sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

       = PRESENTE DE AMOR =

O céu veio a terra...
Beijou o chão, reverenciou o mar, as cachoeiras
As matas, e os montes.
Chegou ate você
Não lhe fez reverencias
Buscando-a pelas mãos
Contou-lhe uma linda história de amor
Fez você dormir
Cobrindo-a com o lençol branco dos sonhos
E por ali, eu a esperava.
Linda, você estava
Cabelos soltos ao vento
Seus olhos mais pareciam perolas negras
De intenso brilho.
Com delicadeza, eu a abracei.
Como por encanto
Uma canção nos fez ouvir
Dançamos como na realeza
Rodamos por todo o imenso salão
Distribuímos sorrisos de uma eterna felicidade.
Senti que teus lábios vinham de encontro aos meus
Naquele momento, como por magia
Todo o cenário se desfez
Ali estavam, você e eu
Na cama entre paredes
Reféns de um amor inevitável
E sem fim.
Tomei você em meus braços
Vieste com leveza e furor.
Beijei os teus lábios
Com fome de amor.
Envolvemo-nos loucamente, ate a exaustão
O prazeroso gozo, calou os nossos sussurros e gemidos
No relaxamento dos sonhos, adormecemos.
Não fui eu, o autor da conquista
Foi o céu que veio a terra
Dando-me você como um presente
tornando-se o mais valioso
Tesouro da minha vida.

Tonho Tavares
toninhotav@hotmail.com
                 = BEIJO DA MULHER AMADA =

é dividir sonhos
É buscar juntos a luz
Ainda que se faz noite escura.

Na candura deste sentimento
Por ninguém ou por nada
Ele (o amor) se faz ausente.

Os seus sonhos eu os quero
Doce são as quimeras
Que os nossos sonos veneram.

Sede minha metade
Venha,  descubra  o este universos
Que tenho guardado só para ti.

No seu pensar, talvez eu seja o derradeiro
De pouca eira e sem beira
Mesmo que eu esteja
Cheinho de amor para lhe dar.

Talvez eu seja um louco
De você não quero tão pouco
Preciso de ti, por inteira
Neste meu cálido coração 
venha se aconchegar.

Dar-te-ei um céu de mil estrelas
Um luar  feito cachoeira
Todinho em prata
Iluminando monte, florestas e cascatas
Arrancando de ti, o seu mais lindo sonhar.

Eu a mercê de tanta felicidade
Colherei a rosa púrpura da madrugada
Toda orvalhada!
Em baixo de sua janela, numa noite de seresta
Cantarei,  a ti, um belo verso
Para a rosa eu lhe entregar.

Você em fascínio, meia que descuidada
Lábios trêmulos de quem é amada.
Desnudará meu coração e minh’alma
Com um eterno beijos
Beijo  de mulher sonhada.

Tonho

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

                       = A LUA E EU =

Certo dia,
 a lua e eu,
 em breve prosa,
trocávamos palavras em olhares confidentes...
_ Diz-me, amiga minha...
Tu, com tal beleza,
 por que vagueia tão sozinha?

Tens o dom do encantamento,
inspira os poetas.
Dos enamorados
ouvistes tantas juras de amor!

Tu, minha linda menina,
sempre nos encanta!
Às vezes cheia, enorme, arranca suspiros de saudade
 de um amor que se fez ausente, quem sabe distante?
Minguante ficando estreita, tal e qual uma conchinha.
Em cada quarto, completa o seu ciclo
 em singular beleza.

Sabes que lhe invejo, minha querida amiga?
Tu sabes enfeitiçar a tudo e a todos,
 dando um tom de magia por onde passa.
Até o poderoso mar se acalma
fazendo silenciar as suas ondas.

 No lago, como um enorme espelho Iluminado
 reflete a tua imagem.
Sei que vaidosa, ali, dá uma longa espiada!
 Serras e montes se curvam à sua chegada
Em festa, as árvores balançam as suas ramagens.

Quando tu passares por ela, tu bem sabes de quem eu falo...
Ela mesma, a minha mulher sonhada e amada.
Diga a ela, que venha enluarar-se comigo
Terás os meus braços e o meu corpo, por abrigo
Meus lábios insaciáveis, enlouquecidos de desejo
Cobrir-lhe-ão com milhares de beijos!
Sabe minha amiga...
serão tantas juras e palavras, que só mesmo em poemas
poderão ser reveladas.

Minha amiga, falei muito
Não ouvi o porquê de tua solidão?
Gosta de estar a sós, ou, é uma eterna apaixonada?

