quinta-feira, 29 de maio de 2014

      = Não demore =

Continuo em sonhos.
A realidade assusta-me
Decepções, desamor
Há sofrimento em cada canto
Ates não explorado.

Deixo tudo de lado
Do amor sou adepto.
Acredito  que algumas estrelas
Daquelas que do céu faz bordado
Farão cadentes
Num risco em brilho
Despertaram os sonhos
A  minha doce amada.

Levar-te-ei ao meu mundo
Onde os sonhos se misturam a realidade
E o resplandecer do amor
Ilumina a carne e na alma faz morada.

Sairemos de mãos dadas pelos jardins da vidas
Sentiremos o arrepiar da pele a cada beijo
A cada abraço o deleite da paixão infinda
Corpos em fusão
Coração num mesmo compasso.


De prazer beberemos em pequenos goles o nosso dia
A noite, o abrigo dos nossos corpos
em deleite.

A tudo será permitido!
Vivenciaremos  em telas panorâmica
Todos os nossos bons momentos
De um amor que de tão simples
Tornou-se puro.

Por favor, não demore!
O tempo se faz pequeno
quando se tem tanto amor a dar. 

Tonho Tavares