quinta-feira, 31 de julho de 2014

     = Quero você =

Vou penetrar em seu mundo
não clandestino
Pois do amor, nada se explica.

Serei a sua saudade
Sem tempo, nem idade.
Nas eternas noites de amor
com suaviloquência
levar-te-ei ao fascínio.

Se me queres de verdade
liberte-me de meus sonhos
O amor não sobrevive apenas em devaneios
necessita de calor, de beijos,
de afagos, de tesão e desejos

Libertarei a tua alma
dos grilhões do seu querer
Como anjo serei o seu guarda
ou quem sabe
meio que profano
que a conduzirá
as mais lindas fantasias.

Tonho Tavares
ada � p < �`� 8�� an>

Dividiremo-nos em dois
para fazer-te mulher.


Tonho Tavares

       = Duas metade único amor =

A sua metade eu não serei.
Unificaremos as partes.
Dois corpos,
Uma única alma
A trilhar os caminhos do amor.

A sua outra boca eu serei.
Quando se calar
Com um beijo
Responderei ao teu silêncio.

Serei os teus braços.
Quando fizerdes, criança
Eles brincarão de roda
Com você.

E nas despedidas...
Conduzirei você com as mãos
E segurar-te-ei com o coração.

Mesmo só, estaremos unidos pelo
Sentimento maior.

Quando a noite sóbria e vagarosa
É chegada,
Dividiremo-nos em dois
para fazer-te mulher.


Tonho Tavares

quarta-feira, 30 de julho de 2014

      = Poeta do amor =

Quantas luas
quantas estrelas,
florestas, flores e cascatas.
Quantas gotas de chuva
caindo em prata.
Quantos alvoreceres
das manhãs douradas.
Lágrimas, muitas rolaram
perolas viraram
outras, por descuido secaram.

E você solitário poeta
que a tudo assiste
com a vontade amargada
por não fazê-lo ouvido.
Parafraseando contos
seus sorrisos e prantos
numa linda
história de amor.


Tonho Tavares
Bom dia amigos! 


= Amor no peito =

Abriga-me em teu coração
seremos canção e razão
de um conto de amor

Não é carência o que eu sinto...
É amor!

Amor que busca morada
ultrapassando a madrugada
Numa carreira sem final

Teu rosto, encosta ao meu
Sem palavras
Sem sussurros
Com respiração ofegante
De que anseia aquele instante
Este eu para amar.

Quero um amor forte
de versos
de universo
amor de quem preparou por toda a vida
amor que passou por bons e maus momentos
Agora aqui está no peito retido
todinho guardado
Só para te amar.


      Tonho Tavares

terça-feira, 29 de julho de 2014

      = Noite fagueira =

Teu sorriso é magia
transcede e a vida encanta
o espaço faz ondas
cheirando a felicidade.

Quero o teu olhar
que o meu corpo despe
repousando em minha alma.

O teu abraço eu preciso
entrelaça-me
solva-me por enteiro
como desfaz
na bouca o chocolate.

Os seus beijos eu desejo
faz reviver o meu querer
Numa noite a dois.

Se me deres o que lhe peço
dar-te-ei, por amor
o apaixonado cantico
de um rouxinol em noite fagueira.

 Tonho Tavares
= Teus olhos =

Teus olhos
esbarraram em meu corpo
fragilizaram minha alma
grito de dor
S a u d a d e...

Tonho tavares. 

        = A espera do amor =

Quero um amor
que não seja tão pouco
que me de graça
sem que
e sem o porquê.

Que de forte
cavalgue em sonhos
e grita... eira...eira...
tocando seu rebanho de sentimentos.
Que não se importa
Com a distancia
e nem tempo
para comigo namorar.

Que seja de longe
de perto
ou além-mar
Amor verdadeiro
não respeita tempo
distancia
ou lugar.


Tonho Tavares
       = Conquistar você =

Não me vestirei de pranto
comprarei um terno novinho
branco
Só para lhe conquistar.

Cortarei meus cabelos
castanhos
de branco mesclado
Pentearei no capricho
para lhe impressionar.

Meus olhos de mil luzes
Iluminaram o coração teu
fazendo de ti, flor formosa
a rainha dos sonhos meus.