_ Meu amigo...
Devo satisfazer a tua curiosidade...
Sou eu, assim como sou, vaidosa e faceira
Tenho tudo como companheira.
Adoro ouvir os galanteios dos poetas
Ser fonte de inspiração para os beijos
Despertar os desejos
Carrego comigo o pó do eterno e romântico amor
quem dele se contamina, suspira, e a sensibilidade lhe aflora
O amor paira como uma linda nuvem clara em dias de primavera.

Sou iluminada pelo sol
Dele, recebo os teus calorosos abraços
Dançamos no mesmo compasso
Enfeitando a terra e o firmamento.
Brinco de roda com as estrelas
Cochichamos, fofocamos
deliramos a cada lindo caso de amor!
Por vezes, choramos, aquele amor que se findou.

Somos nós as anfitriãs das noites de magia.
Nascemos eternas, não vivemos por alguns dias.
Assistimos muitos romances de reis com rainhas,
Príncipes e princesas.
Do palácio até os mais humildes dos enamorados...
Enfeitamos a todos, com o mesmo cuidado
para que o amor se tone infindo.

Solidão... não conheço tal desfecho!
Nunca me aborreço.
O amor é caro e não tem preço.
Tenho pena de quem vive só!
Não por falta de companhia
fechou-se todavia
deixando o amor lá fora
donde não se sente
nem mesmo os olhos de sua alma podem ver.

Devo continuar minha caminhada.
Se um dia eu o encontrar junto a ela
baterei em tua janela e,
Como oferta, lhes darei uma linda noite de amor!

Tonho Tavares. 
           = AMOR MEU =

O amor
traçou caminhos
Instalou-se bem quietinho
Neste coração meu.

Esparramei-me em versos
Convidei a ti
para um longo beijo
Para as caricias, certamente junto aos desejos
Numa história sem final.

Conquistaste-me com teu lindo sorriso.
Amar-te por toda a vida
É como um relâmpagar
É tão rápido
É tão pouco
Diante do amor que por te, mulher, tenho guardado.

Se muitas vidas eu tivesse
Em todas elas amar-te-ia.
Só Deus sabe quantas e quantas vidas
Eu já vivi
Asseguro-te, que em todas elas eu te amei.

Encontrando-te agora
No crepúsculo dos meus dias
Que importância faz o tempo que passou
Se tenho-te por este dia.

Vejo-te em meus sonhos
Correndo nos campos floridos
Deitando a beira do lago
Nossos corpos, nossos abrigos.

Sinto o cheiro da tua pele
A fina lâmina penetrante do teu olhar
Despindo-me de corpo e alma
Venha logo amor meu
Fazer de mim
O teu cantar.

O vento que parte uivante 
Proclama em rima o nosso bem querer
Tombando docilmente a fina ramagem
Balançando as frondosas arvores
Em reverencia ao nosso amor.  

Tonho Tavares
                 = PAIXÃO E LOUCURA =

Deixe-me vê-la dormir
Sentir os sonhos que povoam você
Ver seus lábios entreabertos como quem está a beijar.
Sobre o linho,  seu corpo se contorcendo em desejos.

Ah! Quisera eu ser o seu homem
Ter os seus lábios pronto para o beijo
Apertá-la em meus braços
Amar, amar e amar.

Ao seu despertar
Estarei ao seu lado
No rosto um sorriso
Nas mãos uma rosa perfumada.

Entregue-me os seus lábios
Os beijos eu lhe darei
Em meio ao lençóis  e devaneios
Os desejos mais ardentes conhecerá. 

Tonho tavares

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

             = EU E VOCÊ =

Quero você...
Venha...  vamos em busca dos prazeres
Sentirás o calor de meu corpo
O pulsar do meu coração que por ti clama.

Serei o colo que embala os seu sonhos
Serás, o sonhos que despertar-me a vida.
Em seus lábios , o encantamento.
Em seu corpo, o meu abrigo.

Em noites frias
em doces quimeras
Nossos corpos em encanto
É o amor nos esmera.

Compartilhamos a noite e o resplendor do dia 
Amantes em crescente abundancia
Vidas numa única vida
De felicidades sem igual.

  Tonho tavares
        = QUERO VOCÊ =

Quero você, 
minha flor viçosa,
que um dia, faceira e prosa,
cresceu em meu jardim.

No lirismo do anelo,
será sempre a mais bela
que, em mim, impera
seu perfume de jasmim.

Serei o seu paraíso.
Meu amor é sem juízo,
cresce e brota sem perguntas
maltratado-me o coração.

Se um dia me quiseres,
por favor, não se revele,
sentirei na própria pele,
o amor que vem de ti.

Buscarei para o meu leito,
Terá do amor
o mais perfeito
que guardei pra ti.

