domingo, 29 de setembro de 2013


=Adolescer do Amor=

Acordei-me para a vida.
A saudade eu beijei.
Na porta, a felicidade.

Da solidão me despedi,
Da tristeza fiz canção,
Do amor me revesti.

Nos campos semeei sorriso,
Colhi, com os olhos, as flores.
 Eram elas, exóticas, coloridas,
Até mesmo aquelas menos expressivas.
Cantei com os pássaros.
Tudo era encanto, tudo era graça.

Atravessei o bosque,
Saltei como atleta sobre trocos caídos.
Corria pelas pastagens.
Senti-me invencível.
O adolescer eu vivia.

A cachoeira eu cheguei.
Borboletas multicores
A minha volta bailavam,
Numa coreografia impar.
Por sobre as pedras
Que doce e linda miragem!
Não... Era a imagem!
Bela,
Miragem, imagem,
Você!
Com as mãos delicadas
Ao vento,
Acenavam para mim.

Tonho Tavares