Cantarei aos teus ouvidos
sussurrarei o romantismo em versos
e se me permitires
levar-te-ei ao universo
lá, muito longe
onde habita
o amor sem fim.

Se me deres...
o teu carinho
o teu sorriso
o teu beijar
até mesmo, o mais secreto dos teus desejos
terás , do meu amor o mais belo
arrebol ao teu olhar.


Tonho tavares

segunda-feira, 28 de julho de 2014

              = AMOR OU DESEJO =

Quero ser o teu arroio...
Saciar a tua sede...
Refrescar o teu corpo
suado de desejos.

Dar-te-ei a flor orvalhada
a cada gole que me beberes.

Viveremos a natureza,
na pureza da chuva miúda,
que formam gotas em sua pele,
molhando os teus cabelos,
transbordando o meu leito.

Talvez ao mar e nunca chegue!
O que importa é ter você comigo.
Sentir o carinho dos teus lábios
que bebe da minha alma,
escorre pelos seus dedos,
Invadindo os teus seios,
buscando abrigo.

Ao nascer do sol, nós dois, lado a lado,
eu refletindo a tua imagem,
que de tão bela,
eu me revelo,
transformando-nos em arco-íris.

 tonhotav@hotmail.com


Tonho Tavares
     = Carta de alforria =

Liberta-me
Solte os grilhões
que a meu ser
Escraviza.
Ouça o meu grito
que a barreira do som
o fez vencido.
Liberdade, liberdade, liberdade...
Sou eu o pequeno escravo da vida
Que bebe a beleza das flores,
Flores silvestres
daquelas que nunca foram vistas ou vendidas.
Sou eu que busco
O bálsamo aromático
da lua e das estrelas
Banhando-me, deixo que escorra
Pelo meu corpo cansado
Entranha pela pele
perfumando minha alma
trazendo-me um pouco de alento
Liberta-me...
Faz do seu amor
a marreta e a bigorna
Quebre a grossa corrente
Aquela, que o meu coração, ha tempos, arrasta.
Venha amor!
Procrastinando assistiremos
o envelhecer dos sonhos.
O tempo se alimenta dos nossos dias
faminto, ele rapidamente nos consome.
Tire-me desta masmorra fria
Dê-me, do teu calor, a alegria
O teu coração
Com certeza
Será ele
a minha carta de alforria.
  
 Tonho tavares
tonhotav@hotmail.com
       = Busco você =

Busco você menina
Flor do campo
De inigualável perfume
Que o meu coração fascina.

Traz-me carinhos
Que ao meu ser se encanta
Resgata a minha alma
Que na solidão devaneia.

Serei teu pássaro canoro
Que lhe recita canto
No silenciar do corpo
No brilho do olhar.

Venha...
Se aconchegue em meu colo
Serei a ti
O seu solo
Onde nasceram
As flores.

O amor não se sobrevive
A ausência do cultivo
Da semente
Enverdece a sol ardente
Muito doce
Ao amadurece no coração

Tonho Tavares


Tonhotav@hotmail.com
= Teu corpo =

Buscarei o teu corpo
como quem desvenda mistério
chegarei a cada curva
com meu corpo em doce anelo.

Meus olhos fintaram os teus
procurando o melhor caminho
minhas mãos se atrevem e antecedem
ao meus olhos enlouquecidos.

Farei dos teus lábios o regato
que a minha sede sacia
neles esta o mapa
que teu corpo anuncia.

Venha minha amada
minha amiga
minha amante
vamos viver varias vidas
a cada pequeno instante.

se o teu descobridor
fizer-me ser
desvendar-te-ei em minúcias
realizando todos os desejos teus.

Roubarei por amor e encanto
o teu corpo e tua alma
que deixaram de ser teus
serás de mim
a prisioneira
cativas do amor meu.