Deixe-me ser o teu amante,
será sempre uma constante...
noites lindas de paixão.

Tonho Tavares

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

                 = AMOR NA MANHA RAIADA =

Acordei-me aos primeiros raios do sol
Fui à janela
Vi as flores salpicadas de orvalho
Senti o perfume da manhã.
Ouvi o cantar dos pássaros
O cheiro do café invadia o quarto.
Ergui meus olhos, agradecendo a Deus pela graça recebida.
Tornei-me parte integrante daquele lindo dia.
Lembrei-me de ti
Que em alguma parte tu estavas.
Sussurrei com carinho o teu nome
Um pássaro, que também estava  só
Adivinhando o meu pensar
Em seu galho
Entoou o seu cantar.
Naquele canto, havia um chamado de amor.
Pensei em você... 
Quem sabe distante
Quem sabe por perto
Quem sabe a caminho
Quem sabe jamais eu a veja!
Meu coração inconstante
Entristecia-se e alegrava.
Chorava e sorria.
Apenas uma certeza, o amor existia.
De repente o pássaro se enlouqueceu
Feliz abria as asas
Dançou elegantemente por sobe o fino galho
Arrepiou as penas...
Era chegada da sua amada fêmea.
Voaram, voaram, voaram...
Ate se perderem no infinito do amor nascente
E eu, com ele em minha mente...
Cantei alto...
Cantei forte...
Cantei livre...
Cantei ate o desalento.
Quem sabe numa destas manhas raiadas
Meu canto será ouvido
E a minha hora também será chegada
Dançarei, arrepiarei, tal e qual o pássaro apaixonado.
Daremos as mãos
Em rumaremos para o infinito.

Tonho Tavares
                  = VERSAR PARA VOCÊ =


Se eu pudesse fazer a ti
Os meus versos
Dar-te-ia  o meu universo
Numa candura sem igual.

Eu lhe daria a certeza
Da vida toda beleza
De um amor sem final.

Sou um sonhador
Pouca  escola, sem traquejo
Em meu destino eu a vejo
Sem ti é solidão.

Venha acalentar esta alma
Com amor e carinho
Quem sabe no amanhã 
Sermos parte do mesmo ninho.

Amar é o encantamento da alma
É enxergar em tudo a beleza
É saber que a natureza
anda de mãos dadas com o amor.

Tonhotavares

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

       = NO COMPASSO DO CORAÇÃO =

Meu coração tal e qual um pendulo
no compasso balança
vai pra "lá" vai pra "cá"
vai pra "lá" vai pra "cá"

No repetido bordão
entoa  a canção
diz "sim" diz "não"
diz "sim diz "não"

Busco o "sim"...
felicidade sem fim
Busco o "não"
Serei ou quem sabe?

Do "sim" ao "não"
um longo talvez.
Plenitude a vista?
Depende de nós
Muito mais de você.

Na "ida"
semeia o amor.
Na "volta"
rega com lágrimas
Na "ida" 
colhe rosas.
Na "volta"
cuida-me dos espinhos.

Paro, reparo, inspiro-me
entre "idas" e "vindas"
um bom tempero
me encontro por inteiro.
Venha, amor meu!
Com meu coração compartilhar.
Vamos amar a cada instante
pra "lá", pra "cá", pra "lá", pra "cá".

TONHO TAVARES 

          = ESPERANÇA E AMOR =  


Vou buscá-la menina
Na derradeira lua
Numa canção linda, só sua
Que entre sonho e amor
Escrevi pra você.

Venha...
Fiz para você uma ponte
Donde jorra a linda fonte
Dos amantes apaixonados.

Caminharemos pela estrada do encantado
Nós, eternos namorados
Rumaremos para o vale dos amores.

Tonhotavares 

  = ALMA DESEJO =

Permita-me penetrar em sua alma
Ler os seus mais secretos desejos
Quero realizar os seus mais profundos sonhos
Amor é sonhos e desejos.

Não trouxe nas mão a magias
Nem sou tão pretensioso
No amor lhe darei alegria
Na vida um eterno gozo. 

Tonhotavares

.
        = PAIXÃO ARDENTE =  

         
Aconchegar-te-ei em meus braços
Como uma gatinha bem manhosa
Meus dedos trilharam
Pelo seu corpo,
Espertos, às vezes lentos.

Sentirei seu respirar ofegante
Incessante, marcante,
Pedindo-me mil beijos.

Olhos fechados
Corpo em chama
Contorce e clama
Sedentos de amor.

Seres que se esparramam
Tortura, castigo
Geme a alma
Grita o insano desejo
Pelo corpo espalham-se beijos
Que se multiplicam.

Não são mais corpos 
São artes em destroços
De um ataque febril
De uma paixão avassaladora.

