com estes seus lindos olhos que podem contemplar no mundo, tão belas imagens/solte sua voz/ ousa o seu cantar/examine este seu bendito corpo que se locomove sabendo, quase sempre, onde chegar/veja as suas mão, que se bem usadas, afaga, acaricia, trabalha/ mergulhe dentro de você/ sinta quantos sentimentos que hão de ajudá-lo/ ouse, pegue tudo que Deus lhe deu/amigos, lugares, família/ volte novamente para o espelho/ não se sinta acanhado /descubra quão simples e grande a sua felicidade/. Todavia, pode sentir um pouquinho de vergonha/ na vida, muitas vezes, sofremos por nada////  

Tonho Tavares.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014


           =O Poeta Nunca Morre=

A escrivaninha empoeirada
No canto adormecido
A caneta, o caderno,
 E um bilhete esquecido.

Ao lado da porta,
Um homem, já grisalho,
Com seu olhar perdido 
Amarga a dor da saudade. 

 As gotas de chuva
Salpicando a vidraça 
São como um coração pulsante
Num corpo sem vida.

O homem resmunga e chora...

_Porque não esperastes 
O crepúsculo de sua existência?
Fostes assim tão de repente,
De presente deste-me a solidão.


É poeta,
Que triste fim tivestes!
Brincastes com palavras e versos, 
Falsos e belos amores,
Dominaste o universo,
Mas não fostes o senhor da vida.

Perdoe-me poeta, vou ler seu bilhete,
Aqui esquecido,
Quem sabe estarão aqui suas últimas lamúrias,
De um homem mortificado
Implorando pela vida.

****
“Meu amigo,
Sei que um dia virá visitar-me.
Aqui, talvez, não mais estarei,
Vou vadear pelos caminhos
Que na vida eu trilhei.

O poeta nunca morre,
Espalha-se pelas estrelas.

Estarei nos versos e universos
No sorriso que conquistei
Nas lágrimas emocionadas
Que tantas vezes compartilhei.

 Conquistarei a liberdade
Dos sonhos que são meus
Buscarei em outras paragens
Lugares lindos que desejei.

Serei sério, bandido e romântico!
Estarei no apogeu da carne,
Mais presente que o humano.
E levo daqui a saudade.

Partir-me-ei, oh morte!
Vou sem lhe dizer adeus,
Deixo pra ti, minha inútil carcaça,
E este sombrio lugar
Que de agora, é todo seu.”


TONHO TAVARES
                    = Sonhos sonhados =

Acorde-me. 
Deslize os teus lábios
Sobre os meus.
  A suave fragrância
Desperta adormecidos sonhos.

Seus esvoaçantes cabelos 
Minha pele acariciam.
Sua suaviloquência
Convida-me a eterna felicidade.
  
Seus trajes, leves, soltos,
Caem como 
Folhas ao acaso.

Despimo-nos de corpo e alma.
O silêncio é ferido pelos sussurros.
Os deuses do amor, do prazer,
Felizes se retiram.
 Eterniza-se o momento.

Acordado, desperto-me dos sonhos
Como é lindo sonhar
Se existiu ou existirá este momento
Só os deuses podem contar.
Se me pergunta
o porquê
Te digo, 
Vale a pena sonhar.

