domingo, 29 de setembro de 2013

                              = Lagrimas de amor=

     A tempos atras encontrei em meu quarto, uma surpreendente visita. Estava escuro, vi quando algo se movimentava com dificuldade pelo chão.  Acendi a luz e pude observar que era bombo correio, talvez tivesse entrado pela janela. A sua aparência não era nada animadora, suas penas estavam molhadas de sangue, o peito todo machucado, uma perna quebrada com fratura exposta. Fiquei com pena daquela linda criaturinha, pessoas me diziam que eu deveria sacrifica-la, mas, como eu poderia ceifar aquela vida, que apavorada pedia por socorro. Mesmo só resolvi ajuda-la. Sei saber ao certo o que eu fazia, mas com muito amor, eu a deitei por sobre a mesa, passei remédio roxo, uso veterinário em seus doloridos machucados. Peguei as perninha do dito cujo, coloquei talinhas de madeira, enrolando uma fita adesiva em torno dela. Foi difícil, ela não ficava parada enquanto eu fazia o curativo. 
Todas as noites, eu a enrolava em toalha , as noites estavam frias ela pareceu-me agradecer o mimo. Gradativamente eu a vi melhorar. Quando percebi que ela se debatia ao pega-la, retirei a bandagem, percebi que os ferimentos já haviam cicatrizados. Não ficou muito elegante, sua perna encanará muito torta, mas o melhor e que ele andava. Seu andar parecia , muito mais, com o andar de um papagaio, mesmo assim, me dei por satisfeito. Ontem de manha, como fazia a todos os dias, desembrulhei o bichinho, coloque-o ao chão, joguei o milho para ele, coloquei água e, fiquei a assistir orgulhoso , aquela lindo amigo, fazer o sua primeira refeição do dia.
Ao termino, ele voou até a janela, andou em minha direção, como se viesse a agradecer-me pela acolhida. Depois de segundos, alçou um lindo voo, pelo céus de meu Deus. Meus olhos choraram, não compreendi a razão das lagrimas. Fiquei a observar aquele lindo voo em busca da felicidade. Eu o vi, como um lindo cometa, deixando seu rastro de amor meu coração. Hoje compreendi , meu choro era de felicidade, eu não a curara só para mim. Amar é fazer livre o ser amado, no amor, não cabe egoísmo, posse ou castração. Quem ama empurra com as mãos e segura com o coração. 

Tonho Tavares
Tonhotav@hotmail.com