TONHO TAVARES 

Tonho Tavares
        = VENTO ALENTO =

Lento passava o vento
Não é vento
É alento
Lento, vento, alento
Soprou para longe o sofrimento.

Tonhotavares

domingo, 23 de fevereiro de 2014

                       = Ledo engano =

Sou da vida, o coadjuvante
Não importa aqueles instantes
Que me faço, de certa forma, “importe”

Engano-me...
...Quando as águas eu mudo o rumo...
...Quando as estrelas a lua
e as noites de intenso amor
eu as alinho
 até mesmo, faço-me poeta
rabiscando meus versos ao vento.

Ledo engano!
Que faz do poeta verdadeiro.
O romantismo é o suspiro dos desejos
Interiorizado, explode em encanto
Na junção de paixão e o amor verdadeiro.


Tonho tavares 
           = ESCREVENTE SONHADOR =

Poeta... eu não sou
Sou escrevente das minhas quimeras
Se a vida oferece-me um traço
Na poesia solvo-me em versos.

Estudo eu não o tenho
fascinei-me pelo amor
se na alma fagulhas adormecidas
desperto-as, não as deixo esquecidas.

Se me amas de verdade
Venha,  serei o seu bemquerer
Se não sentires bem a vontade
Será hora de um triste adeus.

Meu coração chora
A ausência que é só sua
Em versos eu o consolo
A minh’alma sempre será sua

Sou feliz escrevente sonhador
Sonhar sem dor é esperança
Se eu a tenho em meus versos
Vivo uma eterna criança.

Tonhotavares

         = TEU CORPO =

Buscarei o teu corpo
como quem desvenda mistério
chegarei a cada curva
com meu corpo em doce anelo.

Meus olhos fitam os teus
procurando o melhor caminho
minhas mãos se atrevem e antecedem
ao meu corpo enlouquecido.

Farei dos teus lábios o regato
que a minha sede sacia
neles esta o mapa
que teu corpo anuncia.

Venha minha amada
minha amiga
minha amante
vamos viver varias vidas
a cada pequeno instante.

Se o teu descobridor
fizer-me ser
desvendar-te-ei em minúcias
realizando todos os desejos teus.

Roubarei por amor e encanto
o teu corpo e tua alma
que deixarão de ser teus
serás a prisioneira
cativa do amor meu.

Tonho Tavares

sábado, 22 de fevereiro de 2014




    = MOMENTO E DEVANEIOS =

Estou à mercê de meus pensamentos.
Não sei se por muito tempo
Quiçá, por um único momento?

Em devaneios
Sonho, rio e questiono
Nada soluciono
É uma enxurrada de vozes
Algumas loucas
Outras, da boca
Da alma são tão poucas.

Certo...
Concreto...
Só o amor em meu pensar é correto.

Quando louco...
Pastoreio a lua e as estrelas
Desato a grande cutina negra da noite
Em tons prateados, eu a bordo
Para que o cenário venha lhe encantar.  

Neste desvairado pensamento...
Coloca-nos
Lado a lado
Lábios colados
Lá na praia
Esperando que o sol venha nos espiar.

Meus sonhos comigo nasceram
Juntos, envelhecemos
Se por ventura julga-me insano
Sou feliz
Pois nunca deixei de amar!


Tonho Tavares..
      = LUZES DO AMOR =

Tu és a luz
De intenso brilho
Ilumina, invade, atrevidamente
Ocupou todo o meu vazio.

Sou a tua lua
Tu és a minha noite do eterno amar
Sou o teu sol
És a minha manhã raiada
Sou o teu pássaro cantor
És a minha flor que desabrocha
Na brisa da madrugada.

Sou o tempero dos teus beijos
Quando nossos lábios se casam.

Somos poucos
Somos tudo
Somos nós.

Somos a voz que no infinito retine.
Eia...eia...eia!
E as estrelas pastoreiam.

Amor, amar, amada...
É mais que sonho
É mais que magia
É a arte mais pura em escultura
Esculpida na planura d’alma.
Quando de verdade amamos
Estamos um pouco Deus
Um pouco anjo
Um pouco louco
Somos a luzes do amor.

Tonho Tavares
                          = NOITE AMIGA =

Noite que desfila
em escuro ferrenho
solteira, vagando incauta.
Seja minha companheira
seja como tal uma espiã do amor.
Leva-me nas asas do teu silêncio
à alcova donde está a minha amada.
Entre primeiro, sussurre ao ouvido dela
levando à janela.
Pinte o céu com lindas estrelas
convide a lua, sua fiel companheira
fique maravilhosa, como bem merece o amor.
Guiar-me-ei pelo perfume que dela exala
que em ti, minha negra amiga
ficara impregnado.
Caminharei até a sua janela
Com amor e desejo
declamarei versos
de poetas diversos.
Cantarei para ela, uma canção de amor
de um tempo já passado.
Se por acaso, a porta ela abrir
devo despedir-me de ti.
Perdoa-me se eu for ingrato
devo me aconchegar naqueles braços
e até o amanhecer, certamente
não mais me verá.


