quarta-feira, 30 de julho de 2014

      = Poeta do amor =

Quantas luas
quantas estrelas,
florestas, flores e cascatas.
Quantas gotas de chuva
caindo em prata.
Quantos alvoreceres
das manhãs douradas.
Lágrimas, muitas rolaram
perolas viraram
outras, por descuido secaram.

E você solitário poeta
que a tudo assiste
com a vontade amargada
por não fazê-lo ouvido.
Parafraseando contos
seus sorrisos e prantos
numa linda
história de amor.


Tonho Tavares