Tonho Tavares

domingo, 27 de julho de 2014

                            = AMOR ALÉM DA VIDA=

  Na zona rural da cidade onde resido, morava um casal de idosos que viviam em tamanha harmonia, que a todos encantavam. 
Não eram ricos, tinham um pequeno pedaço de terra de onde tiravam o seu sustento. Não tinham ouro, pedras preciosas, nem mesmo perfumes de grande valor. Ele, o senhor Marinho, e ela, Dona Divina, que era “divina” até no nome, criaram seis filhos que lhes deram, não sei exatamente, cerca de dez netos. 
Eles já idosos, com sessenta e quatro anos de casados, viviam na plenitude do amor. Os seus filhos casaram-se e foram morar nos grandes centros. Mesmo assim, viviam unidos pelos laços familiares e, pelo exemplo de amor. 
Quando se reuniam - meu Deus - eram momentos indescritíveis. Trabalhavam, caminhavam e passeavam juntos. Seria eles a prova de que o amor não é uma utopia? (Acredito que não, pois ali, bem pertinho moravam o senhor Chiquinho e a dona Zélia, também com sessenta e três anos casados que ainda, sem nenhum esforço, conseguem ser eternos namorados.) 
Os dois casais tinham uma história de amor bem semelhante. Tudo isso é bonito de se contar e garanto que existem vários casos semelhantes por este mundão de meu Deus. 
Sabemos, por experiência de vida, que todos os casais idosos, quando se separam pela morte, ao perecer um, em pouco tempo depois outro se vai, talvez pela idade avançada ou pela profunda perda, causando uma solidão insuportável. 
Talvez vocês estejam perguntando se existem mais casais como eles, que vivem em pleno gozo da alegria e paz. Então, por que narrar este caso, em especial? Vou chegar lá onde fez, deste casal, um marco de amor que durará para sempre.
No final do ano de dois mil e sete, estavam com sempre, o casal nos seus afazeres do cotidiano, quando dona Divina sentindo-se adoentada e disse ao querido marido que iria à cidade (também divina até no nome - Divinópolis) para fazer exames de rotina. Na idade deles fazer certos exames é normal. Ele continuou em sua labuta diária esperando pela esposa amada. 
Dona Divina acompanhada pelos filhos foi a um dos hospitais da cidade. Foi colhida de surpresa por um mal súbito que a levou à indesejável óbito. Foi uma tragédia entre os amigos e familiares. Era ela muito querida por todos. A maior preocupação era como preparar o senhor Marinho, que estava lá na roça, e nem imaginava o trágico silenciar daquele amor tão duradouro e, agora, abruptamente cortado.  
Combinaram entre eles, parentes e amigos, em levar a dolorosa notícia. Várias idéias foram discutidas. Optaram então, por levar um enfermeiro e medicamentos (calmantes) para amenizar aquele coração que, com certeza, sofreria a maior de suas dores. 
E assim o fizeram. Ao chegar ao sítio, chamaram pelo senhor Marinho. Ele não parecia estar presente. Gritaram para fazê-lo escutar, mas nada! Caminharam até os canteiros da horticultura. Também não estava! Voltaram à casa, tocaram no trinco da porta da cozinha e constataram que estava aberta. Resolveram entrar e esperar a sua volta. Atravessaram a cozinha e foram até à sala. 
Foi quando viram o senhor Marinho deitado no sofá da sala, parecia que estava adormecido. Com toda a tristeza que traziam em seus corações, resolveram acordá-lo e dar a ele, a terrível notícia. Quando o tocaram, sentiram que aquele corpo também jazia sem vida. 
Pelos seus corações amorosos, Deus não os deixaria partirem em separados. Talvez fosse à maneira que o nosso bondoso Senhor achou de presenteá-los pelo grande amor vivido. 
Eu tenho por mim que as almas gêmeas nunca se separam. Cumpriram juntos, com alegria, a missão a eles determinadas. Dois caixões, em uma só sepultura, seus corpos unidos, para sempre, como em uma cama de casal. 
  Com certeza, suas almas pairaram sobre os seus próprios corpos, admirando e agradecendo pelos belos momentos vividos. De mãos dadas, com os olhos transbordantes de amor, partiram juntos, pelos jardins floridos da eternidade.  
          Esta não é uma historia de ficção, foi um acontecimento que mesmo triste, não deixou de ser um lindo e real conto de amor.  

       
Tonho Tavares.
       = Desejo meu =

Quero falar de amor
ser o teu bem querer
buscar frases no mais profundo da alma
recitar versos
quem sabe, beijar-te-ei ao amanhecer.

Meus lábios trêmulos e molhados
meu respirar
ofegante de desejo.
Se seus olho virarem brilhos
será muito mais que um beijo.