Tonho Tavares

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

            = VAZIO DA ALMA =

Hoje acordei sem poesia
Coração ausente
Alma vazia.

Senti-me só e carente.
Procurei solver-me
Nada fazia sentido.

A manhã estava linda
Pássaros em revoadas
Céu de um azul intenso
Poetas inspirados teciam os seu versos.

Peguei o carro
Fui até a cachoeira
Sentei-me na sombra da mais frondosa arvore
A brisa fresca soprava o meu corpo.

Estendi os meus olhos a imensidão
Fui em busca dos meus ausentes  sonhos
Cheguei em meu cantinho encantado
Na certeza de novas ilusões.

Uma sessação de alívio pairava sobre minha alma
Andei pelos floridos vales
Ouvi o gaitear das cascatas
Maravilhei-me com aquele encantado lugar.

Voltei a pequena cabana
Aquela,  lá à beira do lago
Adentrei, tudo estava como dantes

A lareira
O tapete
A rústica mesa de madeira
Com apenas duas cadeiras.

Cheguei ao quarto...
O catre com uma colcha de retalho estendida
Dois criadinhos mudos na parede encostado
Dois cabides
no teto um candelabro iluminado a velas
Na janela uma cortina amarelada pelo tempo
Do lado de fora, um jardim de margaridas enluarado.

Que paz!
Estava tudo quase perfeito
O que faltava, não eram os sonhos
Era você,  mulher amada.

Tonhotavares
          = MANEIRA DE TE AMAR = 

                Buscarei você...
...nas noites serenas de amor infindos
...a cada manha de sol raiado
...a cada maltrato da saudade
...a todos os momentos que minha alma invade
                        ...sempre!!!
                          ...sempre!!!

                              Darei a você...
... beijos molhados nos momentos intrínseco de paixão atroz 
...o meu coração, nos dias que o corpo fizer ausência.
...a cada amanhecer, flores, cafés e beijos.
...para sempre, eu em sua cama, em sua vida, ate quando não mais o amor meu desejar.
Tonho Tavares

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

     = A LUA DOS MEUS SONHOS =


Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Com tua voz suave
Tal como a brisa da cachoeira
Convidaste-me, amada lua!
A viajar em devaneios.

Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Vestiste-me com a singeleza do encanto
Vieste em acalanto
Pintaste em meus olhos um sorriso
Enxugaste o meu pranto.

Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Vieram as estrelas
Esparramando em passarela
Iniciei a caminhada
Em uma doce quimera.

Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Passadas leves por entre as estrelas
Na leveza de um sonho maior
Deslumbrei-me com tal beleza
Na ternura do teu olhar.

Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Os meus olhos em teus olhos
Misturaram os nossos momentos
Buscamos a lua companheira
Que iluminava aquele momento.

Eu vi a lua...
Quem sabe minha...
Quiçá tua...

Trêmulos de desejos 
Os meus lábios encontram os teus
Entregamos-nos aos beijos
Nas delícias do amor.

Eu vi a lua...
quem sabe minha...
Quiçá tua...

Foste tu
Linda mulher
Senhora da lua e do luar
Enviaste a tua lua
Tão longe vieste me buscar.

Eu vi a lua
Não era minha
Era tua
Quiçá um dia nossa?

Tonhotavares. 
         =´QUANDO ESTOU POETA =

Quando estou poeta
Sinto uma brisa mansa conduzindo-me ao paraíso...
Abraço e beijo os corações que se permite desvairar.
Penetro no mais profundo de minha alma
Buscando o colo que acaricia-me sedento de amor.
Enxugo lagrimas,
sorrio gostoso,
penetro em tantos mundos!
Visito alcova adornada com os mais finos tecidos
 tapetes persa,
Ouço Gardel,
 danço Strauss.
 Vejo-te de branco vestida. 
Em traje a rigor
eu me adorno.
Sem limites, nos mais profanos sentimentos, perdemo-nos.  
Com a mesma sede
sacio-me na mais singela casinha branca
bem ao longe,
Pertinho do lago
Onde as estrelas e luar em prata, repousam suas imagens
Eu, poeta, os meus mais lindos sonhos adorno.
Que importa! O que conta e o amor.
Bebo o mais fino cálice dos devaneios
Retorno-me ao mundo por inteiro 
Do mais fino vinho 
eu sinto o gosto,
degusto...
Sabor de vida!   

