segunda-feira, 28 de abril de 2014

=Sede de amar =

Em teus braços,
O aconchego.
A fina lamina dos teus olhos
Incisa o meu coração.

Prazerosa dor que invade.
A alma o coração se abraçam,
iluminando o corpo.
Os olhos se fazem néon.
O amor é despertado.
Suspira a vida.

Por que a sede do amor?
É a busca da pele o calor?
É o querer sentir saudade,
de quem ainda não foi?
Por certo, o prazer do corpo
e da alma no enigma
de um sentimento inexplicável.

Tonho Tavares