Desalinharemos os lençóis
travesseiro rolaram pelo quarto
buscaremos as doces quimeras
nosso amor, mais que paixão.

Me perdoe por ser meio louco
fazer planos, quem sabe, que nem serão os seus
em mim existem desejos
fazer de você o amor
que encantaram os sonhos meus.


Tonho Tavares.

sábado, 26 de julho de 2014

     = O plebeu e a princesa =

Meus sentimentos
voaram para ti
numa busca alucinante
de um amor sem fim.

Eu a encontrei...
Estavas linda
como uma rosa orvalhada.
Teu cabelos soltos
ondulavam aos movimentos.

Seu sorriso divinal
desafiava-me os sentimentos.
Teu longo vestido preto
da tua beleza fazia-se sem igual
os meus olhos se encantaram
não sei se me faz bem
não sei me faz mal.

Perdi-me em devaneios
Senti de pouco a pouco
ao romper do dia
o esvaecer-se da felicidade
que dantes, sentia.

Tu maravilhosa
adornada em jóias
cortejada por tantos...
Eu, quieto em meu canto
sofrendo sem acalanto
restou-me chorar.

Talvez eu não tenha nascido
iluminado pelos primeiros raios de luar
não tenho de ti a beleza
o que me resta, é sonhar.

Tonho Tavares


tonhotav@hotmail.com
    = BEIJANDO  NA CHUVA =

Vamos correr na chuva
Beijar molhado
Chegar à casa ensopados
Brincar sério de amar.

Na banheira,
Farei massagem em teus pés
Sentirás que é das mulheres,
a mais amada.

Que importa agora
O mundo lá fora
Se a minha vida é de ti.

Em espuma o teu corpo
Fazendo-me quase um louco
Desejo-te  de paixão.

As minhas mãos eu lhe darei
com carinho
Levantando-a vejo
o seu corpo que a água contorna.
Não resisto...
Dar-te-ei
um abraço espumado,
de beijos e pecado,
Nós dois, eternos namorados.


Tonho Tavares

sexta-feira, 25 de julho de 2014

    = Amor em pedaços =

Queres me conhecer?
Não sou muito
sou parte de mim.
Pedaços me foram arrancados
a saudade, os amores e desamores
grandes partes roubaram-me.

Tenho pedaços que se fizeram pó.
Pelas estrelas se esparramaram
mesmo em pequeninos fragmentos
ainda brilham
trazendo-me esperanças infindas.

Tem pedaços, pelos becos
ruas, botecos, alamedas,
nos campos floridos
e nos tristes vales do acaso.

Pedaços, ainda jovem
em colo de meretriz
nos bancos das praças
que ironia! tem até em santuários.
Pra encurtar a conversa
tem pedaços no céu
outra parte no inferno.

Se desejas conhecer-me como amigo
pedaços não poderá juntar
cante comigo uma canção antiga
dividiremos os nossos sonhos
minhas dores haverão de amenizar.

Se insiste conhecer-me por inteiro
ser, minha amante, amiga e companheira
compre as partes que me faltam
o preço não é tão pequeno
mas quem sabe valerá a pena?

Do passado, nada se aproveita
as mágoas, jogue-as no rio
que iram se afogar
tristezas se cura com beijos
o preço,
e só me amar.

Tonho Tavares

tonhotav@hotmail.com
         = Amor no peito =

Abriga-me em teu coração
Seremos canção e razão
de um conto de amor

Não é carência o que eu sinto
É amor!

Amor que busca morada
Ultrapassando as madrugadas
Numa carreira sem final.

Teu rosto, encosta ao meu...
...Sem palavras
...Sem sussurros
Com respiração ofegante
De que anseia aquele instante
Este eu para amar.

Quero um amor forte
de versos
de universo.
Amor de quem preparou por toda a vida
Amor que passou por bons e maus momentos
Esta no peito retido
Todinho guardado
Só para te amar.


