domingo, 23 de fevereiro de 2014

                       = Ledo engano =

Sou da vida, o coadjuvante
Não importa aqueles instantes
Que me faço, de certa forma, “importe”

Engano-me...
...Quando as águas eu mudo o rumo...
...Quando as estrelas a lua
e as noites de intenso amor
eu as alinho
 até mesmo, faço-me poeta
rabiscando meus versos ao vento.

Ledo engano!
Que faz do poeta verdadeiro.
O romantismo é o suspiro dos desejos
Interiorizado, explode em encanto
Na junção de paixão e o amor verdadeiro.


Tonho tavares