Tonho tavares.
                      =AMOR ALÉM DA VIDA=

  Na zona rural da cidade onde resido, morava um casal de idosos que viviam em tamanha harmonia, que a todos encantavam. 
Não eram ricos, tinham um pequeno pedaço de terra de onde tiravam o seu sustento. Não tinham ouro, pedras preciosas, nem mesmo perfumes de grande valor. Ele, o senhor Marinho, e ela, Dona Divina, que era “divina” até no nome, criaram seis filhos que lhes deram, não sei exatamente, cerca de dez netos. 
Eles já idosos, com sessenta e quatro anos de casados, viviam na plenitude do amor. Os seus filhos casaram-se e foram morar nos grandes centros. Mesmo assim, viviam unidos pelos laços familiares e, pelo exemplo de amor. 
Quando se reuniam - meu Deus - eram momentos indescritíveis. Trabalhavam, caminhavam e passeavam juntos. Seria eles a prova de que o amor não é uma utopia? (Acredito que não, pois ali, bem pertinho moravam o senhor Chiquinho e a dona Zélia, também com sessenta e três anos casados que ainda, sem nenhum esforço, conseguem ser eternos namorados.) 
Os dois casais tinham uma história de amor bem semelhante. Tudo isso é bonito de se contar e garanto que existem vários casos semelhantes por este mundão de meu Deus. 
Sabemos, por experiência de vida, que todos os casais idosos, quando se separam pela morte, ao perecer um, em pouco tempo depois outro se vai, talvez pela idade avançada ou pela profunda perda, causando uma solidão insuportável. 
Talvez vocês estejam perguntando se existem mais casais como eles, que vivem em pleno gozo da alegria e paz. Então, por que narrar este caso, em especial? Vou chegar lá onde fez, deste casal, um marco de amor que durará para sempre.
No final do ano de dois mil e sete, estavam com sempre, o casal nos seus afazeres do cotidiano, quando dona Divina sentindo-se adoentada e disse ao querido marido que iria à cidade (também divina até no nome - Divinópolis) para fazer exames de rotina. Na idade deles fazer certos exames é normal. Ele continuou em sua labuta diária esperando pela esposa amada. 
Dona Divina acompanhada pelos filhos foi a um dos hospitais da cidade. Foi colhida de surpresa por um mal súbito que a levou à indesejável óbito. Foi uma tragédia entre os amigos e familiares. Era ela muito querida por todos. A maior preocupação era como preparar o senhor Marinho, que estava lá na roça, e nem imaginava o trágico silenciar daquele amor tão duradouro e, agora, abruptamente cortado.  
Combinaram entre eles, parentes e amigos, em levar a dolorosa notícia. Várias idéias foram discutidas. Optaram então, por levar um enfermeiro e medicamentos (calmantes) para amenizar aquele coração que, com certeza, sofreria a maior de suas dores. 
E assim o fizeram. Ao chegar ao sítio, chamaram pelo senhor Marinho. Ele não parecia estar presente. Gritaram para fazê-lo escutar, mas nada! Caminharam até os canteiros da horticultura. Também não estava! Voltaram à casa, tocaram no trinco da porta da cozinha e constataram que estava aberta. Resolveram entrar e esperar a sua volta. Atravessaram a cozinha e foram até à sala. 
Foi quando viram o senhor Marinho deitado no sofá da sala, parecia que estava adormecido. Com toda a tristeza que traziam em seus corações, resolveram acordá-lo e dar a ele, a terrível notícia. Quando o tocaram, sentiram que aquele corpo também jazia sem vida. 
Pelos seus corações amorosos, Deus não os deixaria partirem em separados. Talvez fosse à maneira que o nosso bondoso Senhor achou de presenteá-los pelo grande amor vivido. 
Eu tenho por mim que as almas gêmeas nunca se separam. Cumpriram juntos, com alegria, a missão a eles determinadas. Dois caixões, em uma só sepultura, seus corpos unidos, para sempre, como em uma cama de casal. 
  Com certeza, suas almas pairaram sobre os seus próprios corpos, admirando e agradecendo pelos belos momentos vividos. De mãos dadas, com os olhos transbordantes de amor, partiram juntos, pelos jardins floridos da eternidade.  
          Esta não é uma historia de ficção, foi um acontecimento que mesmo triste, não deixou de ser um lindo e real conto de amor.  

       
Tonho Tavares.
                =Verdades=

Há um canto
Na encosta da vida,
Lá onde o tempo deposita
Conhecimento, sabedoria, amor e verdade.
É lá, onde o homem, meio que de lado, dá uma pequena espiada.