Tonho Tavares

quinta-feira, 24 de julho de 2014

             = Lições de Vida =

          Eu sou uma pessoa que adora conversar. Não importa com quem, o fato é que, não consigo ficar calado. Interessante é que, às vezes, ouço narrativas que nunca esqueço. 
           Há cerca de onze anos atrás, eu estava na prefeitura de Divinópolis aguardando atendimento. Recordo-me bem da época, pois eu havia, naqueles dias, perdido o meu saudoso pai. Naquele momento, eu estava pensativo, quando veio uma senhora aparentando uns sessenta e cinco anos, de cor negra e sentou-se a meu lado. 
         Não demoramos a animar uma boa prosa. Falamos de assuntos diversos e me fascinei com o tamanho conhecimento daquela senhora. Depois de muito conversar, ela me narrou um caso de sua vida que me deixou encantado. 
          Disse-me que há muitos anos atrás, trabalhava de lavadeira para uma senhora de elevado poder aquisitivo e portadora de um preconceito, maior que seus bens multiplicados por mil. O seu marido, também negro, trabalhava na empresa do marido da dita cuja. Ela disse-me que, quando começou a trabalhar para esta senhora, não sabia do pavor que ela sentia por negros. 
          Certa manhã, ela estava com muita sede e veio até a cozinha. Pediu então à outra serviçal (branca) que a desse um pouco de água, quando ela entrou apenas no recinto. A patroa, vendo a lavadeira em sua cozinha, fez questão de mostrar o seu descontentamento. 
          Pouco tempo depois, veio a mesma serviçal, levando o recado da patroa: “Se você pretende continuar trabalhando aqui, não entre na casa. Peça à empregada que ela leva o que precisar.” 
           O preconceito daquela senhora chegava a doer. Precisando muito do serviço, ela continuava a trabalhar condignamente. Alguns anos depois, estava ela a lavar a roupa, quando a filha da patroa chegou aos gritos, dizendo que sua mãe estava morrendo e que precisava de ajuda.  
           A outra empregada não estava no momento e sobrou para nossa querida lavadeira. Sem saber o que fazer, ela dizia para a menina que não poderia entrar na casa, que sua mãe havia proibido, mas ela insistia, dizendo que a mãe estava com uma enorme hemorragia e estava desmaiada no chão de seu quarto. 
          Aquela boa senhora, obedecendo à patroa, correu nos vizinhos em busca de ajuda e não tardou muito a levá-la para o hospital.
          Seu estado de fraqueza era muito grande, estava morrendo. Ela precisava de sangue, e com urgência. Naquela época a dificuldade era encontrar sangue compatível. Foram feitos exames em todos os funcionários da empresa, mas ninguém tinha o sangue que servisse a ela. Foi até que, um dos peões (nome dado aos trabalhadores braçais da época), o único compatível, justamente o marido da lavadeira, se prontificou a doar. 
          O coração dela estava muito enfraquecido e não conseguia bombear o sangue. Os médicos ligaram (não seu direito o nome dado a este procedimento, mas era uma mangueirinha que ligava) a veia dele à dela diretamente e foi realizada a transfusão. O coração dele bombeava em auxílio ao dela. 
          Com certeza, isso salvou a vida daquela senhora. Ao voltar a si e, tomando consciência dos fatos, as lágrimas molharam o seu rosto. Bom, o tempo passou... Se serviu de lição? É claro que sim! Eu particularmente, não tomo isso como um castigo, mas como uma bênção. 
            Ao término da conversa, não senti nenhuma mágoa naquela boa mulher. Não ficaram feridas, apenas cicatrizes. 
                                  
Tonho Tavares
  Amar, torna-te tão sensível, que pode até mesmo levar-te ao sofrimento. Bom dia a todos!

      = Voz do amor =

O lirismo da tua voz
Envolveu todo o meu ser
Arrancou-me as dores
Derramou em mim
A essência das flores
Cultivadas em teu jardim.

O dia dignou-se em mim
Estendendo teu manto
Transparente,
Como a candura de sua alma.

Vieram anjos diurnos
Líricos
Servindo-me uma cristalina taça
Nela se bebe aos goles
O indescritível gosto do amor
Destilado no coração
da minha pequena amada.

Estrelas que dantes ocultas
Agora brilhantes e belas
Transformando a noite de festa
Numa doce quimera.

Eu, embriagado de amor
Em seu colo busquei abrigo
Senti-me despido pelos teus olhos
Olhei-te com encanto
Tudo estava completo
Tudo que eu vivia era lindo.

