segunda-feira, 30 de junho de 2014

        = Teu homem derradeiro =

Preciso o querer do teu corpo
Embebedar-me nas malícias dos teus lábios
em todos os acasos
até o manso e prazeroso
desfalecer.


Venha, regue
cultive este corpo
que em tua ausencia
recequido perece.

Não permita o desvairar
das quimeras.
Induza minhas mão sedentas
silencia o não querer
fazendo o corpo contorcer de desejos
gritar como hino de tesão 
ai...  paixão!

Se me quiseres
por favor
não me queira por partes 
Nunca  um amor passageiro
Serei, por ti, pelo amor
O teu homem derradeiro.


Tonho Tavares