terça-feira, 19 de agosto de 2014

                     = O palhaço Chorou =


“Certa vez, muito longe daqui, havia um palhaço muito famoso, que a todos encantava. Quando entrava no picadeiro, as crianças de todas as idades riam tanto que chegavam a cair de seus assentos. Um belo dia, aquele magnífico palhaço foi contratado para fazer uma  criança, que nunca havia sorrido, sorrir. Naquela noite, fizeram uma grande festa. Foi armada uma tenda no quintal daquela rica e triste casa. Ali, tudo lembrava a felicidade: balões coloridos, música, pipoca, mágicos e tudo que fazia lembrar a alegria. As crianças brincavam quando anunciaram que o esperado palhaço iria começar o seu show. As pessoas se posicionaram estrategicamente, para não perder nenhum detalhe. E, neste clima, começou o espetáculo. Era impressionante o quanto todos riam. Mas o triste garoto continuava estático e com a feição apática. A cada momento, nosso bom palhaço mudava de tática, tentando alcançar aquele mundo infeliz que habitava naquela pobre criança rica. Foram horas de combate: “alegria versus apatia.” Até que aquele bom palhaço, vencido pelo cansaço, sentou-se frente a frente com aquela pobre criatura, perguntando num triste sussurro:
    _Filho, que mal trazes na alma, que me negas um sorriso?
    E, olhando fixamente para aquela criança, começou a chorar. Ao ver que o palhaço chorava, aquele pequeno ser humano, começou a sorrir gritando eufórico: 
    _Vejam, o palhaço está chorando! O palhaço está chorando!”
    Graças a Deus, nosso pequeno triste voltou a sorrir. Lembre-se amigo, de que existe muita gente que só aprende a sorrir depois de fazer os outros chorarem.

TONHO TAVARES