Tonhotavares
          =DESPERTAR DO POETA = 


Hoje, não me despertei poeta!
Acordei  amante...
...Que procura, a todo instante
...Os seus desejos saciar!

Sinta as minhas mãos
Que pelo seu corpo vagueiam...
...Lendo, 
...desvendando,
 ...atiçando
Os desejos, quase loucos,
Arrancando suspiros e gemidos
Num delírio sem igual!

Vamos namorar no chuveiro?
Daremos beijos,
...Literalmente molhados!
Corpos em chama
Ao limite do gozo!

Carregarei você...
...molhada
...Corpo ardente em brasas!
Minha boca em sua boca até a cama
Serão lençóis e fronhas ensopados!

Contemplarei...
...o seu corpo nu,
Contorcendo de prazer,
...Assanhando-me, 
...Inflamando-me, 
...Convidando-me
As carícias do amor!

Lençóis de linho, 
...Em desalinho,
...Travesseiros ao chão,
...Roupas espalhadas pelo quarto,
Consequências dos nossos corpos em ebulição!

Agora...
...Olho a cama vazia,
...O quarto na mais perfeita harmonia,
Dorme o amante,
Acorda o poeta!

Tonhotavares.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

                       = QUANDO O SOL BRILHAR =

Quando o sol brilhar...
... Terei sido a sua real quimera,
... Teremos feito valer a espera,
... deste amor que nasceu escrito!

Quando o sol brilhar...
... Beijando-nos pela primeira vez   
... Nossos corpos entrelaçados
... Os grilhões do pudor já quebrados
... Perder-nos-emos por entre linhos e travesseiros.

Quando o sol brilhar...
... O gozo do corpo,
Cúmplice com o prazer da alma,
Elevar-nos-á ao paraíso,
Não mais teremos que dizer adeus!

Quando o sol...
... Há muito nascido, brilhar...
... Testemunhará o amor pungente,
a invadir os nossos corpos,
Mudando o tom de nossas vidas!
  

Quando o sol brilhar...
Mesmo que se faça noite,
... Este intenso e eterno brilho,
Veremos, advindas das nossas almas,
Desposados por um amor infinito!

Antônio Tavares.

           = FLOR DO AREAL =

flor do areal
Tão só, bailando ao relento
Não tem quem a cultive
Ninguém ouvi os teus lamentos.

Tens a beleza singela
As cores em aquarela
Seu perfume delicioso e discreto
De uma jovem donzela.

Colher-te, seria muito triste
Deixar-te sozinha a tua própria sorte, é tão forte!
Se a levo para exibir ao mundo
Precipito a tua morte.

Que maldade, oh! mãe natureza.
Porque não a fez crescer em um lindo jardim
Teria ali, todas as outras flores
E os olhares se repousariam em ti.

Sabe minha flor majestosa
Eu também me sinto assim
Fico aqui a espera
De um amor forte e sem fim.

_ Meu poeta amigo
Agradeço pelos mimos teu
Não conheço outros mundos
Mas aqui é o lugar meu.

Sou alegre por natureza
Solidão nunca é uma constante
Sinto a brisa da manhã acariciar-me
E os raios do sol
A todo o tempo me abraçando.

As borboletas, as abelhas, os beija-flores
Todos vem me visitar
Fecundando-me com muito amor
Como posso reclamar.

Vejo a lua, vejo as estrelas
Vem à chuva a me banhar
Sou flor de primavera
Minhas sementes devo espalhar. 

Sabe poeta amigo
Porque tecer lamentos
O mundo é tão bonito!
O que muito me entristece
É a ausência dos sentimentos.

