sábado, 27 de setembro de 2014

=VOZ DO VENTO=


Oh! Vento que sopra
Sussurrante.
Palavras que se amontoam
 Confusas se fundem.
Faz-me ouvir
Seus abrolhos.

Das longínquas paragens,
Experiências me trazes. 
Nos galhos que tombam,
O mar que agita.
 Trás consigo
O gaitear
Contagiante.
Torna-se singular,
  A cada instante.

Não pede
Nem despede.
E o senhorio
Arquiteto da natureza,
Silencia e se acalma,
Rumando ao infinito.



Tonho Tavares