No alvorecer do dia
Que alegria!
Pássaros cantadores
Num coral divino
Sonorizaram, enfeitando de cores o meu mundo
Senti o amor maduro e profundo
Fazendo-me
um velho menino.

Se tua voz já me fascina
Com noites e dias de amor infindos
Qual será a minha sorte ou a sina
Quando os teus lábios aos meus se encontrarem.

 Tonho Tavares

Tonhotav@hotmail.com

quarta-feira, 23 de julho de 2014

                    = Lei do retorno =

          O pai de uma pequena família, ao passar em frente a uma banca de mercado, viu um cacho de uvas muito bonito. Ele disse baixinho:
    _Meu Deus, a minha esposa gosta tanto de uvas, vou comprá-las e levar para ela.
    Assim o fez. Quando chegou a casa, deu o cacho de uvas para a sua esposa. Ela, por sua vez, sentiu uma felicidade muito grande de ter sido lembrada e agradeceu ao marido. Esperou-o sair para o trabalho e começou a pensar: “ A minha filha gosta muito de uvas, não seria justo que eu as chupasse.”
    Decidiu, então, dar o cacho a sua querida filha. Foi até escola onde ela estudava e lhe deu as frutas. Esta também ficou muito contente e agradeceu à mãe. Quando esta foi embora, a filha pensou: “Coitado de meu pai! Trabalha de sol a sol! Darei estas uvas a ele.”
    E assim as uvas voltaram para quem primeiro as doou.” 
      Tonho Tavares
                     = O palhaço Chorou =


“Certa vez, muito longe daqui, havia um palhaço muito famoso, que a todos encantava. Quando entrava no picadeiro, as crianças de todas as idades riam tanto que chegavam a cair de seus assentos. Um belo dia, aquele magnífico palhaço foi contratado para fazer uma  criança, que nunca havia sorrido, sorrir. Naquela noite, fizeram uma grande festa. Foi armada uma tenda no quintal daquela rica e triste casa. Ali, tudo lembrava a felicidade: balões coloridos, música, pipoca, mágicos e tudo que fazia lembrar a alegria. As crianças brincavam quando anunciaram que o esperado palhaço iria começar o seu show. As pessoas se posicionaram estrategicamente, para não perder nenhum detalhe. E, neste clima, começou o espetáculo. Era impressionante o quanto todos riam. Mas o triste garoto continuava estático e com a feição apática. A cada momento, nosso bom palhaço mudava de tática, tentando alcançar aquele mundo infeliz que habitava naquela pobre criança rica. Foram horas de combate: “alegria versus apatia.” Até que aquele bom palhaço, vencido pelo cansaço, sentou-se frente a frente com aquela pobre criatura, perguntando num triste sussurro:
    _Filho, que mal trazes na alma, que me negas um sorriso?
    E, olhando fixamente para aquela criança, começou a chorar. Ao ver que o palhaço chorava, aquele pequeno ser humano, começou a sorrir gritando eufórico: 
    _Vejam, o palhaço está chorando! O palhaço está chorando!”
    Graças a Deus, nosso pequeno triste voltou a sorrir. Lembre-se amigo, de que existe muita gente que só aprende a sorrir depois de fazer os outros chorarem".
      = Queira-me =

Por favor... queira-me...
Se quiser-me...
Serei a brisa fresca
que acariciará a tua alma flamejante.
Buscarei pra ti, os mais lindos raios de luar.
Colherei as estrelas
farei delas um tapete
que por magia do amor
a conduzira ao cume da paixão.

Se for do teu querer...
serei a água pequena
que desce pelas matas
tão límpida e refrescante
que saciará a tua sede.

Se ainda me quiseres...
Dar-te-ei a rosa vermelha gotejada
das manhas de maio.
Serei o vento macio
que sopra teu rosto
ondulando os teus lindos cabelos.
Darei a ti
os derradeiros beijos
que a despertará
nas madrugadas de amor
enlouquecido.

Se não quiser-me...
Perderei todos os meus encantos
recolher-me-ei em meu canto
donde ouvirei
o lindo cantar do trovador
no mais profundo do teu abandono.

Tonho Tavares

tonhotav@hotmail.com

terça-feira, 22 de julho de 2014


    = Sonhos e vida =

Sou na vida
todos os sonhos.
Navego em conchas gigantes
no limbo escrevo versos.
ao centro cultivo amor.