Tonho Tavares 

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

            = SONHO INTERROMPIDO =

      O sol invadiu a minha janela. 
Subiu em minha cama e convocou-me para as obrigações diárias.
Por que agora sol?
Preciso dormir por mais um tempo.
Não é preguiça, quero esvaziar os meus sonhos.
Na noite de ontem eu estava deitado e junto comigo, a solidão.
Ela sempre vem devagarzinho, sutilmente invade o meu peito, faz-me um carinho. Nossa... e como é doloroso! Olha-me com certa tristeza e se instala bem no centro do meu coração. Ontem ela convidou-me para um longo passeio. Embarcamos no barco “ilusão”, atravessamos o mar das “angustias” e chegamos a uma ilha maravilhosa. Praia limpa, sol brilhante, cercada por coqueiros, além de muita gente bonita.
Eu estava desnorteado, sem carinhos, sem amor e invisível aos olhos de todos. Ao longe se ouvia uma música, para ser mais exato, um bolero de Ravel. Fui em direção aquele som. Ao chegar, admirei com tão lindo cenário!  Era um enorme salão de festas, ao centro, um grande candelabro com centenas de luzes, uma escada toda revestida de tapete vermelho e uma afinada orquestra. Sentei-me para admirar tudo aquilo. Naquele instante apagaram-se as luzes, um holofote girava pelo salão a procura de alguém. Aquela boa música enchia o meu coração de numa mistura de alegria e tesão. 
De repente parou o holofote...  Você, mais linda que nunca, se levantou vindo direto ao meu encontro. Meu coração queria saltar do peito. Suas mãos me foram estendidas, conduzindo-me ao meio do salão, começamos a dançar. Os nossos corpos pareciam levitar de tamanha era a leveza . Dançamos Ravel e terminamos com Gardel.
Fomos para o jardim.
A lua estava linda, mais parecia uma empresaria do amor. Dançamos ali de rosto colado, uma música, só nossa.  Minha vontade era beijar todo o seu corpo. Nossos olhos se cruzaram e um longo beijo foi inevitável. Sentimos os nossos corações baterem no mesmo compasso. Fomos para o quarto, você sentou-me na cama, pedindo para que eu a esperasse. Em pouco tempo você chegou, com uma camisola longa, preta, aberta de lado, suas pernas a amostra, uma verdadeira musa da sedução.  Fui ao seu encontro, beijei-a com loucura, carreguei você em meu colo, suavemente deitei-a na cama.
Abraçados fomos-nos despindo, até a nudez completa, beijando a sua boca, fui me deitando por sobre você, e... 
             Êita sol ingrato! Será que você nunca sonhou? não teve nenhum amor? Você chegou em péssima hora!
Nada me adiantou ficar na cama, este sonho não mais voltou.

Antônio José Tavares (tonho)
                = SONHOS DE AMOR =

Quero você em meu colo
Contarei para você o meu hino de amor
Sussurrarei em seus ouvidos os meus versos
Garimpados no mais profundo de minha alma.

Não surpreenda se a cada momento
Os meus lábios úmidos de desejos
Repousar em seu rosto
No mais puro dos beijos.

Embarcaremos a remos
Neste manso mar de quimeras.
Ficaremos mudos de rostos colados
Ouvindo a voz do trovador apaixonado
Declamando seus lindos versos de amor a lua.

Seus olhos cintilando ao brilho das estrelas
Certamente sentirá a alegria de criança crescida
Que descobriu naquela noite
A felicidade de amar.

Com a leveza de um sonho encantado
Nós dois de mãos dadas
Em juras de eternos enamorados
Num beijo de loucura quase perfeito
Entraremos noite adentro
Realizando todos os nossos desejos. 

Antônio Tavares (tonho)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

               = A PROCURA DO AMOR =

Vai meu coração
Busque aquela luz que ao longe vagueia
Não deixe que ela se apague ao acaso
Serei eu, o seu amor derradeiro.

Quando aqui chegares 
E se o teu amor
Tu me deres
Serei dos homens, o mais feliz!
Levar-te-ei as minhas quimeras
Felicidade não mais terá fim.

Venha ser o meu amor!
Juntos, cantaremos a mesma canção
Faça-me perder em teus braços
Eu me encontrarei em seu coração.

Todas as manhãs muitos beijos
Ligarei durante os dias varias vezes
Só para ouvir a tua voz.
Que não seja um amor de lampejo
Quem ama nunca está só.

Amor para ser verdadeiro
Tem que ser duas almas pulsantes
Não deixa sentir saudades
Todos os momentos são importantes.

Tocarei você nas madrugadas
Excitado, convidando-a a fazer amor
Se em teu corpo sentires o arrepio
Serão momentos
Sem princípio e sem pudor.

Depois do êxtase do gozo
Olharei nos olhos teus
Se ainda mostrarem-se desejosos
Amaremos até o amanhecer.

Quer ser o meu amor
Acompanhe este meu coração alado
Ele está à procura
Desta tal de felicidade.