Meu caminho é longo...
Não sou eu, o matusalém,
Vivo muito aquém
Do amanhã que virá.

Na matéria, marcas profundas;
No eu, um pequeno acerto e aprendizado.
O tempo é o espaço entre
O nascer, o aprender, o sofrer,
O crescer e o renascer.


Não é o tempo que passa:
O que segue, é a vida como um trem de carga.
Nele viajamos por um breve espaço de tempo.
A bordo, rimos, despedimos, choramos e sonhamos.
Despachamos tudo que é sentimento.
Somos tripulação e passageiros,
Que partem, no único trem derradeiro.

Sou um ser em estudo
Que, ao certo,
Ainda estarei inacabado.

Tonho Tavares.
        = BEIJOS ROUBADOS =

Quem nunca sentiu em sua vida,
O sabor de um beijo roubado?
Aquele delicioso constrangimento,
De um ato inesperado

O invasor de lábios facina!

Daí acontece... Tudo muda.
Sonho, sonho e sonhos,
Sucedem em dias a fio.

É como uma tocha em chamas,
Na mata recequida,
Ateada. 

Quem não viveu este momento,
Do viver pouco lucrou,
Fez da sua vida um palco
Curjo artista faltou. 

Tonho Tavares

                            = Sempre amar =


Não se apresse para amar!
À espreita, o amor está.
 Ele é como a chuva que cai,
Às vezes suave e macia
Rega e enfeita
Traz esperança
Traz vida.

Não tenha medo de amar!
Ele às vezes é intempestivo, 
Traz consigo ventos e trovões
No intemperismo é sofrimento atroz.
Mas vale enfrentar.

Não deixe de amar!
Tudo, e “tudo”, é passageiro
A chuva macia que cai,
A tempestade que arrasa.
Tudo passa!
Tudo se ajeita!

O sol chega calado
Aquece e alivia os corações
Colore de verde as matas
Enxuga as asas dos sonhos.
Como seus raios de esperança
Invade a vida.
Clareia os cantos que, até então, eram desconhecidos.
Do solo, agora preparado, germinaram vidas felizes.
Vale a pena... Vale sim!!!

Tonho Tavares. 
= ENCONTRO ENCANTADO -

Uma estrela
pousou em minha mão.
Brilhou enlouquecida,
Pulou no chão e
Correu pelas ruas
Fazendo rastros.

Rastros de pérolas iluminadas,
Galhos e arbustos...
Tudo que fora por ela tocada,
Brilhava com o pó reluzente
Formando um caminho encantado.

Foi um desce e sobe,
Curva à direita, à esquerda.
Contornava o rio,
Atravessava a ponte e
Embrenhou-se pela mata.
Subiu a serra e
Na gruta fez parada.
Como entender!

Eu, cansado, intrigado,
Pelo caminho me enveredei.
Ao chegar ao topo,
Luzes de mil estrelas,
Raios de luar!

Não era um mundo diferente,
Apenas um lugar.

Sentei-me ao pé de uma árvore
A claridade penetrava
Por entre as folhas
Como flechas iluminadas.

Eu, débil, a mercê do encantado,
Olhei para alto e
Nada vi.
Esperei uma linda rainha
De colar de pérolas,
Brincos cintilantes e
Pulseiras de diamantes.

As luzes encantadas
A gruta iluminou...
Meu coração disparou!
Você veio para meu lado,
Ignorando todo o brilho e glamour.
Vestia um vestido simples,
Leve e um tiara de flores silvestres.
Estava linda, muito linda!
Minh‘alma enamorou-se.
As luzes se foram.
Apenas a lua,
As estrelas,
Bem lá no alto
Para nós sorriam.
O brilho foi embora
Que importa!

Estávamos nós, as sós,
aos beijos e abraços,
Tudo é encanto
quando há luz no amor.


Tonho Tavares