Descrevo as minhas quimeras
de tempos, idos e vindos
que ainda não veio e nunca passou
serei eu seu caso
quem sabe o seu amor?

Como um louco alado
viajo ao vento
visito estrelas
navego na imensidão
dos sentimentos.

Solto as velas a todo pano
sou eu a pressa de amar
no cio da fêmea
entrego-me aos seus encanto
fico a mercê dos seus beijos
quero vê-la suspirar.

E na alcova bem singela
o catre macio
com lençóis de cetim
é ali que começa os sonho
de uma paixão sem fim.

Tonho Tavares
tonhotav@hotmail
        = Doces quimeras =

Pela janela de meu quarto
meus olhos, em devaneios, percorrem caminhos
A chuva fria e fina
salpica a minha vidraça.
Não sei se é vazio
saudade
ou a busca de você?


Queria eu
nesta manhã fria
estar junto a você.
Aconchegar-me em seu corpo
fazer amor tão louco
beijar ao gozo
de imenso prazer!

Sair de mãos dadas da cama
sentaremos a mesa
Mãos entrelaçadas sobre ela
tomar um chocolate quente
beijos com sabor de desejos.

Fintarei os seus lindos olhinhos
O seu rosto, eu acariciarei
Talvez nada eu diga
quem sabe um sussurro...
Te amo!

Hoje eu não irei trabalhar
decidi contigo ficar
vamos ouvir músicas, namorar
assistir um filme
comer pipocas
recitaria verso
que escrevi para você.

Perdoe-me amor
o dever me chama
Estou só
vivendo no momento

as minhas doces quimeras. 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

       = 0 Amor =

O negro manto da noite
Cobriu a terra
O amor que estava em festa
Pelo raio do luar
Veio a terra passear.
Contaminando toda gente
Convidando-os a amar.

Um casal de velhinhos
Que a cama estendiam
Se agarraram aos beijos e abraços
Fazendo amor como a tempos não faziam.

Os casais que estavam em crises
Esqueceram as diferenças
Se atrancando aos carinhos
Refizeram seus juramentos.

O mundo tornou-se em festa
Casais pelas ruas se abraçavam
Nos motéis, nos descampados
Na noite do amor
Todos sentiam amado.

O dia buscou o sol
Aos primeiros raios 
o amor embarcou 
deixando na terra as sementes
so colheu quem o semeou.

Tonho Tavares
Tonhotav@hotmail

     = Sou eu =

Sou feito do sentimento maior
Magoas, só a do momento.
Lágrimas...apenas as significativas, que vem das alegrias
sorrisos, a todo instante.

Amor amizade
Amor igualdade
Amor... amor...
Amor, amar.

Serei a ti
depositário fiel
dos teus melhores sentimentos.
Viverei contigo feliz, aos grandes e pequenos momentos.
Serei um humilde forjador de amor.

Se em tua vida me permitires
elaborarei versos
rabiscos ou não...
As vezes em papel
A maioria das vezes diretas em teu coração.

Pouco me importa os valores fúteis dos homens
não é este o valor que proponho.
Preciso de tão pouco, é claro!
Quero abrigo para este coração sonhador.

Sugaremos toda a essência dos desejos
A cada lampejo
despertar-te-ei ao mais profundo das tuas emoções
Terás um amor ido e vindo
na ternura dos amanhas
E os carinhos Cali entes das noites
eternizados pela paixão.

Tonho Tavares

tonhotav@hotmail.com
     = Amor e dor =

Me eternizo ...
...a cada dor
...a cada sorriso
...a cada lágrimas
...a cada amor.
Sou um eclético vivente
Sempre perdendo-me em devaneios
Mas me reencontro as duras realidades do dia.

Olho nos olhos
busco respostas.
Meu espelho
não mais me deforma
criei forma.
Sou real
fantasia sem igual.

Tornei-me fã do amor
teria mesmo que o ser
Pois é ele o elo que liga-me a você.

Eu pronto?
certamente que nunca
Serei eu poeta?
Talvez.
Quando a dor e o amor
me aprontam
com ardor em versos respondo.

Tonho Tavares

tonhotav@hotmail