Antônio José Tavares (tonho)

              = AMOR NA MANHA RAIADA =

Acordei-me aos primeiros raios do sol
Fui à janela
Vi as flores salpicadas de orvalho
Senti o perfume da manhã que era raiada
Ouvi o cantar dos pássaros
O cheiro do café invadia.
Ergui meus olhos, agradecendo a Deus pela graça recebida.
Tornei-me parte integrante daquele lindo dia.
Lembrei-me de ti
Que em alguma parte tu estavas.
Sussurrei com carinho o teu nome
Um pássaro, que também estava  só
Adivinhando o meu pensar
Em seu galho
Entoou o seu cantar.
Naquele canto, havia um chamado de amor.
Pensei em você... 
Quem sabe distante
Quem sabe por perto
Quem sabe a caminho
Quem sabe jamais a veja!
Meu coração inconstante
Entristecia-se e alegrava.
Chorava e sorria.
Apenas uma certeza, o amor existia.
De repente o pássaro se enlouqueceu
Feliz abria as asas
Dançou elegantemente por sobe o fino galho
Arrepiou as penas...
Era chegada da sua amada fêmea.
Voaram, voaram, voaram...
Ate se perderem no infinito do amor nascente
E eu, com ele em minha mente...
Cantei alto...
Cantei forte...
Cantei livre...
Cantei ate o desalento.
Quem sabe numa destas manhas raiadas
Meu canto será ouvido
E a minha hora também será chegada
Dançarei, arrepiarei, tal e qual o pássaro apaixonado.
Daremos as mãos
Em rumaremos para o infinito.


Tonho Tavares

domingo, 16 de fevereiro de 2014

              = QUANDO AMANHECER =

Quando amanhecer...
Buscarei todos os sonhos que se esparramaram em meu leito.
Abrirei a janela, deixando que o sol venha ser-me companheiro.
Sem camisa, sentirei a brisa fresca do dia amanhecido.
Soltarei cada sonho tatuado com o meu nome ao vento
quem sabe eles venham a lhe encontrar, fazendo feliz este coração
calejado, que se arrasta por entre versos,  lua e estrelas
suspirando saudade,
solfejando a romântica canção 
que num dia, eu pleno em amor, dediquei a você.

Quando amanhecer...
Talvez lhe envie flores...
Quem sabe, de ti, ganharei muitos beijos?
O amor não se perde ao tempo
Não se evapora como o vento
Não foge
Nem tão pouco pedi licença para fazer do corpo o seu abrigo.

Quando amanhecer...
A procura de ti, estenderei os meus olhos ao longínquo  caminho.
Buscarei em cada flor o teu sorriso.
Umedecerei os meus lábios com a língua
Que fora ressequidos pela longa espera dos teus beijos.
Na vida, uma certeza eu tenho...
Nunca estarei só
Sempre e sempre, estarei aqui, alimentando de sonhos
a esperar por teus beijos.

Antônio Tavares.

(Tonho ) 
       =  UM POUCO DO AGORA  =

Se me curvo em meus versos
reverencio-me ao amor
que exala, entala
escorre pela pele
no peito faz doer.

Amarga é a saudade!
viajo no mais profundo dos sentimentos
no lábaro, a flamula verde da esperança
não sou eu mais um jovem encantado nas primícias do amor platônico 
Sou carne, alma, sentimento
sou sexo, sou carinho
Bebo da beleza ardida das tardes de solidão
Sou apenas saudade.

Tonho Tavares

sábado, 15 de fevereiro de 2014


= SONHOS BEIJOS E DESEJOS =

Quero você...
Na cama...
Em chamas...
Na loucura de amantes apaixonados.

Cultivarei todos os desejos e sonhos
que há dentro de ti.
Nas manhas, lhe darei mil beijos.
De dedos entrelaçados
como eternos namorados
esparramaremos mansos passos
de quem nunca espera o fim da jornada.

Terás beijos nas madrugadas...
Beijos e beijos
apenas pelos desejos
de sempre beijar.

Amor e desejo
Encanta o corpo e alma
Inspirando-nos a sonhar.

Meus sonhos são ateados
quem sabe se materializados
encontre você
e juntos
no mesmo sonhos
possamos embarcar?


Tonho Tavares.


sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

        = ESPERO-TE MULHER =

Espero-te...
Mesmo que você não me tenha muito amor.
Mesmo quando no céu não mais brilhar a lua e as estrelas.
Mesmo quando a dor da saudade me fizer escrever-te tristes versos.
Mesmo quando minha alma desnuda chorar
E o outono doar todas as folhas ao impetuoso vento.
Mesmo que a primavera venha sem flores orvalhadas.
Até mesmo, quando meus lábios ressequidos não mais cantar a nossa canção. 
Mesmo que em seus sorrisos não mais exista o brilho de mil estrela.
Eu a espero.
Venha, venha mostra-me o sol desvairado 
Leve-me a fonte, que embebeda-me de sonhos
Não é nas adversidades que perecemos em amor
Amor é forte como a rocha
Sensível como seda
Suave com a brisa que vem das cachoeiras
As vezes amargo como fel.
Não importa!
Mesmo assim, por ti, mulher dos sonhos meus, eu esperarei.

TONHO TAVARES