quarta-feira, 30 de outubro de 2013

    = CORAÇÃO A DERIVA =

Retirei o meu coração do peito
Em uma caixa linda, toda enfeitada
eu o coloquei.
com um belo papel de presente
o embrulhei.
Com fita colorida
dei um laço
de tão belo o presente
se tornou encantado.

Em um pequeno barco eu o prendi
a deriva no rio soltei.
Com o passar de alguns anos
o papel amarelou
molhou, rasgou
A pobre caixinha
muito feia ficou.

Parou em varias praias e portos
muitos viram ninguém a tocou
em meu peito ficou um vazio
nada no mundo mais me alegrou.

A caixa se desfez com o tempo
o barco se afundou
Sorte que uma sereia
o meu coração salvou.

Ela lhe deu carinho
no calor de seu corpo
ela o aconchegou
Por mais que eu o desejasse
de volta
para mim, ele nunca mais retornou.

Tonho Tavares 
toninhotav@hotmail.com