segunda-feira, 28 de abril de 2014


                   = Desejo Ardente =

Hoje ao acordar, olhei para o teto.
Mais uma vez, visitava-me a solidão.
Ouvia-se
algazarra de pardais 
que a suas crias tratavam.

Estralei os lábios.
Com a língua
contornei toda a boca,
senti o gosto de mil beijos.

Noites de sonhos e desejos.

A pele ainda aquecida
do puro amor.
No ar, a essência do vazio.

Beijos apaixonados, com abraços
e desejos enlouquecidos.
Fronhas, travesseiros, lençóis,
em completo desalinho. 

Perfume de esperança,
penso eu,
de uma noite
sem regras e sem barreiras.

Serão os melhores beijos, 
aqueles que ainda estão por vir. 

Tonho Tavares